Atualidades

[ARTIGOS] Evangelizap: o anúncio do Evangelho na conectividade

Wastsapp 1É o “in box” compacto do facebook? É uma lista telefônica personalizada? É um envio de sms moderno? Não. é o WhatsApp. O WhatsApp Messenger é um aplicativo de mensagens multiplataforma que permite trocar mensagens pelo celular sem pagar por SMS. O aplicativo é bem prático e rápido, você pode mandar mensagens simples, criar grupos de conversas; enviar fotos e vídeos, compartilhar locais, tudo em tempo real.

Hoje, o aplicativo se tornou o jeito mais fácil de comunicar-se com os amigos, já são mais de 300 milhões de usuários ativos e está disponível para iPhone, BlackBerry, Android, Windows Phone, e Nokia. Em poucas palavras o WhatsApp é isso, um aplicativo próprio para o relacionamento entre os amigos, fazer novas amizades de forma prática e rápida usando um aparelho celular e seu número telefônico.

“Os jovens, em especial, perceberam o enorme potencial das novas mídias para facilitar as conexões, a comunicação e a compreensão entre indivíduos e comunidades e as usam para se comunicar com os próprios amigos, para encontrar outros novos, para criar comunidades e redes, para buscar informações e notícias, para compartilhar as próprias ideias e opiniões.” [1]

Bem, o que fazer então com o WhtasApp na ótica da evangelização? O Papa Emérito Bento XVI, quando Sumo Pontífice, fez um pedido para que a Igreja evangelize através da rede mundial de computadores e de todos os meios digitais, disponibilizando textos catequéticos, informativos e esclarecedores, animado pelo ensejo do “Ano da Fé”, proclamado pelo próprio Santo Padre. Somos chamados como Igreja, corpo místico de Cristo a transmitir, compartilhar o Evangelho de Jesus Cristo encarnado no nosso testemunho nas novas mídias sociais; buscando sempre uma fecunda “Cultura do Encontro”, como nos pede agora em seu Pontificado, o Papa Francisco.

A Igreja tem uma missão: anunciar o Evangelho de Jesus em todas as partes do mundo, como nos ordena o mesmo no Evangelho de São Mateus: “Ide e fazei discípulos meus entre todas as nações” (Mt 28,19). Esta é a nossa missão, a missão da Igreja; fazer novos discípulos para o serviço do Reino de Deus, fazer com que Cristo resplandeça nos corações das pessoas através do anúncio da sua palavra.

O aplicativo WhtasApp, é uma ferramenta favorável para essa missão evangelizadora da Igreja, pode se transformar em um ambiente de evangelização virtual; onde podemos transmitir os nossos conhecimentos, partilharmos as nossas experiências de fé e nos edificarmos juntos como Igreja. As Redes Sociais fazem parte da nossa vida diariamente, “transportarmos” a nossa vida real para um ambiente virtual, mas não podemos ser alienados por ela é preciso se ter equilíbrio. “A Rede é um ambiente que, não obstante todos os riscos de alienação, permite experimentar novas formas de contato, de relações e de expressão pessoal.” [2]

A experiência de um seminarista no WhatsApp

Já que as Redes Sociais fazem parte da nossa vida cotidiana, então todos os dias estou conectado à internet. Não estou inserido somente no WhatsApp, mas também no facebook, twitter e instagra; são os meus perfis ativos. O meu perfil no Instagram privado, você precisa me seguir para ver minhas fotos. Bem, isso pode parecer estranho pra muitos e até pra alguns outros seminaristas. Primeiro: busco administrar meu tempo no seminário e não deixar que a internet me tome das coisas essenciais do mesmo: estudos, vida comunitária, oração etc., mas, também entendo que a internet é um ambiente, um espaço onde eu faço parte, estou inserido e me relaciono mantendo contatos com outros amigos; não é somente algo que “conecta” e “desconecta”.

No WhatsApp, temos como criar grupos e favorecer uma evangelização um pouco mais “ampla”. Faço parte de alguns grupos dentre um que gostaria de citar chamado “Martelo dos Hereges”. O nome foi inspirado em Santo Antônio de Pádua por um amigo chamado Fabiano: “É um grupo de defesa da fé, firmados nos três pilares da nossa fé: Sagrada Escritura, Sagrada Tradição e o Sagrado Magistério; buscamos juntos esclarecer a fé para aqueles que a querem relativiza-la e aqueles que dizem ser “católicos”, mas afirmam que o Concílio Vaticano II é uma seita ou foi um erro da Igreja. O que buscamos é defender a Igreja de 2 mil anos, unidos a ela e ao Santo Padre.”

A ferramenta de criar grupos no WhatsApp é uma das mais interessante, você pode transformar isso numa sala de bate-papo bem bacana, ou num grupo de estudo. Já pensou, você criar um grupo de estudo bíblico no WhatsApp, expandido assim o grupo que você tem por exemplo toda quarta-feira em sua casa; seria interessante não acham? Precisamos ser Igreja, ser protagonistas do Evangelho nas mídias sociais levando as verdades da nossa fé católica. Ah, uma coisa para que o grupo, a sala de bate-papo no whatsapp não se torne chata e alguns queiram sair; é a prudência nas mensagens para que não aconteça o acumulo de mensagens em alguns membros do grupo, por exemplo, passo determinado tempo do dia sem visitar o grupo e quando vou visitar tem mil e poucas mensagens, entendem?! Você não vai rezar o Santo Terço no WhatsApp, isso se tornaria chato.

O aplicativo ainda nos dar a oportunidade de enviar fotos, vídeos e áudio (podcast); isso é muito bom para evangelização. Você pode manda pra alguém em particular ou num grupo pra vários amigos, uma imagem de santo com uma frase, um vídeo ou podcast de formação. Por exemplo, hoje o nosso grupo vai falar sobre Lectio Divina, então você envia uma breve formação sobre o tema ou um vídeo, bacana num é?! E ainda, você pode gravar áudios com a ferramenta de gravação de áudio e enviar para o seus amigos, você mesmo pode dá a formação.

Precisamos está inserido nestas novas mídias sociais, participar delas; “Publicar significa participar, isto é, compartilhar.” (Pe. Antonio Spadaro) Deus, a Igreja pode está presente no WhatsApp e em outras mídias sociais, basta você anunciar à sua palavra de vida eterna.  Nós somos discípulos de Jesus e precisamos mergulhar sempre mais neste discipulado, encarnar em nós está missão de “Ide ao mundo inteiro” de várias formas para testemunhar a presença de Deus; sem esquecermos que a nossa casa, a nossa família e os amigos que estão em contato conosco pessoalmente precisam também, ver expressado em nós este testemunho cristão. Tomemos com amor para nós a evangelização nas mídias sociais, é preciso, existe também um povo sedento pela verdade no ambiente virtual e como filhos da Igreja, temos o dever de anunciar está verdade que é Cristo.

O WhatsApp em uma outra linha de evangelização, pode ser também um ambiente vocacional; os jovens que sentem um chamado a uma vocação especifica podem criar uma sala de bate-papo vocacional (grupos) no WhatsApp. Podem convidar padres amigos para está junto neste grupo, e assim partilharem experiências, motivações vocacionais e tirarem dúvidas com os padres etc.

Por Iury Nascimento, seminarista da Arquidiocese de Fortaleza

Imagem: Google

Referências:

1. Bento XVI, Mensagem para a 43° Jornada Mundial das Comunicações Sociais.

2. Pe. Antonio Spadaro, livro: WEB 2.0, internet como “rede social”, pag. 10.

 

 

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Nota de repúdio dos bispos do Regional CNBB NE1-Ceará diante do escárnio público contra os símbolos sagrados

Em 2017, o Dia Mundial dos Pobres dia será celebrado em 19 de novembro.

Coleta da Campanha Missionária acontece neste final de semana no Brasil e no mundo

Reunião do Conselho Episcopal Regional (CONSER) Regional Nordeste 1 da CNBB – Ceará

Padre Antônio Niemiec é o novo secretário nacional da Pontifícia União Missionária


QR Code Business Card