Atualidades

[ARTIGO] O Legado da Copa e a Igreja

Terminada a Copa do Mundo, acredito que muitos segmentos da sociedade estão fazendo reflexões a respeito do legado desse evento. Folder-Copa-do-Mundo-300

Indubitavelmente, não podemos negar que, durante a preparação para a Copa, houve denúncias de superfaturamentos, constatação de uma cultura de procrastinação, do atraso e do adiamento que é um dos nossos problemas civilizatórios. Mas, para alegria nossa, durante e após a Copa, consideramos que ela proporcionou a confraternização, o espírito esportivo e entretenimento para todos, inclusive, para as seleções que não ganharam, dentre elas a do Brasil. Ela uniu pessoas de todos os cantos do mundo, levando-as a conhecer novas culturas e povos.

Desse modo, sentimos que o futebol não é mais sinônimo de alienação como diziam pensadores de orientação hegeliana e marxista. Eles avaliavam a folia futebolística do povo como alienação, promovida pelos governos que o distrairiam com “pão e circo” como os antigos imperadores romanos. Hoje, mudada essa visão, vem o otimismo, a cordialidade e a leveza do nosso povo com as pessoas de culturas diferentes da nossa. Notável foi a brasilidade viva. Culto à bandeira. Uso do verde e amarelo. Hino Nacional. Também a religiosidade popular católica de alguns jogadores até estrangeiros que, ao seu modo, fizeram o sinal da cruz. Exceções à parte, o espírito esportivo prevaleceu na arte e técnica, e no respeito às regras do jogo.

Para a Igreja (CNBB e Arquidiocese de Fortaleza), na Pastoral do Turismo, tendo à frente da coordenação o Bispo Auxiliar de Fortaleza, Dom Vasconcelos, Pe. Gilson e setor de comunicação da Arquidiocese, o grande legado dessa Copa foi a oportunidade de conscientizar visitantes e nativos sobre o não uso de drogas, e o tráfico humano, e o acolhimento humano fraterno e religioso aos turistas. Para os turistas estrangeiros, a Arquidiocese organizou, em nove Paróquias da Capital, missas em diversas línguas. Dentre as paróquias, destaco a de São Vicente de Paulo, que celebrou seis missas em Inglês e Francês. Estavam presentes nessas missas pessoas dos Estados Unidos, Alemanha, Marrocos, Índia, França, Holanda, Guiné Bissau e México. A pedido de professores, estudantes, pessoas que viajam ao exterior e admiradores das línguas estrangeiras a Paróquia de São Vicente de Paulo – Avenida Desembargador Moreira 2211 está realizando todos os sábados, às  18h, missas em Francês e, às 19h, missas em Inglês.

A grande esperança da Igreja, após a Copa do Mundo, é que o mesmo patriotismo tão visível no rosto dos brasileiros, continue, mormente, durante e pós-eleição. Que o mesmo patriotismo exija dos postulantes ao executivo e legislativo melhor educação, saúde, segurança e emprego para o povo. Que a Copa tenha nos deixado para nós brasileiros o legado de uma catarse.

 

Pe. Raimundo Nonato de Oliveira Neto

Pároco de São Vicente

 

 

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Pedra rejeitada

56ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil

POM celebra 40 anos lançando vídeo institucional

Secretaria de Comunicação da Santa Sé fez cobertura total da 56ª Assembleia

No seu onomástico Papa dá sorvete aos mais necessitados


QR Code Business Card