Atualidades

[Artigo] Deus, bondade e ternura

Padre Geovane Saraiva*

O mistério da nossa vida é grande, belo e maravilhoso! Todo o nosso existir consta nos propósitos de Deus, numa relação tão estreita e íntima entre a criatura e o Criador, a ponto de pasmar as pessoas na mais profunda contemplação. É da essência de Deus um relacionamento terno, afetuoso e paternal, consciente da existência da sua sagrada vontade. Que a nossa fé, numa jubilosa gratidão, conduza-nos verdadeiramente ao sobrenatural, seguros de que pelo Espírito Divino é que se dá a manifestação e a ação de Deus na pessoa humana, por sua bondade e generosidade.padre-geovane

Dom Antônio Fragoso, primeiro bispo de Crateús-CE, certa vez asseverou: “Mulheres e homens crescem quando dão de si mesmo, e não quando estendem as mãos para receber”. Como é necessário perceber o dom da graça e da generosidade de Deus, indicando-nos que quer ver-nos sempre de cabeça erguida e com nossas lâmpadas acesas, na grande empreitada de que somos seus colaborares, na certeza de que, com o mestre da verdade e da justiça, entramos na lógica do caminho do amor e da esperança, na sua vontade indescritível e insondável, a partir dos esquecidos e sofredores de toda natureza, mesmo no seio das religiões.

Diante de excelso mistério, lembro-me de que aprendi, quando estudante de teologia, há muitos anos, que o que existe de mais excelente no amor de Deus é a sua ação misericordiosa e gratuita, agindo em nosso ser e perdoando-nos dos pecados, tornando-nos justos e santos. Que a santidade não vem  por méritos de nossa parte, mas vem da fé, por obra e graça do Espírito Santo de Deus, oferecida pela paixão, morte e ressurreição de Cristo e que dela participamos pelo batismo.

Precisamos do essencial, a luz da vida, que é o próprio Cristo Jesus, a iluminar e aquecer todos os que andam na escuridão e na sombra da morte, fazendo-nos compreender que antes de receber é preciso dar. A força libertadora e transformadora que se revelou há mais de dois mil anos em uma criança se revela nos nossos dias quando somos capazes de demonstrar a clareza da nossa fé, diante de pesadas cruzes, em circunstâncias diversas, quando há disposição para o diálogo e a cooperação, para o perdão e a misericórdia, essenciais à vida dos que fazem o seguimento de Jesus de Nazaré.

A ternura, sinal nítido do amor de Deus, vai ao encontro das pessoas que passam decepções, que se encontram fracas, indefesas e carentes de amor, visitando-as no sofrimento físico e espiritual, que aos olhos da fé precisa ser olhada como dom e graça, vista como a aurora anunciada pelo profeta Isaías, quando uma imensa luz rompeu a escuridão. Luz que nasceu em Belém e foi acolhida pelas mãos amorosas de Maria, pelo afeto de José, na alegria dos pastores. É o grande sinal da humildade de Deus levado ao extremo no reconhecimento dos magos, na divindade de Deus naquela frágil criança, indispensável à redenção da humanidade. Assim seja!

*Pároco de Santo Afonso e vice-presidente da Previdência  Sacerdotal, integra a  Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza – geovanesaraiva@gmail.com

 

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Alto Alegre realiza Festejo

Equipe da 5º Urgência da Região Nossa Senhora da Conceição promove encontro sobre Reforma Trabalhista

Alto do Moinho, em Canindé realiza festejo a seu Padroeiro

São Luís Gonzaga

Muticom de Férias acontecerá em Maranguape (CE)


QR Code Business Card