Atualidades

A fundamentação do Dízimo

Recentemente a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil publicaram um livrinho de quarenta e quatro páginas titulado “O Dízimo na Comunidade de Fé: Orientações e Propostas”. Este livro será de grande utilidade para os párocos da Nossa Arquidiocese e presta esclarecimentos importantes para os fiéis dizimistas. O dízimo é definido no livro  assim: Por meio do dízimo, que é uma contribuição motivada pela fé, os fiéis vivenciam a comunhão, a participação e a corresponsabilidade na evangelização”. É realmente uma contribuição sistemática e periódica dos fiéis, através da qual a comunidade assume corresponsavelmente sua sustentação e a da Igreja.

O sistema da contribuição do dízimo tem quatro características: a) É relacionado com a experiência de Deus e com o amor fraterno;  b) É um compromisso moral dos fiéis com a Igreja; c) É fixado de acordo com a consciência retamente formada; e d) É sistemático e periódico. É importante lembrar que a escolha da quantia de dinheiro destinada para o dízimo é decisão de consciência, iluminada pela Palavra de Deus, sensível às necessidades da Igreja e do próximo.

Os fundamentos bíblicos do dízimo são apresentados no livro em seis páginas e meia. São citados textos do Antigo além do Novo Testamento. O dízimo está vista sob outros prismas nessas páginas. Por exemplo: nos profetas, na prática da religião judaica no tempo de Jesus, nos textos sobre a partilha dos bens, nos escritos paulinos e especialmente nos textos do Novo Testamento. Além disso, o livro recorda para nós que o quinto mandamento dos Mandamentos da Igreja nos obriga a “ajudar a Igreja em suas necessidades”, com o esclarecimento que cada fiel o faça “conforme as próprias possibilidades”. O texto fala das finalidades do dízimo assim: “ Organizar o culto divino, prover o sustento do clero e dos demais ministros, praticar obras de apostolado, de missão e de caridade, principalmente em favor dos pobres”. Assim o texto está em perfeita sintonia com o Código de Direito Canônico que estabelece que todos “os fiéis têm obrigação de socorrer as necessidades da Igreja” (cf. Cân. 222. 1).

O segundo capítulo do livro trata de orientações para a pastoral do dízimo. Este capítulo aborda cinco temas: a) A implantação do dízimo; b) A organização e o funcionamento da Pastoral do Dízimo; c) Os agentes da Pastoral do Dízimo; d) O dízimo da Pastoral de Conjunto; e) A motivação permanente. Estes temas são de grande importância para os padres e os agentes da Pastoral do Dízimo. Segundo o livro estas orientações e propostas são oferecidas às nossas comunidades como uma referência em seu empenho de conversão pastoral e de renovação comunitária. (Fonte: Doc. da CNBB, 106).

Pe. Brendan Coleman Mc Donald, Redentorista e Assessor da CNBB Reg. NE1

padre-Brendan200

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

festa-da-vida_popup

8ª Festa da Vida na Arquidiocese de Fortaleza

santa-luzia_t

Paróquia vai receber visita da relíquia de Santa Luzia

padre-ruy_t

Padre Antônio Ruy Barbosa Mendes celebra 25 anos de ordenação presbiteral

brendan_

[Artigo] O STF E A IGREJA CATÓLICA

CNBB-OK

Nomeados bispos para Grajaú e Rio de Janeiro


QR Code Business Card