Publicado em 31/03/2017 por João Augusto

[Credenciamento] Horário de atendimento do Cardeal Cláudio Hummes à imprensa

Informamos que o Cardeal Dom Frei Cláudio Hummes, OFM atenderá a imprensa no dia 4 de abril, entre 8h30 e 9h20, durante o intervalo da conferência de apresentação do livro que lançará sobre as grandes metas do Papa Francisco na Faculdade Católica de Fortaleza em parceria com a Livraria Paulus. O evento será aberto ao público em geral.

Por favor, enviar credenciamento até segunda-feira, dia 3/4.

SERVIÇO
Cardeal Hummes lança o livro “Grandes Metas do Papa Francisco” (Editora Paulus)
Local: Faculdade Católica de Fortaleza. Rua Tenente Benévolo, 201, Centro.
Data: 4 de abril de 2017
Horário: manhã: 7h30 ao meio dia;  noite: 18h30 a 21h30
Evento aberto ao público em geral.
Preço do livro: R$ 12,00 (Doze Reais) Rua Floriano Peixoto, 523, Centro
Mais informações: (85) 3453.2150 / 3252.4201
http://www.catolicadefortaleza.edu.br
https://www.paulus.com.br/portal

Publicado em 31/03/2017 por João Augusto

Evangelho – Jo 7,1-2.10.25-30

6ª-feira da 4ª Semana da Quaresma – 31 de Março de 2017 – Cor: Roxo

Queriam prendê-lo, mas ainda não tinha chegado a sua hora.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 7,1-2.10.25-30

Naquele tempo:
1Jesus andava percorrendo a Galiléia.
Evitava andar pela Judéia,
porque os judeus procuravam matá-lo.
2Entretanto, aproximava-se a festa judaica das Tendas.
10Quando seus irmãos já tinham subido,
então também ele subiu para a festa,
não publicamente mas sim, como que às escondidas.
25Alguns habitantes de Jerusalém disseram então:
‘Não é este a quem procuram matar?
26Eis que fala em público e nada lhe dizem.
Será que, na verdade, as autoridades reconheceram
que ele é o Messias?
27Mas este, nós sabemos donde é.
O Cristo, quando vier, ninguém saberá donde ele é.’
28Em alta voz, Jesus ensinava no Templo, dizendo:
‘Vós me conheceis e sabeis de onde sou;
eu não vim por mim mesmo,
mas o que me enviou é fidedigno.
A esse, não o conheceis,
29mas eu o conheço,
porque venho da parte dele,
e ele foi quem me enviou.’
30Então, queriam prendê-lo,
mas ninguém pôs a mão nele,
porque ainda não tinha chegado a sua hora.
Palavra da Salvação.

Reflexão
A descrença pode ter conseqüências terríveis como nos revela o Evangelho de hoje. As pessoas que acreditaram em Jesus procuraram seguir seus ensinamentos e viver uma nova forma de relacionamento com Deus, de modo que a sua fé gerava a vida em abundância. Os que não aceitavam as palavras de Jesus não só se privavam desta vida como também procuravam tirar a vida de Jesus. Mas o nosso Deus é o Deus da vida. A descrença luta contra a vida e pode até mesmo tirar a vida das pessoas, mas tira apenas a vida biológica, e o sangue que é derramado fertiliza a terra para que nela brote as sementes de vida eterna. O sangue de Jesus foi derramado, assim como o de muitos mártires, e isso faz com que as sementes do Reino cresçam e dêem fruto.

Publicado em 30/03/2017 por João Augusto

Evangelho – Jo 5,31-47

5ª-feira da 4ª Semana da Quaresma – 30 de Março de 2017 – Cor: Roxo

Há alguém que vos acusa:  Moisés, no qual colocais a vossa esperança.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 5,31-47

Naquele tempo, disse Jesus aos judeus:
31Se eu der testemunho de mim mesmo,
meu testemunho não vale.
32Mas há um outro que dá testemunho de mim,
e eu sei que o testemunho
que ele dá de mim é verdadeiro.
33Vós mandastes mensageiros a João,
e ele deu testemunho da verdade.
34Eu, porém, não dependo do testemunho de um ser humano.
Mas falo assim para a vossa salvação.
35João era uma lâmpada que estava acesa e a brilhar,
e vós com prazer vos alegrastes por um tempo com a sua luz.
36Mas eu tenho um testemunho maior que o de João;
as obras que o Pai me concedeu realizar.
As obras que eu faço dão testemunho de mim,
mostrando que o Pai me enviou.
37E também o Pai que me enviou
dá testemunho a meu favor.
Vós nunca ouvistes sua voz,
nem vistes sua face,
38e sua palavra não encontrou morada em vós,
pois não acreditais naquele que ele enviou.
39Vós examineis as Escrituras,
pensando que nelas possuís a vida eterna.
No entanto, as Escrituras dão testemunho de mim,
40mas não quereis vir a mim para ter a vida eterna!
41Eu não recebo a glória que vem dos homens.
42Mas eu sei:
que não tendes em vós o amor de Deus.
43Eu vim em nome do meu Pai,
e vós não me recebeis.
Mas, se um outro viesse em seu próprio nome,
a este vós o receberíeis.
44Como podereis acreditar,
vós que recebeis glória uns dos outros
e não buscais a glória que vem do único Deus?
45Não penseis que eu vos acusarei diante do Pai.
Há alguém que vos acusa:
Moisés, no qual colocais a vossa esperança.
46Se acreditásseis em Moisés,
também acreditaríeis em mim,
pois foi a respeito de mim que ele escreveu.
47Mas se não acreditais nos seus escritos,
como acreditareis então nas minhas palavras?’
Palavra da Salvação.

Reflexão
Ninguém aceita gratuitamente algo como sendo verdadeiro. Só acreditamos que algo é verdadeiro quando temos um fundamento para isso. Assim as pessoas agem em relação a Jesus, exigem uma garantia de verdade a respeito de tudo o que ele fala para que creiam nela. Isso acontece em primeiro lugar porque não acreditam no amor e na ação do próprio Deus na vida das pessoas. Também acontece porque não são capazes de encontrar nas Sagradas Escrituras o testemunho de Jesus e de suas obras. Somente quem se abre a Deus e à sua revelação reconhece a verdade em Jesus.

Publicado em 29/03/2017 por João Augusto

Papa Francisco nomeia bispo para Floriano (PI)

A Nunciatura Apostólica no Brasil comunicou na manhã desta quarta-feira, 29 de março, a decisão do papa Francisco em nomear para a vacante diocese de Floriano (PI), padre Edivalter Andrade. Atualmente ele exerce o posto de vigário geral da diocese de São Mateus (ES).

A diocese de Floriano foi criada em 27 de fevereiro de 2008 pelo papa Bento XVI, por ocasião do desmembramento da Diocese de Oeiras-Floriano. Ela estava vacante desde o dia 4 de maio de 2016, quando o papa Francisco nomeou dom Valdemir Ferreira como bispo de Amargosa (BA).  Padre Edivalter será o terceiro bispo diocesano.

Natural de Barra de São Francisco (ES), padre Edivalter tem 54 anos de idade. Nasceu em 17 de abril de 1962. Formado em Filosofia e Teologia pelo Instituto de Filosofia e Teologia da arquidiocese de Vitória (IFTAV), concluiu seus estudos em 1988. Logo após, em 1989, foi ordenado padre.

No início de seu ministério, padre Edivalter atuou como vigário na paróquia de São Mateus. De 1990 a 2000, foi reitor no Seminário Maior da diocese de São Mateus, localizado em Carapina-Serra (ES). O presbítero atuou também como administrador paroquial na paróquia São Cipriano, em Jaguaré (ES), nos anos de 1997 a 2002. Foi coordenador diocesano de pastoral, pároco na paróquia São Mateus e ecônomo diocesano.

Padre Edivalter também exerceu o posto de diretor da Rádio Kairós, no período de 2007 a 2013. Foi representante dos presbíteros e membro do Conselho Presbiteral e do Colégio de Consultores. Em março de 2016, foi nomeado vigário geral da diocese de São Mateus pelo bispo diocesano, dom Paulo Bosi Dal’Bó.

Publicado em 29/03/2017 por João Augusto

Amor onde não há amor

Por: Padre Geovane Saraiva*

Como aprender do cego de nascença, homem excluído pela sociedade de seu tempo, quando todos o asseguravam que seria também esquecido por Deus? Quando experimentamos o sofrimento, mesmo desiludidos e desencorajados com nossa fé colocada à prova, surgem, providencialmente, muitas vezes, pessoas como se fossem a própria mão de Deus, com palavras de ânimo, consolo e esperança. Como o povo de Deus de outrora, devemos acolhê-las, confiantes de que é o mesmo Deus presente e escondido na dor e no sofrimento, revelando-se a seu povo. Jesus foi chamado por Deus para defender, acolher e curar precisamente aquela pessoa que fora excluída e humilhada. A luminosidade de Jesus faz de verdade a diferença naquele pobre homem, a ponto de resgatá-lo, tirando-o do hábito vergonhoso de mendigar.

Peçamos a Nosso Senhor Jesus Cristo que nos cure de nossas cegueiras físicas, sociais e espirituais, dando-nos a graça, sempre e cada vez maior, de aceitar e reconhecer, sem nunca excluir, o nosso irmão como um filho de Deus que merece respeito e dignidade. A profissão de fé do cego – “Senhor, eu creio” – é para que se compreenda que Jesus não abandona quem sinceramente O procura e O ama. Mesmo que seja excluído e sofra repreensão e grito de autoridades, comunidades e instituições religiosas, aquele que é contado como louco, não estando de acordo com muitas normas e leis; ele participa, com certeza, do privilégio de estar em um bom lugar, de experimentar a presença amorosa de Jesus.

Reflitamos sobre o texto do cego de nascença, profundamente marcado pela exclusão e marginalização religiosa e social, na dor da sua enfermidade, com a concepção da época, de que pessoas com tais enfermidades carregavam consigo um castigo de Deus. Essas pessoas eram eliminadas do convívio humano e social, não podendo se aproximar de seus semelhantes, causando-lhes grande dor e terrível sofrimento. O milagre de Jesus naquele cego de nascença, no gesto de misturar Sua saliva com a terra e fazer lama, rompe e ultrapassa barreiras, indicando-nos a saliva como uma energia que, ao se encontrar com a mãe terra, dom sagrado de Deus, percebe-se a manifestação de Sua generosa bondade.

O encontro com Jesus muda por completo sua vida, numa luminosidade tal que o leva a desfrutar de uma nova vida, tendo por base a dignidade de filho de Deus. Em Jesus, poder e vontade andam juntos e confundem-se. Na cura do cego de nascença, o Filho de Deus mostra e revela ao mundo, de um modo pedagógico, seu poder salvador. É a realização da vontade do Pai ensinando à humanidade o verdadeiro sentido da vida, ao nos assegurar que tudo foi feito por amor e para a felicidade de todos, e não para alguns. Jesus anuncia que o reino de Deus já chegou, manifestando-se nos mais distantes, excluídos e necessitados. Amém!

*Pároco de Santo Afonso, Jornalista, Vice-Presidente da Previdência Sacerdotal, integra a  Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza – geovanesaraiva@gmail.com

Artigos Relacionados

Publicado em 29/03/2017 por João Augusto

Bloco 3 do Regional Nordeste 1 das CEB’s estarão reunidos no Seminário: CEB’s e os desafios no mundo urbano

As Dioceses de Crateús, Iguatu e Crato, que compõe o Bloco 3 do Regional Nordeste I de CEBs, estarão reunidos no SEMINÁRIO SOBRE: CEB’s E OS DESAFIOS NO MUNDO URBANO, que será realizado nos dias 31 de março e 01 e 02 de abril de 2017. O Seminário de Formação será realizado no Centro de Pastoral em Independência – Diocese de Crateús o terá inicio às 17h do dia 31 de março e contará com a participação de 20 delegados por Diocese.

O Seminário CEB’s e o desafios no mundo Urbano, contará a assessoria da Ir. Ilza, Pe. Anastácio, da Diocese de Iguatu e Pe. Helton, Diocese de Crateús.

Este Seminário já é em preparação  para o 14°Intereclesial de CEB’s que realizar-se-á  em Janeiro de 2018, em Londrina-PR.

Informações pelo telefone (85) 3252-4046 na CNBB Regional Nordeste 1.

 

Publicado em 29/03/2017 por João Augusto

Arquidiocese de Fortaleza (CE) realiza ELMI / ELMA e EFAIAM

A Infância e Adolescência Missionária (IAM) da Arquidiocese de Fortaleza (CE), realizou entre os dias 24 e 26 de março de 2017, seu Encontro de Líderes Missionários Infantis (ELMI) Arquidiocesano. O evento realizado na Casa Verde Retiros reuniu as paróquias da Arquidiocese onde atuam os grupos de IAM, totalizando a presença de 98 missionários.

Os participantes estudaram sobre que é o ELMI; a história, metodologia, carisma e compromissos da IAM; além do tema “Maria, Missionária do Pai”. Na ocasião, os participantes tiveram a oportunidade de vivenciar o cenáculo de Maria. Coordenadoras Regionais do Estado do Ceará, tais como Estefânia e Ariane, bem como representantes da Juventude Missionária, como Victor Maximo e a assessora da IAM Ewerthania, facilitaram as formações que envolveram os participantes.

O encontro foi direcionado também aos adultos assessores que puderam fazer o EFAIAM (Encontro de formação para assessores da Infância e Adolescência missionária). A participação foi bastante positiva e todos puderam reanimar a fé na caminhada missionária por meio da teoria da missão.

“Volto revigorada e com o espirito missionário preenchido do amor de Deus. Ver as crianças tão empenhadas em fazer o melhor para tornar Jesus conhecido e amado nos dá força para não desistir mesmo diante às atribulações”, ressaltou Aparecida Marques, assessora da IAM na paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Barra do Ceará.

O encontro foi finalizado com a Missa de Envio, celebrada pelo padre José Texeira.

Alann Pinto Fonteles
Responsável pela equipe de articulação da IAM em Fortaleza (CE)

Publicado em 29/03/2017 por João Augusto

Boletim Informativo – Março de 2017

Estamos publicando o Boletim Informativo de março de 2017. Editado mensalmente pelo Secretariado Arquidiocesano de Pastoral. Ele quer ser uma fonte de informações para os que ajudam nos trabalhos na Igreja.

Desejamos uma ótima leitura.

BOLETIM INFORMATIVO MARÇO DE 2017

VISUALIZE O BOLETIM PELO ISSUU – AQUI

 

Publicado em 29/03/2017 por João Augusto

A Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude (CEPJ) da CNBB faz o cadastro dos grupos de jovens paroquiais

A Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude (CEPJ), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) disponibiliza no site Jovens Conectados, o cadastro dos grupos de jovens paroquiais, com objetivo de conhecer aqueles que não pertencem a nenhuma expressão específica, ou seja, não têm espiritualidade diretamente ligada às pastorais da juventude, movimentos, novas comunidades, ou congregações.

De acordo com o assessor nacional da CEPJ, padre Antônio Ramos, é muito importante para a Comissão mapear esses grupos de jovens paroquiais localizados em todos os estados e com realidades plurais, para que a Igreja no Brasil pense em mecanismos de acompanhamento desses milhares de jovens.

Ele explica que dentro dessa perspectiva, a CEPJ já possui metas de acompanhamento, além, de promover a representatividade institucional dos grupos paroquiais. “Nosso objetivo é enviar as cartas oficiais do presidente da Comissão, Dom Vilsom Basso, bem como, os subsídios Laços Fé e Vida, produzidos especificamente para esse público. Também daremos início ao processo de representatividade dessa realidade na coordenação nacional de jovens da Pastoral Juvenil”, destacou.

Inscrição
Para cadastrar o grupo de jovens, basta clicar aqui e responder a um questionário formulado para conhecer as especificidades de cada grupo paroquial (lembrando que esses grupos não podem pertencer a nenhuma expressão: pastorais da juventude, movimentos, novas comunidades, ou congregações). Após o preenchimento das informações solicitadas, basta clicar em enviar.

A partir desse cadastro, as informações, novidades e formações da CEPJ chegarão aos responsáveis inscritos de todo o país.

Publicado em 29/03/2017 por João Augusto

Evangelho – Jo 5,17-30

4ª-feira da 4ª Semana da Quaresma – 29 de Março de 2017 – Cor: Roxo

Assim como o Pai ressuscita os mortos e lhes dá a vida,
o Filho também dá a vida a quem ele quer.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 5,17-30

Naquele tempo:
17Jesus respondeu aos judeus:
‘Meu Pai trabalha sempre,
portanto também eu trabalho’.
18Então, os judeus ainda mais procuravam matá-lo,
porque, além de violar o sábado,
chamava Deus o seu Pai,
fazendo-se, assim, igual a Deus.
19Tomando a palavra, Jesus disse aos judeus:
‘Em verdade, em verdade vos digo,
o Filho não pode fazer nada por si mesmo;
ele faz apenas o que vê o Pai fazer.
O que o Pai faz,
o Filho o faz também.
20O Pai ama o Filho
e lhe mostra tudo o que ele mesmo faz.
E lhe mostrará obras maiores ainda,
de modo que ficareis admirados.
21Assim como o Pai ressuscita os mortos e lhes dá a vida,
o Filho também dá a vida a quem ele quer.
22De fato, o Pai não julga ninguém,
mas ele deu ao Filho o poder de julgar,
23para que todos honrem o Filho,
assim como honram o Pai.
Quem não honra o Filho,
também não honra o Pai que o enviou.
24Em verdade, em verdade vos digo,
quem ouve a minha palavra
e crê naquele que me enviou,
possui a vida eterna.
Não será condenado,
pois já passou da morte para a vida.
25Em verdade, em verdade, eu vos digo:
está chegando a hora, e já chegou,
em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus
e os que a ouvirem, viverão.
26Porque, assim como o Pai possui a vida em si mesmo,
do mesmo modo concedeu ao Filho
possuir a vida em si mesmo.
27Além disso, deu-lhe o poder de julgar,
pois ele é o Filho do Homem.
28Não fiqueis admirados com isso,
porque vai chegar a hora,
em que todos os que estão nos túmulos
ouvirão a voz do Filho e sairão:
29aqueles que fizeram o bem,
ressuscitarão para a vida;
e aqueles que praticaram o mal, para a condenação.
30Eu não posso fazer nada por mim mesmo.
Eu julgo conforme o que escuto,
e meu julgamento é justo,
porque não procuro fazer a minha vontade,
mas a vontade daquele que me enviou.
Palavra da Salvação.

Reflexão
Jesus começa aos poucos a manifestar a sua origem e a sua natureza divina. Ele de fato é o Filho de Deus, que veio ao mundo para fazer a vontade do Pai e realizar a sua obra, que é a salvação de todas as pessoas, salvação que significa ressurreição e vida eterna, libertação do jugo do pecado e da morte. Mas esta obra é somente para quem crê que Jesus é o Filho de Deus, é para quem crê que ele veio ao mundo para fazer a vontade do Pai e vê na sua ação a ação divina em favor dos homens, de modo que a fé é essencial para a nossa salvação, para a nossa ressurreição e para que vivamos eternamente.


QR Code Business Card