Atualidades

[ARTIGO] O Legado da Copa e a Igreja

Terminada a Copa do Mundo, acredito que muitos segmentos da sociedade estão fazendo reflexões a respeito do legado desse evento. Folder-Copa-do-Mundo-300

Indubitavelmente, não podemos negar que, durante a preparação para a Copa, houve denúncias de superfaturamentos, constatação de uma cultura de procrastinação, do atraso e do adiamento que é um dos nossos problemas civilizatórios. Mas, para alegria nossa, durante e após a Copa, consideramos que ela proporcionou a confraternização, o espírito esportivo e entretenimento para todos, inclusive, para as seleções que não ganharam, dentre elas a do Brasil. Ela uniu pessoas de todos os cantos do mundo, levando-as a conhecer novas culturas e povos.

Desse modo, sentimos que o futebol não é mais sinônimo de alienação como diziam pensadores de orientação hegeliana e marxista. Eles avaliavam a folia futebolística do povo como alienação, promovida pelos governos que o distrairiam com “pão e circo” como os antigos imperadores romanos. Hoje, mudada essa visão, vem o otimismo, a cordialidade e a leveza do nosso povo com as pessoas de culturas diferentes da nossa. Notável foi a brasilidade viva. Culto à bandeira. Uso do verde e amarelo. Hino Nacional. Também a religiosidade popular católica de alguns jogadores até estrangeiros que, ao seu modo, fizeram o sinal da cruz. Exceções à parte, o espírito esportivo prevaleceu na arte e técnica, e no respeito às regras do jogo.

Para a Igreja (CNBB e Arquidiocese de Fortaleza), na Pastoral do Turismo, tendo à frente da coordenação o Bispo Auxiliar de Fortaleza, Dom Vasconcelos, Pe. Gilson e setor de comunicação da Arquidiocese, o grande legado dessa Copa foi a oportunidade de conscientizar visitantes e nativos sobre o não uso de drogas, e o tráfico humano, e o acolhimento humano fraterno e religioso aos turistas. Para os turistas estrangeiros, a Arquidiocese organizou, em nove Paróquias da Capital, missas em diversas línguas. Dentre as paróquias, destaco a de São Vicente de Paulo, que celebrou seis missas em Inglês e Francês. Estavam presentes nessas missas pessoas dos Estados Unidos, Alemanha, Marrocos, Índia, França, Holanda, Guiné Bissau e México. A pedido de professores, estudantes, pessoas que viajam ao exterior e admiradores das línguas estrangeiras a Paróquia de São Vicente de Paulo – Avenida Desembargador Moreira 2211 está realizando todos os sábados, às  18h, missas em Francês e, às 19h, missas em Inglês.

A grande esperança da Igreja, após a Copa do Mundo, é que o mesmo patriotismo tão visível no rosto dos brasileiros, continue, mormente, durante e pós-eleição. Que o mesmo patriotismo exija dos postulantes ao executivo e legislativo melhor educação, saúde, segurança e emprego para o povo. Que a Copa tenha nos deixado para nós brasileiros o legado de uma catarse.

 

Pe. Raimundo Nonato de Oliveira Neto

Pároco de São Vicente

 

 

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Novo bispo para a diocese de Corumbá (MS)

Papa nomeia novo bispo para a diocese vacante de Palmeira dos Índios (AL)

Papa na Audiência Geral: Natal, revanche da humildade sobre a arrogância

CNBB produz Documentário especial de fim de ano sobre ‘Igreja em Saída’

Grande Concerto de Natal na paróquia de São João Batista do Tauape.


QR Code Business Card