Atualidades

[ARTIGOS] Reforma Política

padre-Brendan200Está em circulação uma cartilha de quarenta páginas titulada “Projeto de Iniciativa Popular de Reforma Política Democrática e Eleições Limpas”.  A Coalização pela Reforma Política Democrática é formada pela OAB, CNBB, Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, Plataforma dos movimentos sociais pela reforma do sistema político e outras 97 entidades da sociedade civil. O Brasil está precisando de mudanças como a reforma urbana, agrária, educacional, saúde, entre outras. Tudo isso só se tornará possível com a alteração da atual composição do Congresso Nacional. Por isto a primeira reforma é a Reforma Política Democrática. Com isso em mente a Coalização acima citada elaborou um Projeto de Iniciativa Popular. Este Projeto oferece respostas às quatro mais graves questões que degradam a democracia brasileira.

1 – Afastamento do poder econômico das eleições. O poder econômico nas eleições faz com que a maioria dos parlamentares represente  as elites econômicas  e não a maioria do povo, e é o maior canal de corrupção eleitoral. Empresários têm três vezes mais representantes que sindicalistas! A coalização propõe o financiamento público de campanha com o financiamento de pessoas físicas, limitado a R$ 700.00 reais por contribuinte e até 40% do total da contribuição pública.

2 – Adoção do sistema eleitoral proporcional em dois turnos. No atual sistema eleitoral, o voto é dado ao candidato e não ao partido, favorecendo quem tem mais dinheiro. A proposta da Coalização é: “No primeiro turno, o voto é dado ao partido, em seu programa e na lista pré-ordenada de candidatos elaborada democraticamente, em eleições internas”. Isso vai combater os partidos de aluguel e reduz os custos das campanhas. No segundo turno o voto é dado ao candidato da preferência do eleitor conforme a lista elaborada no primeiro turno.

3 – Fortalecimento da Democracia Direta. Nova regulamentação dos mecanismos da democracia direta que fixará os assuntos de grande importância que deverão ser objeto de Plebiscito ou Referendo, tais como: concessões de serviços públicos, privatizações, construção de obras de grande impacto ambiental, além de facilitar a apresentação de Projetos de Iniciativa Popular.

4 – Ampliação do papel das mulheres na política. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) as mulheres representam 51,3% do eleitorado. Todavia, entre os 513 deputados somente 46 são mulheres (8,96%). E entre os 81 senadores, 8 são mulheres (9,81%).Este Projeto quer estimular os partidos para incorporarem candidatos e segmentos sociais sub-representados.

Para contribuir com esta campanha a Coalização está convidando pessoas para: colecionar assinaturas, formar Comitês nos municípios, locais de trabalho e moradia, participar dos atos da Coalização e divulgando os materiais nas redes sociais etc. Assim, estamos contribuindo para acabar com as causas da corrupção eleitoral e criando um sistema político livre da influência do poder econômico e mais sensível às aspirações populares. Acesse: www.reformapoliticademocratica.org.br

Fonte: Confere Cartilha da Coalização. Lista das 97 entidades mencionadas na última página da Cartilha.

                                                          Pe. Dr. Brendan Coleman Mc Donald,  Redentorista e Assessor da CNBB Reg. NE1

 

 

 

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Grande Concerto de Natal na paróquia de São João Batista do Tauape.

Ordenações Diaconais na Catedral Metropolitana de Fortaleza dia 21 de dezembro

Dom Aloísio em nossos corações

Papa: a boa política está ao serviço da paz

Entrevista: CF 2019 – A felicidade humana como horizonte das Políticas Públicas


QR Code Business Card