Atualidades

[Artigo] O VIRUS ZIKA E O ABORTO

Nos dia 3 e 4 de fevereiro de 2016 O Conselho Episcopal Pastoral (CONSEP), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) conclamou toda a Igreja Católica no Brasil a continuar a intensificar a mobilização no combate ao mosquito aedes aegyti transmissor da dengue e do vírus Zika. Merece atenção especial o vírus Zika por sua provável ligação com a microcefalia, embora isso não tenha sido provado cientificamente.  Microcefalia é uma má-formação congênita que acarreta numa caixa craniana anormalmente pequena. No dia 5 de fevereiro próximo passado o vírus também foi detectado na urina e na saliva, segundo a Fundação Osvaldo Cruz, explicando, contudo, que ainda é muito cedo para saber se  trata de um novo tipo de contágio. A gravidade da situação levou a Organização Mundial de saúde a declarar a microcefalia e o vírus Zica emergência internacional. Perante essa situação um grupo de advogados, acadêmicos e ativistas prepara uma ação, a ser entregue ao Supremo Tribunal Federal (STF), que cobra o direito de interromper a gravidez em casos em que a síndrome foi diagnosticada nos bebês.padre_brendan

Segundo Lenise Garcia, doutora em microbiologia e coordenadora do curso de biologia na Universidade de Brasília: “O argumento da ‘liberdade de escolha’ também é equivocado. À maior interessada, que é a criança, não é dada a liberdade de escolher entre sua vida e sua morte. A vida é o primeiro de todos os direitos, e nenhum outro pode existir sem ele” (cf. ÉPOCA, 8/2/’16, p.57). A Igreja Católica defende a vida humana desde a fecundação, até a morte natural. Todo ser humano é querido por Deus, seja ele portador de anomalias ou não. A ciência afirma que desde a fusão do espermatozoide com o óvulo um novo ser tem origem. A Campanha da Fraternidade de 2008, com o tema: “Fraternidade e defesa da vida”, e o lema: “Escolhe pois a vida” apresentou dez efeitos de um aborto provocado: a) Condena à morte um ser humano inocente e indefeso; b) Danifica a saúde física, psíquica e espiritual da mulher; c) Desumaniza as pessoas que o praticam; d) Nega o direito à vida, que é o primeiro de todos os direitos; e) Discrimina os seres humanos, ao decidir quem vai ou não viver; f) Aumenta a violência na sociedade;  g) Reduz o ser humano a objeto descartável; h) Ignora a sacralidade e o valor sobre- natural da vida; i) Atenta contra a grandeza da maternidade; j)Desrespeita gravemente a Lei de Deus. Nas palavras da Dra. Lenise Garcia: “Um aspecto particularmente nefasto do aborto eugênico, aquele que ocorre porque o filho em gestão não é ‘perfeito’, é a carga de preconceito que o fundamenta. Estaríamos negando a dignidade da vida de crianças deficientes, vistas como alguém que não deveria estar vivo porque representa um peso para sua família e para a sociedade. Crianças com deficiência merecem ser acolhidas, cuidadas, amadas. Fazem a diferença em suas famílias, contribuindo para que tenhamos um mundo melhor” (op. cit.).

Pe. Brendan Coleman Mc Donald

Redentorista e Assessor da C NBB Reg. NE1

 

Compartilhe

Subir

1 Comentário »

1 Comentário »

  • Veralucia R Bento disse:

    A síndrome da microcefalia associada ao aborto é apenas uma válvula de escape para grupos que usam o momento para aprofundar a tese de que a vida não tem nenhum valor, já que para viver não pode sofrer nenhuma anomalia,ou seja apto para ocupar espaço na sociedade,no entanto é uma doença que atinge as classes mais pobres do país. É mais um problema que recai sobre estas mães fruto de uma país que não trabalha com prevenção. A vida é o primeiro direito adquirido, a criança indefeso que seria dado esse direito, está lhe sendo negado e quem vai defendê-lo? É necessário que lancemos um olhar ético, moral e humano no que se refere o direito à vida.


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Assembleia da Região Episcopal Nossa Senhora dos Prazeres

Comunidade Católica Corpo Místico de Cristo realiza Congresso Mariano

Paróquia Sagrada Família em Ocara realizou Retiro com Agentes Pastorais

O Sínodo da Juventude 2018

Na celebração do I Dia Mundial dos Pobres Arquidiocese lança a 9ª Festa da Vida


QR Code Business Card