Maio 2019 | Arquidiocese de Fortaleza

Publicado em 31/05/2019 por Leonardo Sousa

Trezena de Santo Antônio de Pádua, na Paróquia Nossa Senhora Mãe da Igreja

A Paróquia Nossa Senhora Mãe da Igreja, nos bairros Parque Rio Branco e Presidente Kennedy realiza, de 1º a 13 de junho os festejos de Santo Antônio de Pádua. A oração da Trezena em honra ao Santo doutor da Igreja tem início às 18h30min, seguida de Missa às 19h, e parte social após a celebração com diversas atrações.

santo Antonio

Os treze dias de festividade são organizado pela Associação dos Amigos de Santo Antônio, que estará completando 22 anos, esse ano, de atividades na paróquia. O local da festa fica situado a Rua Dr. Edson de Carvalho Lima, 377 – Parque Rio Branco. Maiores informações pelo telefone (85) 3478 4723 (secretaria da Paróquia).

  Acompanhe as notícias da Festa Antoniana pelo facebook do Jornal Tribo de Levi, no link: https://www.facebook.com/jornaltribodelevi/

Fonte: Jornal Tribo de Levi

Publicado em 31/05/2019 por João Augusto

Oração na Catedral ortodoxa Salvação do Povo, em Bucareste

Texto integral da saudação do Papa na Oração do Pai Nosso

Publicado em 31/05/2019 por João Augusto

Festa de Santa Paula Frassinetti na Granja Lisboa

A Área Pastoral Santa Paula Frassinetti realiza de 02 a 12 de junho a festa de sua padroeira. Todos os dias novenas às 18h30min, seguida da Parte Social com barracas com comidas deliciosas e atrações para alegrar os festejos.

A Área Pastoral Santa Paula Frassinetti fica na Av. Ari Maia, 950 – Granja Lisboa – Fortaleza, Ce. Informações pelo telefone (85) 3497.0713, na Secretaria.

Programação

Dia 02 de Junho – Domingo (Missa de Abertura)
6 – Alvorada.
7h – Celebração Eucarística presidida pelo Padre Douglas e Padre Wesley.
Animação: Santa Paula Frassinetti.
18h30min – Novena.
19h – Celebração Eucarística presidida pelo Padre Douglas  e Padre Wesley.
Animação: Santa Paula Frassinetti.
Acolhida: Catequese.

Dia 03 de Junho – Segunda-Feira
18h30min – Novena.
19h – Celebração Eucarística presidida pelo Padre Francisco.
Comunidades: São José (Vila Pery).
Acolhida: Terço da Misericórdia.

Dia 04 de Junho – Terça-Feira
18h30min – Novena.
19h – Celebração Eucarística presidida pelo Padre Roberto.
Comunidades: Sagrado Coração, São Bento e São José (Planalto).
Acolhida: Apostolado da Oração.

Dia 05 de Junho – Quarta-Feira
18h30min – Novena.
19h Celebração Eucarística presidida pelo Padre Emílio Castelo.
Comunidades – Vila Manoel Sátiro.
Acolhida – Terço das Mulheres.

Dia 06 de Junho – Quinta-Feira
18h30min – Novena.
19h – Celebração Eucarística presidida pelo Padre Guilherme.
Comunidades – São Sebastião e Nossa Senhora de Fátima.
Acolhida – Dízimo.

Dia 07 de Junho – Sexta-Feira
18h30min – Novena.
19h – Celebração Eucarística presidida por Dom Rosalvo.
Comunidades – Santa Cecília.
Acolhida – Terço dos Homens.

Dia 08 de Junho – Sábado
9h – Missa com os Idosos.
18h30min – Novena.
19h – Celebração Eucarística presidida pelo Padre Zacarias.
Comunidades – General Sampaio (Recanto).
Acolhida – Catequese de Adulto.

Dia 09 de Junho – Domingo
18h30min – Novena.
19h – Celebração Eucarística presidida pelo Padre Vicente.
Comunidades – Sagrada Família.
Acolhida – Ministério de Música de Santa Paula.

Parte Social – Bingão de Santa Paula.

Dia 10 de Junho – Segunda-Feira
18h30min – Novena.
19h – Celebração Eucarística presidida pelo Pe. Fernando
Antônio.
Comunidades – São Francisco e São José (Cariocas).
Acolhida – Coroinhas.

Dia 11 de Junho – Terça-Feira
19h – Celebração Eucarística presidida pelo Padre Wesley.
Comunidades – Santa Teresinha  e São João.
Acolhida – Pastoral Familia.

Dia 12 de Junho – Quarta-Feira
19h – Celebração Eucarística presidida pelo Padre Douglas
Comunidade – Santa Paula Frassinetti  e Jesus é o
Senhor.

Publicado em 31/05/2019 por João Augusto

Bispo: Servidor dos Servidores

Maria

Padre Geovane Saraiva*

Voltando-me para Santo Agostinho, numa reflexão sobre os bispos, pensei em Maria, na condição de Rainha dos Apóstolos, em união com aquele que gerou, hauriu da misteriosa força do seu múnus apostólico, na sua íntima e encantadora realidade salvífica, naquele amor, que podemos imaginar como sendo o mais inflamado, sublime e restaurador.

Daí a participação do doutor da graça e dos bispos, no sacerdócio de Cristo! Só lhe acrescenta responsabilidade e pena, ao afiançar: “O que tenho em comum convosco enche-me de entusiasmo; o que tenho diferente de vós atormenta-me, enche-me de tremor”. Que os bispos saibam sempre mais se voltarem para o Livro Sagrado, enxergando aí Nossa Senhora, e a partir dela a redenção, Jesus de Nazaré imolado, na sorte de associar-se aos seus sofrimentos.

A grandeza de Maria, na minha inconsistente imaginação, pode muito ajudar os bispos nos nossos difíceis tempos, ela que, ao nos presentear com o Messias-Redentor, também participa de sua suprema imolação entre tormentos, pela sua transcendente, inaudita e sublime entrega. O bispo, com efeito, é o Servidor dos Servidores. Antes de tudo, ele é o servo dos padres e dos religiosos. Sua tarefa de amor na Igreja deverá primar pela atenção dada aos que ocupam os postos imediatos e diretos de serviço aos fiéis. No supracitado apostolado da Mãe do Redentor, na mais segura confiança de que é o Espírito da Verdade que o acompanha, passo a passo, descobre-se a grandeza do trabalho específico, implacável quanto indulgente, dos sacerdotes com o bispo, unidos ao Papa.

Missão do bispo na saudação do Anjo Gabriel: “Não temas, Maria (…). O Espírito Santo descerá sobre ti e a força do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra” (Lc 1, 30-35). O bispo em particular tem que se considerar qual pálida imagem da Virgem. É pai, como ela foi mãe, por obra do Consolador, o Paráclito. Terá também que exercer seu governo com entranhas de bondade e clemência, semelhantes às da doce mãe da nova humanidade (cf. Dom José M. Delgado).

Que seja real e constante a presença da Mãe de Deus no pastoreio de nossos bispos. Que a Santíssima Virgem Maria nos proteja e nos revele aquela paz tão sonhada por Deus, a qual o Brasil tanto necessita! Assim seja!

*Pároco de Santo Afonso, Blogueiro, Escritor e Colunista, integra a Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza.

Artigos Relacionados

Publicado em 31/05/2019 por João Augusto

Ascensão de Jesus

No dia 2 de junho deste ano de 2019 celebramos a Festa da Ascensão do Senhor. A Bíblia diz que “Jesus subiu ao céu na presença dos seus discípulos”. Infelizmente muitas pessoas acreditam literalmente nesta frase. “A Bíblia usou neste caso uma linguagem simbólica para explicar um acontecimento verdadeiro. A verdade é que Jesus, depois de ter comprido fielmente a missão que seu Pai o deu aqui na terra foi glorificado por este mesmo Pai. Assim como o vencedor num evento nas Olimpíadas sobe ao pódio e é aclamado por todos os presentes, assim também a Bíblia usa a expressão que Jesus “subiu ao céu e está sentado à direita de Deus” para dizer que o mesmo Jesus, que morreu na cruz, mas ressuscitou, é o vencedor da morte e do pecado, é o grande Salvador da humanidade”. (cf. Pe. João Mc Dowell S.J. em  Religião também se Aprende, Vol. 5, p.9).

O citado teólogo afirma que “Hoje em dia essa linguagem presta-se a confusões. Muita gente, ouvindo falar do céu, pensa logo num lugar, lá em cima, onde moram Deus e os santos e para onde vão também as almas dos que se salvam. Mas essa idéia não é correta e, para muitos, com razão, parece ridícula”. De fato, sabemos que em torno do nosso planeta Terra, existe o Sistema Solar que se situa na Via Láctea, há um espaço imenso povoado de estrelas, planetas, galáxias, asteróides, cometas, gases nebulosos e poeiras interplanetárias etc. O espaço ao redor da Terra é imensurável, e obviamente Deus não se encontra neste espaço ou “lá em cima” como muitas pessoas dizem”.  O céu não é lugar, mas um estado de existência ou uma maneira de ser (cf. Catecismo da Igreja Católica, No. 2794), e neste estado de existência ou maneira de ser não há tempo ou espaço como as coisas materiais deste mundo exigem. Deus, porém, sendo um espírito puro não precisa de lugar nem de espaço. Ele está presente invisivelmente em todas as coisas, como o Criador que sustenta a sua existência.

O conceito de céu é realmente fora de nossa compreensão. A própria Bíblia afirma: “Aquilo que olho não viu nem ouvido ouviu nem mente humana concebeu, isso Deus preparou para os que o amam” (1 Cor 2, 9).  O teólogo Mac Dowell  afirma que “na Bíblia a palavra ‘céu’ é outra maneira de dizer Deus. Reino do Céu significa Reino de Deus, Pai celeste quer dizer Deus Pai. É um símbolo muito apropriado, porque o conceito que nós temos do céu, por sua beleza, paz e alegria, faz-nos lembrar de Deus (cf. op. cit. P.10). Concordo com o referido teólogo quando ele afirma “Ir para céu não significa entrar num lugar muito bonito, mas sim viver definitivamente em companhia de Deus, gozando da alegria da presença daquele que é a bondade infinita. Quem ama uma pessoa gosta de estar junta dela. Seu maior desejo é unir-se cada vez mais com ela. Quem gosta de Deus, que é puro amor, encontrará a sua felicidade completa em viver para sempre em comunhão total com ele e com todos os que o amam”. 

O Catecismo da Igreja Católica define o céu assim: “O céu é a comunidade bem-aventurada de todos os que estão perfeitamente incorporados a Ele (Cristo)” (No. 1026). “Viver no céu é ‘viver com Cristo’. Os eleitos vivem ‘nele’, mas lá conservam – ou melhor, lá encontram – sua verdadeira identidade, seu próprio nome” (No. 1025). “Em razão de sua transcendência, Deus só poderá ser visto tal como é quando Ele mesmo abrir seu mistério à contemplação direta do homem e o capacitar para tanto. Esta contemplação de Deus em sua gloria celeste é chamada pela Igreja de ‘visão beatífica’ (No. 1028)”.

Depois de sua morte no crepúsculo de sua presença física aqui na terra, Jesus, que amou o seu Pai celeste a ponto de renunciar à alegria de sua companhia, para assumir o destino de todos nós mortais, “foi envolvido pela glória de Deus como Filho querido e Senhor de todo o universo”. Jesus com sua morte e gloriosa ressurreição, abriu também para nós, seus irmãos, o caminho da vida verdadeira no amor e na paz na glória de Deus. Por isso a Ascensão de Jesus é para nós motivo de grande esperança porque acreditamos com Jesus glorificado e por Ele um dia chegaremos a participar da “felicidade eterna de Deus”. Portanto, a Ascensão de Jesus não quer dizer que Ele foi para um lugar lá no alto, onde Deus reside. Deus é espírito: não está em nenhum lugar especial do universo, mas envolve toda a criação com o seu amor e poder. Ir para o céu significa começar uma vida nova, de paz e alegria, na presença amiga de Deus. É importante lembrar que não foi no dia da Ascensão que Jesus voltou ao céu. Desde o momento de sua morte na cruz Ele já foi glorificado por seu Pai. Por isso Ele disse ao ladrão arrependido a famosa frase: “Hoje estarás comigo no Paraíso”.

Mas a Ascensão de Jesus não significa que Ele nos abandonou. Ele estará sempre no meio de nós, não mais visível em sua natureza humana, como os apóstolos o viam. Mas estará presente entre nós por meio da Palavra do Evangelho, anunciada na Igreja, e por meio de seu Espírito Santo que atua em nossos corações. Ele está presente de modo particular na Eucaristia, e nas reuniões de orações dos cristãos. Ele está agindo nos sacramentos e continuará sua obra salvífica na Igreja, que é seu Corpo Místico. Estará presente também em nosso próximo, particularmente no mais necessitado: “Todas as vezes que vocês fizeram isto a um destes seus irmãos mais pequeninos, foi a mim que o fizeram” (Mc 10, 51). Hoje Jesus continua permanecendo “no meio de nós” A Ascensão não significa uma separação. Jesus nunca nos abandonou. Ele mesmo disse: “Estarei com vocês todos os dias até o fim do mundo”. Portanto “Ele está no meio de nós” como recitamos com tanta convicção nas nossas celebrações.

Pe. Brendan Coleman Mc Donald
Redentorista e Assessor da CNBB Reg. NE1

Artigos Relacionados

Publicado em 31/05/2019 por João Augusto

A solenidade da Ascensão do Senhor é celebrada neste domingo, 02 de junho

Na quinta-feira da sexta semana do Tempo Pascal celebra-se no Vaticano e em alguns países do mundo, a solenidade da Ascensão do Senhor, que no Brasil e em outras nações, é comemorada no domingo. Dom Edmar Peron, bispo de Paranaguá (PR) e presidente da Comissão para a Liturgia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) explica que a Igreja no Brasil transferiu a festa da Ascensão para o domingo para poder facilitar a participação do povo na celebração.

A Ascensão de Cristo celebra a subida de Jesus ao céu 40 dias após sua ressurreição. O período conclui a presença de Cristo no contexto histórico e inaugura a história da Igreja. Neste contexto, dom Edmar afirma que o período marca um fim e um começo. O fim de acordo com ele é por conta da conclusão da missão do Senhor, na qual ele a entrega aos Apóstolos para que levem o anúncio às nações. “E ao mesmo tempo é o início, ou seja, a Igreja que depois da Ascensão é chamada a ir”, afirma o bispo.

Dom Edmar explica que nos Atos dos Apóstolos, a Ascensão é descrita por meio de uma mensagem aos Apóstolos, que continuavam olhando para o céu, enquanto Jesus subia. Na ocasião, ele conta que apareceram dois homens vestidos de branco (mensageiros) que lhes disseram: ‘Homens da Galileia, por que ficais aqui, parados, olhando para o céu? Esse Jesus que vos foi levado para o céu virá do mesmo modo como o vistes partir para o céu’.

Ainda conforme o bispo, o Evangelho retoma essa mesma compreensão acerca da Ascensão, apresentando o encontro final de Jesus ressuscitado com os seus discípulos, em um monte da Galileia.  Dom Edmar salienta que a comunidade dos discípulos, reunida à volta de Jesus ressuscitado, reconhece-o como o seu Senhor e recebe dele a missão de continuar no mundo o testemunho do Reino. “Jesus disse que o seu Evangelho, o Evangelho do Reino deve chegar a todas as nações”, aponta dom Edmar.

Esse reconhecimento também pode ser percebido nos textos do Missal Romano, conforme dom Edmar.  “Na Ascensão, o Senhor não subiu aos céus para nos afastar da nossa humanidade, mas para nos garantir de que a nossa meta é também chegar à casa do pai, então a nossa humanidade segundo o cânon romano entra no paraíso com a Ascensão de Jesus aos céus”, finaliza.

Fonte: CNBB

Publicado em 30/05/2019 por João Augusto

Festa da Paróquia Santo Antônio de Pádua – Granja Portugal

A Paróquia Santo Antônio de Pádua, no bairro Granja Portugal  realiza os festejos do seu Padroeiro do dia 1º a 13 de Junho de 2019 tendo como tema “Com Santo Antônio homem justo e servidor, buscamos a justiça e o amor” e como lema “ Servo fiel às obras do Pai” .

Durante todos os dias novenas e missas com a presença de padres da Arquidiocese de Fortaleza, oração e louvor.

Na parte social a animação está garantida com diversas atrações como festival de talentos, leilão, bandas locais, bandas católicas, festival de quadrilhas, área de alimentação com cardápio de comidas típicas.

A entrada é GRATUITA.

Todos são convidados a viver esse momento de fé, amor e devoção.

A Igreja de Santo Antônio de Pádua fica localizada na Rua Taquari 2231, Granja Portugal – Fortaleza-ce.

Maiores informações: (85) 3036-4388.

Publicado em 29/05/2019 por João Augusto

Festa da Paróquia Santo Antônio de Pádua na Maraponga

A Paróquia Santo Antônio de Pádua, na Maraponga realizará de 01 a 13 de Junho a festa do seu padroeiro com Trezena, às 19h e Santa Missa às 19h30min tendo como tema “Antônio, palavras de Fogo, vida de Luz”.

A Igreja fica na Rua Lourenço Pessoa, 760 – Maraponga. Informações pelo telefone (85) 3298.2272; 9 8738.2102, na Secretaria Paroquial. 

Programação

Dia 1º de Junho
18h – Abertura com Hasteamento da Bandeira, Trezena e Santa Missa presidida pelo Frei José Augusto, OFMConv. (Vigário Paroquial da Igreja Santo Antônio de Pádua) abordando subtema: “O encontro com a mulher leprosa” animada pela Comunidade Santo Antônio.
Parte Social – Forrozão Sertanejo com Chico João.

Dia 02 de Junho
19h – Trezena.
19h30min – Santa Missa presidida pelo Monsenhor Virgínio Serpa (Vigário Geral Moderador da Cúria da Arquidiocese de Fortaleza)  abordando subtema “O discurso nas águas” animada pela Comunidade Maria Porta do Céu.
Parte Social – Forró do Ricardão.

Dia 03 de Junho
19h – Trezena.
19h30min – Santa Missa presidida pelo Frei Gleison Silva, OFMConv (Paróquia Beata Irmã Dulce dos Pobres / Teresina – PI). Abordando o subtema “O encontro com os doutores da Igreja” animada pela Comunidade São Marcelino Champagnat.
Parte Social – Diana e Amigos / Vaqueiros do Forró.

Dia 04 de Junho
19h – Trezena.
19h30min – Santa Missa presidida pelo Frei Wilton Rocha, OFMConv (Pároco da Igreja Santo Antônio de Pádua – Maraponga) abordando subtema “Visita ao encarcerado”. Animada pela Comunidade Santo Inácio de Loyola.
Parte Social – Zé Iris e banda.

Dia 05 de Junho
19h – Trezena.
19h30min – Santa Missa presidida pelo Frei Ribamar Soares, OFMCon (Vigário Paroquial da Igreja Santo Antonio de Pádua – Maraponga)  abordando subtema “Fala aos ricos da cidade” animada pela Comunidade Santa Rita de Cássia.
Parte Social – Forrozão Só na Pegada.

Dia 06 de Junho
19h – Trezena.
19h30min – Santa Missa presidida pelo Padre Fernando Carvalho (Pároco da Igreja São Francisco das Chagas – Jereissati II) abordando subtema “O encontro com a mulher adúltera” animada pela Comunidade Santa Edwiges.
Parte Social – Forrozão Só na Pegada.

Dia 07 de Junho
19h – Trezena.
19h30min – Santa Missa presidida pelo Padre Rivaldo Feitosa (Pároco da Igreja de São Francisco Xavier do Conjunto Esperança) abordando subtema “O inocente no tribunal” animada pela Comunidade Santo Antônio de Pádua.
Parte Social – Leilão.

Dia 08 de Junho
Das 8h às 12h – Ação Social.
18h – Procissão com Crianças em honra a Santo Antônio.
19h – Trezena.
19h30min – Santa Missa presidida por Dom Valdemir Vicente (Bispo Auxiliar da Arquidicoese de Fortaleza) abordando subtema “O encontro com o Menino Jesus”.
Parte Social – Charles Braw e Forró Kidança.

Dia 09 de Junho
19h – Trezena.
19h30min – Santa Missa presidida pelo Frei Batalha Jr. OFMConv (Vigário Paroquial da Igreja Santo Antônio de Pádua – Maraponga) abordando subtema “Abençoa os alimentos” animada pela Comunidade São Francisco de Assis.
Parte Social – Quadrilha Rainha Imaculada e caldo de bila, louvor e alegria.

Dia 10 de Junho
19h – Trezena.
19h30min – Santa Missa presidida pelo Padre Vicente (Reitor do Seminário Propedêutico Dom Aloísio Lorscheider – Fortaleza) abordando subtema “Receber o Dom da Palavra para anuncia-la” animada pela Comunidade Santo Antônio”.
Parte Social  – Mateus e Wendel e Banda.

Dia 11 de Junho
19h – Trezena.
19h30min – Santa Missa presidida pelo Padre José Renário Silva, SDS (Vigário Paroquial da Igreja São José – Vila Pery) abordando subtema “A serviço dos pobres” animada pela Comunidade São Marcelino e Santa Edwirges.
Parte Social – Os Januários.

Dia 12 de Junho
19h – Trezena.
19h30min – Santa Missa presidida pelo Padre Daniel Morais (Pároco da Igreja Nossa senhora do Perpétuo Socorro – Mondubim) abordando subtema “Encontra Jesus em seu leito de morte” animada pela Comunidade Santa Inácio e São Francisco.
Parte Social – Silvio’s Night e Convidados.

Dia 13 de Junho
18h – Procissão em Honra a Santo Antônio seguida de Santa Missa de encerramento dos festejos presidida pelo Frei Wilton Rocha, OFMConv (Pároco da Igreja Santo Antônio de Pádua) abordando tema “Antônio, palavras de Fogo, vida de Luz” animada por todas as comunidades.
Parte Social – Forró Chapéu de Couro e Sorteio do Carro Zero km.

Publicado em 29/05/2019 por João Augusto

Voluntariado Semana Nacional do Migrante

Estão abertas as inscrições para as experiências pontuais de #VoluntariadoJovem que acontecerão durante a Semana Nacional do Migrante e Refugiado que acontecerá de 16 a 23 de junho 2019 “Migração e Políticas Públicas”. Você poderá fazer sua inscrição até o dia 31 de maio.

Saiba mais e inscreva-se!
Clique aqui: encurtador.com.br/oqxIJ#Voluntariado#SerMaisLivre#MagisBrasil#JesuítasBrasil

Publicado em 29/05/2019 por João Augusto

Encontrão discute “Afetividade e Sexualidade” na Paróquia N. Sra. da Glória

“Afetividade e Sexualidade” é o tema do Encontrão do ECC da Paróquia Nossa Senhora da Glória, que acontece nesta sexta-feira, dia 31 de maio. O formador será o Pe. Francisco Antônio Francileudo, diretor da Faculdade Católica de Fortaleza (FCF) e reitor do Seminário de Teologia. Não apenas os casais que fizeram o Encontro de Casais com Cristo (ECC) são convidados; a formação é aberta a toda a comunidade e terá início às 20h, no salão paroquial. A Paróquia Nossa Senhora da Glória se localiza à Av. Oliveira Paiva, nº 905, Cidade dos Funcionários.

Mais informações: (85) 3279.4500, na Paróquia.


QR Code Business Card