Atualidades

[Artigos] Francisco: Paz e diálogo para o mundo

Padre Geovane Saraiva*

geovane200A vida eterna se dar na reconciliação com Deus, em primeiro lugar, através da realidade existencial das pessoas, totalmente preenchida e pacificada na acolhida das manifestações dos sinais da graça de Deus, perpetuada após a vida terrena, alimentada evidentemente com Jesus pão da vida, pão descido do céu (cf. Jo 6, 41-51). Ele que se deu a conhecer, convence-nos do dom de sua graça, no qual somos chamados a ser seus seguidores, que no exemplo do profeta Elias, indica-nos um longo caminho a percorrer (cf. 1Rs 19, 4-8).

O Santo Padre, o Papa Francisco, na sua preocupação de “Renovar o diálogo sobre a maneira como estamos construindo o futuro do planeta” (Laudato Si’, 14), diante de uma grande multidão na Praça de São Pedro, comentou no Angelus (09/08/2015), que a atitude da fé para este mundo e para a vida eterna implica acolher o Filho de Deus a nos introduzir na ‘dinâmica da fé’, afirmando-nos que “Essa dinâmica é uma ‘relação’ na qual não é suficiente encontrar Jesus e ler a Bíblia para acreditar, é preciso a fé que só acontece quando deixamos que o Espírito Santo entrar na relação de amor e de vida que há entre Jesus e Deus Pai”.

A alocução, tão sábio quanto profética, do Sumo Pontífice, deixa-nos pensativos e perplexos, associado-nos aos seus anseios, após a recitação do Angelus, sobre o 70º aniversário dos bombardeamentos de Hiroshima e Nagasaki no Japão durante a II Guerra Mundial que aconteceram nos dias 6 e 9 de agosto em 1945. A este propósito o Santo Padre reafirmou a necessidade de repudiar sempre a guerra, na seguinte assertiva: “Esta triste comemoração apela-nos, sobretudo, a rezar e a empenharmo-nos pela paz, para difundir no mundo uma ética da fraternidade e um clima de serena convivência entre os povos”.

Que a profecia do Servo de Deus Dom Helder Câmara, jamais seja esquecida, ao afirmar “Sem justiça e amor, a paz será sempre uma grande ilusão”. Neste sentido compreendo as palavras que saíram do coração dadivoso e generoso, profético e solidário do Augusto Pontífice, como uma oração, um clamor: “De todas as terras se levante uma única voz: não à guerra, não à violência, sim ao diálogo, sim à paz! Com a guerra perde-se sempre. O único modo de vencer uma guerra é não fazê-la”.

Penso  que nossa corrida em favor da paz será profícua, assaz pelo esforço de se manter viva a memória do nosso artesão da paz, Dom Helder, numa fervorosa súplica elevada aos céus em favor da sua santificação, aqui através da nossa humilde proposta de oração:

“Ó Deus altíssimo, boníssimo e terníssimo, que quisestes se revelar em toda vossa plenitude, na generosidade, doação, renúncia e criatividade do vosso servo Dom Helder Câmara. Vivendo agora a expectativa da beatificação e canonização do vosso místico e Dom da Paz, suplicamos com humildade e confiança que venhais em socorro da humanidade, nas injustiças, dores e angústias de toda natureza por que passa a criatura humana e todo o universo. Que o nosso bom Deus seja sempre mais louvado, através do Servo de Deus Dom Helder, instrumento da Vossa paz e do Vosso amor”. Usando as palavras do Santo Padre, o Papa Francisco: “No fim, encontrar-nos-emos face a face com a beleza infinita de Deus (cf. 1Cor 13, 12) e poderemos ler, com jubilosa admiração, o mistério do universo, o qual terá parte conosco na plenitude sem fim” (Laudato Si’, 243), na mais viva esperança, ó Pai, de vermos todas as coisas renovadas”. Por Nosso Senhor Jesus Cristo Vosso Filho, na Unidade do Espírito Santo. Amém. Pai Nosso, Ave Maria e Glória ao Pai.

*Escritor, blogueiro, colunista, vice-presidente da Previdência Sacerdotal e Pároco de Santo Afonso, Parquelândia, Fortaleza-CE – geovanesaraiva@gmail.com

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Lutero e sua marca na História

Inauguração da Centro de Evangelização do Shalom Bela Vista

Papa Francisco pede fim de armas nucleares

Presidente da CNBB foi nomeado pelo Papa Francisco como Relator Geral do Sínodo 2018

Editorial – novembro 2017: “Ano do Laicato no Brasil”


QR Code Business Card