Atualidades

“Brasil Sem Drogas” é movimento educativo contra a legalização da Maconha

BrasilSemDrogas_logo2Nascido no Ceará o Movimento tomou proporções nacionais e alerta população com dados científicos sobre o risco da legalização da maconha.

A maioria da população brasileira é contra a legalização da Maconha. De acordo com pesquisa realizada em setembro de 2014 pelo  Jornal O Estado de São Paulo  e TV Globo  79% dos brasileiros se posicionaram contra o uso da droga. Em pesquisa do DataSenado apenas 9% dos votantes se mostraram favoráveis ao uso da erva.

Com o objetivo de educar a população e acompanhar as audiências que acontecem no Senado sobre a Sugestão Popular 8 (SUG  8) pela liberação da maconha para uso recreativo, industrial e medicinal foi criado o Movimento Brasil Sem Drogas. “ Temos caráter educativo e somos  supra partidário e supra religioso. Discutimos  a problemática  da legalização das drogas com muitos dados científicos, sociais e humanos. Tudo embasado em estatísticas oficiais de legalizações fracassadas em países que regulamentaram  a maconha e tiveram todos os seus índices piorados”, explica Luís Eduardo Girão, idealizador do Movimento.

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) é o relator da Sugestão 8 e deu sinal nas audiências anteriores que não arquivará a Sugestão possibilitando que em breve ela  se torne um Projeto de Lei de legalização da maconha para uso recreativo.

Muitas questões estão em aberto como, se a maioria da população brasileira é contra a legalização da maconha por que a crescente luta pela liberação desta droga? A quem interessa a legalização desta droga no país? Por que a Comissão de Direitos Humanos aceitou em uma Sugestão Popular discutir o uso recreativo e medicinal da Maconha se são duas coisas distintas?

Uma página no Facebook fornece informações sobre o movimento e atualiza a população sobre os riscos de uma possível legalização da maconha no país. Já aderiram ao movimento o Governo do Estado do Ceará, OAB – CE, OAB- PB, FENASP (que reúne lideranças  evangélicas), Federação Espírita Brasileira, Rotary, Associação Brasileira de Psiquiatria, Associação dos servidores da Polícia Federal, Arquidiocese de São Paulo, entre outras instituições.

Fanpage Brasil Sem Drogas: www.facebook.com/movimentobrasilsemdrogas

Por Vanderlúcio Souza, Assessoria de Imprensa – Comunidade Católica Shalom

Compartilhe

Subir

8 Comentários »

8 Comentários »

  • Márcio Ramos disse:

    É uma utopia imaginar um país sem drogas, especialmente o Brasil, pois nunca na história da humanidade tal fato aconteceu, acontece ou vai acontecer. O projeto de lei não visa a liberação da maconha, pois isso já existe ilegalmente, não só com a maconha mas com todo tipo de droga. O termo correto é descriminação (no micro) ou legalização (no macro). O combate as drogas no âmbito policialesco, da repressão, é um fracasso. Tendo em vista que não cessa o tráfico, gera violência, aumenta a quantidade de presos em sua maioria negros e pobres contribuindo para reforçar o preconceito racial institucional, etc.

  • Simone disse:

    Sou totalmente contra a legalização da maconha, isso é um absurdo.

    Além de tudo a maconha requer muita água, e devemos pensar daqui por em diante o que vamos plantar com essa falta de água. vamos por a mão na cabeça quem mais vai ganhar com tudo isso?

    NÃO A LEGALIZAÇÃO DA MACONHA!!

    • Arthur disse:

      Nossa sério, de todas as coisas que já ouvi sobre o ''NÃO" a maconha esta foi de longe a coisa mais sem noção. Fala qualquer coisa, menos isso quando for discutir com alguem sobre esse assunto, obrigado.

    • JOAO disse:

      quanto desconhecimento!
      só pra te orientar um pouco, a maconha é uma das plantas que menos requerem água… normalmente ela é regada uma vez a cada dois dias. Se quer se posicionar sobre um assunto pelo menos estude-o. Obrigado!

    • Pedro disse:

      Onde você viu que maconha precisa de muita água? Esse foi o pior argumento contrário a legalização que já vi. Me desculpe, mas acho que você precisa estudar um pouco mais o assunto…

  • JOAO disse:

    Pessoal,
    Sou um grande cristão mas a verdade deve ser dita. A maconha já está legalizada hoje no nosso país… com a regulação muitos jovens teriam mais dificuldades de comprar e a teoria da porta de entrada seria definitivamente descartada, o dinheiro da venda iria para a mão do estado e não do crime e além destes dois aspectos teriamos o mais importante, não iriamos proibir uma planta feita por Deus. UMA PLANTA!

  • Felipe disse:

    Nossa, e eu pensei que já tinha escutado de tudo, essa da água foi de doer …

  • Angelus disse:

    A questão principal não é a legalização das drogas, o que temos que perceber é que estamos num país democrático onde existe constitucionalmente algo chamado de "liberdades individuais".
    Ou seja, o indíviduo, a partir de uma certa idade, tem direito sobre seu corpo. Sobre o que deseja consumir, que tanto pode ser alcool, açúcar, cigarros, remédios, ou não se utilizar de nada. Ou mesmo se quiser pode tomar soda caústica e se matar, está praticando algum crime? Não, porque ninguém pode praticar crime contra si, juridicamente falando.
    Aí vem os religiosos com seus princípios morais querer deturpar. Estamos falando em direito e não em religião. A democracia não é só a maioria, existem as minorias que precisam ser respeitadas em suas formas de expressão.
    A maconha não é apenas uma planta proibida, em torno dela existe toda uma produção cultural. A maconha influenciou e influencia gênios, aguça a criatividade, diferente do álcool que deixa todo mundo grogue e com mal estar. Maconha só dá fome!
    Parem de mistificar uma planta, afinal podemos também dizer que foi DEUS quem a criou.
    Deixem as pessoas livres! Não deturpem a planta da paz!


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Liturgia Diária: Evangelho – Mt 20,1-16a

Liturgia Diária: Evangelho – Lc 8,4-15

Visita Pastoral na Paróquia de Nossa Senhora da Penha, Maranguape

II Romaria Bíblica e encontro sobre contabilidade na Região São Pedro e São Paulo

Palestras sobre o tema Comunicação na Faculdade Católica de Fortaleza


QR Code Business Card