Atualidades

25 de março – Domingo de Ramos Coleta Nacional da Solidariedade  

Arquidiocese de Fortaleza
Campanha da Fraternidade 2018

“Fraternidade e Superação da Violência”
Vós sois todos irmãos (Mt 23,8)

Objetivo da Campanha da Fraternidade 2018: Construir a Fraternidade, promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, à luz da Palavra de Deus, como caminho de superação da violência (CF 2018 Texto-Base).

A CF é realizada no período quaresmal – tempo em que o cristão é convocado à conversão, à mudança de vida. É um “caminho pessoal, comunitário e social que visibilize a salvação paterna de Deus”, como explicita o Texto-Base da CF 2018.

O coração humano precisa ser pacificado: “A superação da violência passa necessariamente pela conversão dos atos do homem que pressupõe uma conversão de seu coração” (Texto-Base n. 172).

Ao longo do ano, a CF nos lembra que “a promoção da paz se torna um ministério de todo cristão” (Texto-Base n. 169). Por isso nos convida a promover a paz por meio da reconciliação e da misericórdia. Se a violência se caracteriza pela ausência do amor e da fraternidade, cabe a cada cristão amar e semear o amor, pois somos filhos amados de Deus. “Brilhe a vossa luz diante das pessoas, para que vejam as vossas boas obras e louvem o vosso Pai que está nos céus” (Mt 5,16).

2 – Superação da violência em suas diversas manifestações:

Violência racial, contra crianças, adolescentes, jovens, idosos, mulheres e homens, homossexuais, transexuais, violência doméstica, contra trabalhadores rurais, povos indígenas, intolerância religiosa, exploração sexual, tráfico humano, violência da mídia, violência no transito, violência policial …

3 – Dados de violência
O Brasil possui menos de 3% da população mundial e é responsável por quase 13% dos assassinatos no Planeta. Em 2014 o Brasil chegou ao topo do ranking de homicídios: 59.627 mortes (Ipea).
Em 2017, no Ceará, houve 16 assassinatos de transexuais. E no Brasil a cada 48 horas uma (1) pessoa transexual ou travesti é assassinada. Em 2017, foram registrados 179 casos e, em 85% deles, com requintes de crueldade.
No Ceará, em 2017, ocorreram 4.681 assassinatos, sendo 1.801 em Fortaleza. Dentre estes 884 eram jovens de 10 a 19 anos. Um jovem negro tem 4,5 vezes maior possibilidade de ser assassinado do que um jovem branco. 44% das mortes de adolescentes em Fortaleza ocorreram em 17 dos 119 bairros da capital, 87% nos bairros onde residiam e 64% já tinham amigos ou familiares assassinados.
Assassinatos de mulheres em 2016, no Ceará: 186. Em 2017: 319. Houve um aumento de 71%. (Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará)
No final de 2017, no Ceará, o número de encarcerados era de 27.619, para 13.262 vagas. É o estado do Brasil com maior número de presos sem condenação (presos provisórios): 66%. Deste total 50,6% são jovens – entre 22 e 29 anos – a maioria pardos e negros. (Censo Penitenciário).

PAPA FRANCISCO
 “A violência não é o remédio para o nosso mundo dilacerado. Responder à violência com a violência leva, na melhor das hipóteses, a migrações forçadas e a atrozes sofrimentos, porque grandes quantidades de recursos são destinadas a fins militares e subtraídas às exigências do dia-a-dia dos jovens, das famílias em dificuldade, dos idosos, dos doentes, da grande maioria dos habitantes da terra. No pior dos casos, pode levar à morte física e espiritual de muitos, se não mesmo de todos.”

4 – Ações de superação da violência:
Existem muitas e variadas experiências de prevenção, cuidado e de trabalho para superação da violência, que precisam de mais atenção, visibilidade, recursos, apoio do estado, que só virão com ampla mobilização social para que se tornem mais relevantes e valorizadas. Do que se conclui que é necessário:
– Mapear as experiências no Ceará, a começar pelas ações desenvolvidas pela Igreja Católica, que possui uma extensa rede de projetos e serviços, que valorizam a cidadania e a dignidade dos empobrecidos.
– Realizar, em nível arquidiocesano e paroquial, levantamento das pastorais e instituições, governamentais ou não, que fazem trabalho de prevenção à violência, incentivando suas ações, cumprindo a máxima: conhecer para valorizar.
– Promover ampla campanha sobre a importância do desarmamento para superar o atual quadro de violência, incentivando a renúncia ao uso de armas, como proteção e status, sobretudo por parte da juventude.
– Fortalecer a responsabilidade social e política da comunidade cristã nos círculos bíblicos, nos grupos de oração, nos momentos de reflexão, na catequese, na leitura orante da bíblia, na liturgia, pois esta é uma exigência da fé.
– Incentivar a formação de redes locais, diocesanas ou paroquiais, de ação para defesa dos direitos de crianças, adolescentes e jovens – na perspectiva da prevenção da violência, valorizando os instrumentos para defendê-los, a exemplo do Estatuto da Criança e do Adolescente, do Estatuto da Juventude, da Audiência de Custódia e outros instrumentos de defesa.

5 – Fundo de Solidariedade na Arquidiocese de Fortaleza: 

5.1. Objetivo:
“Apoiar projetos que combatam a exclusão social (fome, miséria, condições precárias de vida, falta de moradia…) a partir da promoção e da organização dos grupos de excluídos, reforçando os laços de solidariedade entre eles e entre agentes de pastorais e organizações sociais comprometidos com a promoção humana e as transformações sociais” (Cartilha Fundo Diocesano de Solidariedade, 2009, Cáritas Brasileira-Organismo da CNBB).

5.2 Critérios para Aprovação dos Projetos na Arquidiocese de Fortaleza
– Os projetos devem ser entregues à Cáritas ou ao Secretariado de Pastoral, até o dia 10 de cada mês.
– O valor máximo de apoio a projetos é R$ 6.000,00 sendo que, somente até 1/3 deste total pode ser utilizado para assessoria.
– Todos os projetos devem, sempre, apresentar contrapartida.
– Cada grupo, pastoral, entidade, só pode apresentar por ano um projeto, o qual deve ser acompanhado de uma carta de apresentação
assinada pelo pároco ou padre de referência do grupo.
– Os projetos apresentados à Comissão, se aprovados, terão até 60 dias para recebimento dos recursos, sendo assim, a data prevista para início da execução do projeto deverá sempre levar em conta este prazo.
-Novos projetos só serão analisados mediante prestação de contas do projeto anterior, se não houver nenhuma pendência.

UMA DICA: Sempre que possível os projetos sejam realizados em parceria com a Paróquia e/ou Região Episcopal

5.3  Forma de distribuição dos Recursos
40% – Projetos dentro da temática da CF;
30% – Projetos das Pastorais Sociais;
10% – Animação, divulgação e realização das Campanhas (Fraternidade,   Missionária e da Evangelização);
10% – Projeto de acompanhamento anual do Grito dos Excluídos;
05% – Questões emergenciais;
05% – Despesas Administrativas.

5.4 Para onde foi a Coleta da CF 2017

Projetos Comunidade, Pastoral,
Instituição
Apro-vação Valor (R$)
01 Apoio Eclesial Profético às ações de Defesa dos Direitos das Crianças e Adolescentes em
Situação de Vulnerabilidade Social.
Pastoral do Menor 24/03 3.728,80
02 Encontro de Mulheres Presas e Assembleia Anual da Pastoral Carcerária. Pastoral Carcerária 05/06 4.500,00
03 Formação permanente sobre tabagismo. Pastoral da Sobriedade 05/06 3.094,00
04 Mulheres Organizadas pelo Bem Viver Associação das Mulheres em Ação – AMA 14/06 4.500,00
05 Pastoral da Pessoa Idosa Pastoral da Pessoa Idosa 14/06 4.500,00
06 Um Grito pela Liberdade, pela Dignidade e pela Vida Rede Um Grito pela Vida CRB Fortaleza-CE 14/06 3.200,00
07 Cuidar da vida e da Criação a partir do Migrante Pastoral do Migrante 14/06 4.486,00
08 III Encontro de articulação e formação de agentes de pastoral do Nordeste. Pastoral do Povo da Rua 28/07 4.500,00
09 Grito dos Excluídos 2017. Articulação das Pastorais Sociais 05/09 13.800,00
10 Juventudes em Defesa da Vida
dos Povos e da Mãe Terra.
Região Episcopal Nossa Senhora dos Prazeres 25/10 4.450,00
11 Cuidando das mulheres em
situação de vulnerabilidade social.
Associação Espaço Luz 25/10 4.170,00
12 9ª Festa da Vida Coordenação da Festa da Vida 09/12 4.500,00
13 Pastoral Afro na Arquidiocese de Fortaleza Pastoral Afro Paróquia Santa Luzia 09/12 4.500,00
14 Eu vim para servir Comunidades Eclesiais de Base – CEBs 09/12 4.500,00
15 Em defesa da água, em defesa da vida Paróquia São Luís Gonzaga 09/12 3.600,00
16 Pensando Verde Instituto Murialdo 09/12 4.500,00
17 Apoio às ações socioambientais
nos sertões de Canindé
Associação de Prevenção da Natureza e Cultura Popular – Aprenac 09/12 4.500,00
18 Empoderamento dos Pescadores e Marisqueiras da Reserva Extrativista do Batoque Associação dos Pescadores e Marisqueiras da Reserva Extrativista do Batoque 09/12 4.500,00

 

APLICAÇÃO DOS RECURSOS DA CF 2017 VALORES (R$)
Total da Coleta da CF 2017 = 100% 232.181,25
Enviado ao Fundo Nacional de Solidariedade = 40% 92.872,50
Repassado ao Fundo Diocesano de Solidariedade = 60% 139.308,75
Rendimentos em 2017 402,64
Total em 2017 139.711,39
Projetos Aprovados em 2017 85.528,80
Despesas Bancárias 6.057,75
Despesas Administrativas 6.965,44
Total de Saídas em 2017 93.100,01
Saldo em 31/12/2017 46.611,38

Você pode fazer seu gesto concreto da CF 2018 participando da coleta nacional da solidariedade, dia 25 de março, Domingo de Ramos, na sua paróquia, comunidade, ministério ou grupo.

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

A Paróquia São João Batista em Horizonte intensifica o “Dia do Pobre” para os mais necessitados

Urna com parte dos Restos Mortais de Dom Aloísio Lorscheider chega em Fortaleza

Audiência Papa: Orquestra brasileira toca música erudita com referências à cultura nordestina

Papa nomeia bispo o monsenhor Carlos José para a vacante diocese de Apucarana (PR)

Rede Cearense realiza a 17ª edição do Feirão de Socioeconomia Solidária


QR Code Business Card