Atualidades

[Artigo] Festa de São Tomé, Apóstolo.

                              Festa de São Tomé, Apóstolo.

No dia 3 de julho, a Igreja Católica celebra a Festa de São Tomé, Apóstolo. Um apóstolo com o nome de Tomé aparece nos evangelhos sinópticos de Mateus 10, 3; Marcos 3, 16-19; Lucas 6, 13 – 16 e Atos 1, 13. O evangelho de São João apresenta-nos o dado particular de seu apelido: “Tomé chamado Dídimo”. Este santo apóstolo é conhecido pela sua proverbial incredulidade, perante a notícia da Ressurreição de Jesus.  Na trade do Domingo da Ressurreição, Jesus apareceu aos apóstolos reunidos no cenáculo, mas Tomé esteve ausente. Os apóstolos relataram com alegria e entusiasmo a visita do Senhor: “Nós vimos o Senhor!”. Tomé demonstrou-se obstinadamente incrédulo: “Enquanto eu não vir em suas mãos os sinais dos cravos e não padre-Brendan200meter o meu dedo na abertura do seu peito, eu não hei de crer”. No domingo seguinte, Jesus apareceu novamente no cenáculo e, imediatamente, dirigindo-se a Tomé, disse: “Vem cá, Tomé, estende tua mão e põe-na no meu lado e não sejas incrédulo, mas fiel”. Depois acrescentou: “Por me teres visto acreditaste, Tomé. Bem-aventurados aqueles que, embora não vejam, acreditam”. Respondendo disse Tomé: “Meu Senhor e meu Deus”.

São Gregório Magno comenta este fato, dizendo: “A incredulidade de Tomé não foi um acaso, mas prevista nos Planos de Deus. O discípulo, que, duvidando da ressurreição do Mestre, pós as mãos nas chagas do mesmo, curou com isso a ferida da nossa incredulidade”. Da sua vida anterior ao chamamento de Jesus para o apostolado nada sabemos. Provavelmente era pescador, como os quatro primeiros apóstolos. Em três momentos distintos aparece na vida do Senhor, como homem impulsivo e ao mesmo tempo cheio de dúvidas. “Vamos também nós morrer com ele”, disse aos seus companheiros a caminho de Betânia (Jo 11,16).  “Senhor não sabemos aonde vais, como vamos saber o caminho?”, pergunta inquieta e desconcertada a Jesus.

Nada sabemos ao certo dos fatos e da vida de Tomé depois de Pentecostes. A tradição parece com firmar que seu campo de apostolado se estendeu pelo Oriente até à Índia, onde morreu mártir, testemunha de Jesus Cristo como os outros apóstolos. Os cristãos de Malabar reclamam terem sido evangelizados por Tomé, afirmando que ele foi morto a golpe de lança. Provavelmente isso faz parte da literatura apócrifa  sobre Tomé. Porém, existe outra curiosidade sobre Tomé. Os primeiros jesuítas que chagaram ao Brasil estavam convencidos que Tomé tivesse passado pelo Brasil em sua viagem às Índias. Pois eles notaram uma lenda entre os índios que um grande mensageiro de Deus teria passado aqui nos tempos antigos, a quem chamavam de Suná, corruptela de Tomé?

Pe. Brendan Coleman Mc  Donald

Redentorista e Assessor da CNBB Reg. NE1

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Síntese da Assembleia Arquidiocesana de Pastoral

Festa de Nossa Senhora das Graças

Assembleia Geral da Cáritas Arquidiocesana de Fortaleza

Simpósio Ecumênico: “Iniciação à vida Cristã e Ecumenismo” tem inscrições abertas

Assembleia de avaliação e planejamento da Região Episcopal São Pedro e São Paulo


QR Code Business Card