Atualidades

[ARTIGOS] Ecumenismo na CF 2015

padre-Brendan200O texto base na Campanha da Fraternidade de 2015 faz algumas referências oportunas ao ecumenismo. Afirma que o Concílio Vaticano ll incentivou a ação da Igreja em três campos de diálogo no mundo moderno. Cada um deles conta com um documento explícito, que expõe a orientação da Igreja para entendimento melhor da questão religiosa: o Decreto Unitatis Redintegratio sobre o ecumenismo, a Declaração Nostra Aetate sobre as relações da Igreja com as religiões não cristãs, e a Declaração Dignitatis humanae sobre a liberdade religiosa. Estes documentos são de grande relevância para a relação da Igreja com a sociedade (cf. No 76 do Texto base da CF 2015).

O ecumenismo é a realização do desejo de Jesus: “Que sejam um… para que o mundo creia” (Jo 17, 21). Jesus não quer seus discípulos divididos por doutrinas e estruturas religiosas. Estas são formas de compreender o Evangelho, e as diferenças entre elas não precisam dividir os cristãos. Cada Igreja deve contribuir para a comunhão do Povo de Deus. Ecumenismo significa: a) conversão de coração para reconhecer o que há de bom nas outras igrejas cristãs; b) ficar alegre com o muito que temos em comum, em vez de ficar buscando motivo para briga; c) procurar conhecer as outras Igrejas, sem preconceito e sem ingenuidade também; d) colaborar com os irmãos de outras Igrejas em tudo o que ajuda o progresso do Reino de Deus; e) tratar as outras Igrejas como gostamos que a nossa seja tratada; e f) orar pela unidade, com seriedade e ternura.

A Igreja Católica no Brasil desenvolve ações ecumênicas integrando o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC). Este Conselho é composto das seguintes igrejas: Igreja Católica Apostólica Romana, Igreja Episcopal Anglicana do Brasil,  Igreja Cristã Reformada, Igreja Presbiteriana Unida, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, e Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia. Os membros do CONIC estão incentivando os discípulos e discípulas missionários a desenvolverem atividades mais intensas na Semana Nacional de Oração pela Unidade dos Cristãos e na realização da Campanha da Fraternidade Ecumênica. Além do ecumenismo, que se refere ao diálogo com as Igrejas Cristãs, a Igreja Católica promove, em todo o mundo, o diálogo inter-religioso, afirmando que “nada rejeita do que há de verdade e santo nessas religiões” (cf. Nos. 78 e 79 do Texto base da Campanha da Fraternidade, 2015).

Acredito que é importante para enfatizar o que o ecumenismo não é: a)juntar todas as igrejas numa só; b) deixar de crer no que ensina sua igreja para viver em paz com todo mundo; c) fazer de conta que não há diferenças ou problemas entre as igrejas; d) tentar seduzir o outro para a nossa Igreja; e) aceitar sem crítica o que vem de outros grupos; e f) exigir que o outro se acomode às nossas doutrinas. A Igreja Católica seguindo a orientação da Declaração Nostra Aetate, um documento do Concílio Ecumênico Vaticano ll, exorta os fiéis ao diálogo sincero com os membros das grandes religiões, sobretudo o judaísmo, o islamismo, o budismo e o hinduísmo afirmando “nada rejeita do que há de verdade e santo nessas religiões” (cf. Declaração Nostra Aetate No. 2).

                                                          Pe. Dr. Brendan Coleman Mc Donald,  Redentorista e Assessor da CNBB Reg. NE1

 

 

 

Compartilhe

Subir

1 Comentário »

1 Comentário »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Nota de repúdio dos bispos do Regional CNBB NE1-Ceará diante do escárnio público contra os símbolos sagrados

Em 2017, o Dia Mundial dos Pobres dia será celebrado em 19 de novembro.

Coleta da Campanha Missionária acontece neste final de semana no Brasil e no mundo

Reunião do Conselho Episcopal Regional (CONSER) Regional Nordeste 1 da CNBB – Ceará

Padre Antônio Niemiec é o novo secretário nacional da Pontifícia União Missionária


QR Code Business Card