Publicado em 29/02/2016 por

90 Anos de Vida do Pe. Expedito José Francisco Teles, SJ

Acontecerá no dia 1º de março de 2016, às 19h, na Igreja de Santa Teresinha na Jurema, em Caucaia, a Celebração Eucarística em Ação de Graças pelos 90 Anos de Vida do Pe. Expedito José Francisco Teles, SJ. Todas as comunidades, amigos e familiares estão convidados a participarem deste momento. Pe. Expedito é Vigário da Paróquia Sta. Terezinha, no subúrbio de Fortaleza.

Parabéns, que Deus continue abençoando com saúde e felicidades.

Expedito José Francisco

Palavras do próprio Pe. Teles

“Aos 90 Anos, paro e olho para trás. Que vejo? Toda minha vida exposta no telão da historia.

  • A infância vivida;
  • A adolescência e juventude superadas;
  • A idade madura vencida;
  • O vértice da quarta idade atingido.

Atingido o vértice, resta apenas – A entrada na vida!

Nasci a 1º de Março de 1926, no Sítio Matta, Município do Crato. Pequena propriedade dos meus avós paternos. Filho de romeiros camponeses das Alagoas. Fui registrado, nascido em Juazeiro do Norte-CE.

A árvore da botânica zoológica não faz parte da minha genealogia. Com seis anos apenas, era já eu praticamente o vaqueiro da pequena fazenda. Pequeno e franzino, ágil e veloz como um cabrito montez, socado no meu calção de mescla escura, protegido apenas por uma camisa de riscado, voava pelos campos cheirosos em flor como uma borboleta vadia à busca das vacas e ovelhas do meu pai.

Sentia-me cheio de autoridade. Pensava com meus botões. – Aqui, é meu chão. Meu “habitat”. Ninguém me arrancará do meu solo nativo. Com quinze anos, porém, fui transportado e implantado no chão dos claustros austeros dos Padres Jesuítas em Baturité-Ce, 3 de Janeiro de 1938. Era a primeira vez que eu me separava dos meus pais, dos entes queridos, dos meus familiares.

Vinha do Sertão carregando sobre os ombros a mochila da timidez, da inibição, de uma pobreza modesta e humilde. Na bagagem de romeiro, meus exíguos pertences. Na memória e lembrança as paisagens onde nascera. Queria ser sacerdote-jesuíta.

“Deus te abençoe, meu filho, a Virgem Santíssima faça de ti um sacerdote santo; Teu padrinho de batismo meu padrinho Cícero, te abençoe.” Era a benção paterna patriarcal recebida todas as manhãs. Entendia mais do campo, das vacas e ovelhas do meu pai, que propriamente de vocação. Eu me parecia com o profeta Amós, pastor de Tecua.  Era um menino pobre, simples e humilde, sem infância, sem estudos, uma cera branda na linguagem de Aristóteles.

Com dezoito anos de idade entrei no noviciado da Companhia de Jesus, Baturité-Ce, 1º de Fevereiro do 1944. O noviciado para os jesuítas é a “escola da oração” – “Schola affectus”. Orar na linguagem inaciana é entrar na intimidade com Deus. Sentir interiormente que Deus gosta de nós e nós também gostamos Dele.

Aos 90 Anos de idade distribuídos em parcelas aritméticas: 72 Anos de vida religiosa na Companhia de Jesus, 59 Anos de sacerdócio na Igreja de Cristo. Como me encontro? Espiritualmente, muito feliz! Biologicamente, bem; precisando de uma revisão e de uns reparos.

Eis minha história. Vim de longe, lutei muito contra tudo, contra todas as tentações que me assaltaram pelo caminho. Muitos partiram comigo. Porém, logo desistiram. Eu fiquei. Hoje entendo melhor o conselho de Amado Nervo: ‘Que a tua experiência seja a mão que guia a bússola que orienta o farol que salva os náufragos’”.

Informações: (85) 3294-9238; (85) 3294-1066 – igreja de Santa Terezinha do Menino Jesus

 

Dados Biográficos:

DADOS BIOGRÁFICOS ETC.

Pe. EXPEDITO TELES nasceu no dia 1° de março de 1926, na FAZENDA MATA, município de Juazeiro do Norte-CE.     É filho de JOSÉ FRANCISCO TELES e MARIA JOSÉ DO NASCIMENTO TELES, ambos falecidos. Fez os primeiros estudos, compreendendo a alfabetização, no Grupo Escolar de Juazeiro do Norte. Sua vocação ao sacerdócio e à vida religiosa floresceu ainda no lar, graças ao exemplo de vida crista, profunda e sólida de seus progenitores. Aos 11 anos de idade ingressou na ESCOLA APOSTÓLICA DE BATURITÉ dos Padres Jesuítas, no ano de 1938. A vida austera e coerente dos Padres, seus educadores, influenciou decisivamente a sua vocação. Completado o curso primário e o segundo grau, ingressou no Noviciado da Companhia de Jesus em Baturité, no dia 1°de fevereiro de 1944.Terminado o noviciado, emitiu os primeiros votos simples e perpétuos, no dia 2 de fevereiro de 1946. Em Baturité, fez o Juniorado e o Curso de Humanidades Clássicas. Em 1948 partiu para Nova Friburgo, Estado de Janeiro, para cursar Filosofia no Colégio Anchieta, Província Centro-leste. Em Friburgo, fez o Curso de Ciências Experimentais, Introdução à Filosofia. Em 1949, partiu para o Colégio Máximo de São Leopoldo, Rio Grande do Sul, Província meridional, onde cursou Filosofia. Concomitante com a Filosofia cursou Humanidades Clássicas na Pontifícia ‘Universidade Católica de Porto Alegre. Em novembro de 1951, iniciou o magistério no Colégio Nóbrega. Foi prefeito de disciplina do Curso Colegial durante três anos. Lecionou Filosofia e Literatura Brasileira e Portuguesa no curso colegial; Ciências Biológicas, no ginasial. Em março de 1955 partiu para Santa Fé de Bogotá-Colômbia, a fim de iniciar o curso de Teologia na “UNIVERSIDAD JAVERIANA” dos Jesuítas. Recebeu a unção presbiteral pela oração da Igreja e pela imposição das mãos de Monsenhor BERNARDO E. ARANGO HENAO, S.J. bispo de Barranca Bermeja, aos 27 de Outubro de 1957, na Igreja de San Ignacio, onde se ordenou São Pedro Claver, o apóstolo social da América Latina. No dia 15 de novembro de 1958 fez o “ad gradum”. Em dezembro do mesmo ano regressou ao Brasil, celebrando sua missa nova na Matriz de N. Senhora das Dores em sua terra natal. Em fevereiro de 1959 partiu para Três Poços, município de Barra do Piraí, Estado do Rio de Janeiro, para fazer a Terceira Provação. Terminada a 3a provação, foi destinado pelo Provincial, Paulo Bannwarth, para o Colégio Nóbrega, Recife. Aí exerceu as funções de Subdiretor do Colégio no turno da tarde e Diretor do Curso primário, no turno da manhã, ano de 1960. Foi professor de Português do cursinho de vestibular da Universidade Católica de Pernambuco. No dia 15 de agosto, fez seus últimos votos religiosos na Igreja de N. Senhora de Fátima, no Colégio Nóbrega, 1960. Em 1961 fez o vestibular para o curso de História Natural da Universidade Católica de Pernambuco, obtendo a 1ª classificação que lhe valeu uma bolsa de estudos, ofertada pelo então Diretor, Pe. José Torres Costa, S.J. Em 1962 foi transferido para a Residência de Cristo Rei-Fortaleza-CE. Aqui, exerceu seu ministério sacerdotal como pregador na Igreja de Cristo Rei. Pregou vários retiros e missões pelo interior do Estado. Atendeu a solicitações diversas para pregar páscoas a estudantes universitários. Durante vários anos exercitou o apostolado sacerdotal na área universitária. Foi professor e um dos fundadores da Universidade Estadual do Ceará. Há 13 anos trabalha numa das favelas mais carentes, entre Fortaleza e Caucaia, chamada “CONJUNTO MARECHAL RONDON”. Veio para aqui por sugestão do Superior Pe. Arnaldo e por solicitação do Sr. Arcebispo de Fortaleza, Dom Aloisio Lorscheider. Ajudou a edificar a primeira Igreja, dedicada à Santa Teresinha. Esta foi a seara fecunda donde germinaram as demais Igrejas da Região. Foi criada a grande REGIÃO PASTORAL DA JUREMA, onde trabalham 6 sacerdotes de comunidades religiosas diferentes.

Pe. Expedito tem se caracterizado pela vida simples que leva em uma chácara, onde, atualmente, cuida de um pequeno sítio com algumas cabeças de gado da Província. Além disso, é o Vigário da Paróquia Sta. Terezinha, no subúrbio de Fortaleza, por ele mesmo iniciada. Sta. ‘I’erezinha do Menino Jesus é, depois de Jesus e Maria, a Santa de sua devoção predileta. Ele mesmo se diz miraculado por ela tanto no seu corpo (quando padeceu de um câncer e ficou curado pela sua intercessão), corno em seu espírito (a quem agradece outra grande graça de ordem sobrenatural). Sua vida de abnegação edifica a uns, pois não há quem cuide bem de sua alimentação;

Pe. Expedito é muito querido na Província, sobretudo por ocasião das reuniões, pelo seu bom humor e espirituosidade.

 

Por Pe. Nascelio.

Publicado em 29/02/2016 por

Nomeações e provisões – Fevereiro 2016.

  1. Documento CELEBRET para Pe. Francisco Antônio Cavalcanti de Menezes – 15 02 16“Só com a união fraterna que se poderá chegar naquilo que se deseja: a saúde para todos”, dom José Antonio Aparecido Tosi Marques na abertura da CF 2012
  2. Uso de Ordem na Arquidiocese de Fortaleza para Pe. José Edivânio de Lira Laranjeira da Diocese de Balsas MA – 15 02 16.
  3. Provisão de Vigário Paroquial de Conj. Industrial, Maracnaú para Pe. Francisco José Costa de Souza, INJ – 15 02 16.
  4. Uso de Ordem na Arquidiocese de Fortaleza para Pe. Fr. Francisco Antônio Ferreira de Sousa, OFMCap – Ministro Provincial – 16 02 16.
  5. Uso de Ordem na Arquidiocese de Fortaleza para Pe. Fr. Edvá Ferreira Barros, OFMCap – Auxiliar no Santuário Coração de Jesus em Fortaleza – 16 02 16.
  6. Provisão de Reitor do Santuário do Sagrado Coração de Jesus em Fortaleza para Fr. Francisco Renê Tomaz Bezerra, OFMCap – 16 02 16.
  7. Provisão de Vice-Reitor do Santuário do Sagrado Coração de Jesus em Fortaleza para Fr. Raimundo Riord Goes Tavares, OFMCap – 16 02 16.
  8. Provisão de Vigário Paroquial de N Sra da Conceição – Messejana – Administrador da Área Pastoral N Sra Brasil para Fr. Wilter Gleiton Cristino Malveira, OFMCap – 16 02 16.
  9. Provisão de Vigário Paroquial de N Sra Conceição – Messejana – auxiliar na Área Pastoral N Sra Brasil para Fr. Edval da Costa Araújo, OFMCap – 16 02 16.
  10. Provisão de Vigário Paroquial de N Sra Conceição – Messejana – auxiliar na Área Pastoral N Sra Brasil para Fr. Ricardo Régis Ferreira Sales, OFMCap 16 02 16
  11. Uso de Ordem na Arquidiocese de Fortaleza para Pe. Fr. Afonso Bezerra de Oliveira (Frei Hermínio), OFMCap – 16 02 16.
  12. Provisão de Pároco de Nossa Senhora das Graças – Pirambu, Fortaleza para Fr. José Nilto Pereira, OFMCap – 16 02 16
  13. Provisão de Vigário Paroquial de Nossa Senhora das Graças – Pirambu, Fortaleza para Dom Fr. Geraldo Nascimento, OFMCap – Bispo Auxiliar Emérito de Fortaleza – 16 02 16.
  14. Provisão de Pároco de Nossa Senhora da Conceição em Guaramiranga para Fr. Gilberto Siqueira Alves, OFMCap – 16 02 16.
  15. Autorização para abertura de Comunidade Rainha da Paz de Sobral na Paróquia S. João Batista – Tauape, Fortaleza – 17 02 16.
  16. Autorização para Santa Reserva Eucarística no Centro Católico de Evangelização Shalom no Bairro Jardim Guanabara – Paróquia Nossa Senhora da Assunção – Nova Assunção em Fortaleza – 17 02 16.
  17. Provisão dos membros do Conselho Econômico da Paróquia Nossa Senhora da Conceição em Cascavel – 17 02 16.
  18. Provisão dos membros do Conselho Econômico da Paróquia Nossa Senhora da Imaculada Conceição – Taquara, Maracanaú – 17 02 16.
  19. Provisão dos membros do Conselho Econômico – Paróquia Nossa Senhora das Dores – Campos Belos, Caridade – 17 02 16.
  20. Autorização de Santa Reserva Eucarística em Capelas da Paróquia de Nossa Senhora das Dores – Campos Belos, Caridade: Nossa Senhora de Fátima – Comunidade do Açudinho; Nossa Senhora do Perpétuo Socorro – Comunidade de Umarizeira; Nossa Senhora Aparecida – Comunidade do Humaitá; Santo Estêvão – Comunidade da Timbaúba e São Pedro – Comunidade do Carneiro – 17 02 16.
  21. Provisão dos membros do Conselho Econômico da Paróquia São Pedro – Barreira – 18 02 16.
  22. Recondução a Vigário Geral – Moderador da Cúria do Mons. Virginio Asencio Serpa – 24 02 16.
  23. Recondução a Vigário Geral – Pe. João Jorge Corrêa Filho – 24 02 16.
  24. Autorização para exclaustração de Ir. Francisca Viana de Oliveira do Instituto Josefino – 09 01 16.
  25. Autorização de Santa Reserva Eucarística na Capela do Grupo de Oração “Nova Unção” na Paróquia Imaculada Conceição e São João XXIII – Bairro João XXIII, Fortaleza – 27 02 16.
  26. Uso de Ordem na Arquidiocese de Fortaleza para Pe. Guillermo Santos Frias da Arquidiocese de Brasília – em acompanhamento das Comunidades do Caminho Neo-catecumenal em Fortaleza – 27 02 16.
  27. Autorização de Santa Reserva Eucarística em Capela da Comunidade Servos por Amor na Paróquia São José – Bairro Edson Queiroz, Fortaleza – 27 02 16.
  28. Provisão dos membros do Conselho Econômico da Paróquia Santo Antônio – Capuan, Caucaia – 27 02 16.

 

 

Publicado em 26/02/2016 por

Casa de Retiro Sagrada Família, em Maranguape

A Região Sagrada Família agora dispõe de uma casa de retiro para a comunidade. São 16 quartos, capela, refeitório, espaço para reuniões e camping, piscina natural, cachoeira (no inverno) trilha ecológica.

Informações pelo fone (85) 9 8805-6757; (85) 9 9963-1184 ou (85) 3341-3251 (caseiro) com Pe. Nonato, vigário episcopal da Região da Sagrada Família.

 

Fotos do local:

clique para ampliar

casa-de-retiro-sagrada-família

 

Sagrada Família

Casa de Retiro

casa de retiro sagrada família_2 casa de retiro sagrada família_3 casa de retiro sagrada família_4 casa de retiro sagrada família_5 casa de retiro sagrada família_6 casa de retiro sagrada família_7 casa de retiro sagrada família_8 casa de retiro sagrada família_9 casa de retiro sagrada família_10 casa de retiro sagrada família_11 casa de retiro sagrada família_12 casa de retiro sagrada família_13 casa de retiro sagrada família_14 casa de retiro sagrada família_15 casa de retiro sagrada família_16 casa de retiro sagrada família_17 casa de retiro sagrada família_18 casa de retiro sagrada família_19 casa de retiro sagrada família_20 casa de retiro sagrada família_21 casa de retiro sagrada família_22 casa de retiro sagrada família_23 casa de retiro sagrada família_24 casa de retiro sagrada família_25 casa de retiro sagrada família_26 casa de retiro sagrada família_27 casa de retiro sagrada família_28 casa de retiro sagrada família_29 casa de retiro sagrada família_30 casa de retiro sagrada família_31 casa de retiro sagrada família_32 casa de retiro sagrada família_33 casa de retiro sagrada família_34 casa de retiro sagrada família_35 casa de retiro sagrada família_36 casa de retiro sagrada família_37 casa de retiro sagrada família_38 casa de retiro sagrada família_39 casa de retiro sagrada família_40 casa de retiro sagrada família_41 casa de retiro sagrada família_42 casa de retiro sagrada família_43 casa de retiro sagrada família_44 casa de retiro sagrada família_45 casa de retiro sagrada família_46 casa de retiro sagrada família_48 casa de retiro sagrada família_49 casa de retiro sagrada família_50 casa de retiro sagrada família_51 casa de retiro sagrada família_52 casa de retiro sagrada família_53 casa de retiro sagrada família_54 casa de retiro sagrada família_55 casa de retiro sagrada família_56 casa de retiro sagrada família_57 casa de retiro sagrada família_58 casa de retiro sagrada família_59 casa de retiro sagrada família_60 casa de retiro sagrada família_61 casa de retiro sagrada família_62 casa de retiro sagrada família_63 casa de retiro sagrada família_64 casa de retiro sagrada família_65 casa de retiro sagrada família_66 casa de retiro sagrada família_67 casa de retiro sagrada família_68 casa de retiro sagrada família_69 casa de retiro sagrada família_70 casa de retiro sagrada família_71 casa de retiro sagrada família_72 casa de retiro sagrada família_73 casa de retiro sagrada família_74 casa de retiro sagrada família_75 casa de retiro sagrada família_76 casa de retiro sagrada família_77 casa de retiro sagrada família_78 casa de retiro sagrada família_79 casa de retiro sagrada família_80 casa de retiro sagrada família_81 casa de retiro sagrada família_82 casa de retiro sagrada família_83 casa de retiro sagrada família_84 casa de retiro sagrada família_85 casa de retiro sagrada família_86 casa de retiro sagrada família_87 casa de retiro sagrada família_88

 

Publicado em 26/02/2016 por

Bispo convoca fiéis para a Caminhada Penitencial de 2016

Em íntegra da Carta Circular 003/2016 enviada pelo arcebispo metropolitano de Fortaleza, dom José Antonio A. Tosi Marques, sobre a Caminhada Penitencial – Quaresma 2016/Campanha da Fraternidade.caminhada_penitencial_Forta

A Caminhada Penitencial acontece no dia 28 de fevereiro, 3º Domingo da Quaresma, às 7h, saindo da Igreja Nossa Senhora da Saúde, Mucuripe, até a Catedral Metropolitana de Fortaleza.

O arcebispo diz ainda que durante a caminhada haverá oportunidade de gestos concretos, que acompanham a manifestação penitencial. Será levada nos ombros dos féis uma grande cruz. A cruz que faz recordar como o nosso Senhor Jesus Cristo tomou sobre si todos os pesos da humanidade para redimi-la. Outro gesto concreto é a possibilidade de confissões para os fiéis que desejarem.

O arcebispo pede aos sacerdotes que se façam presentes com túnica e estola roxa. Como também que estejam disponíveis para atendimento das confissões dos fiéis durante a Caminhada.

Para que o maior número possível de fiéis possa participar, o arcebispo pede que nas paróquias e áreas pastorais metropolitanas, todas as celebrações sejam realizadas nas igrejas nas Primeiras Vésperas.

Informações (85) 3388-8703; (85) 3388-8701

Publicado em 26/02/2016 por

[Boletim] Informativo da Arquidiocese de Fortaleza – fevereiro de 2016

Boletim Informativo – fevereiro de 2016 (pdf) – leia e faça o download

 

Boletim Informativo – Fevereiro de 2016  (Visualize pelo Issuu)

 

 

 

boletim_fevereiro_2016_1

Publicado em 24/02/2016 por João Augusto

Paróquia São Francisco de Assis do Dias Macedo promove Escola Bíblica de Evangelização

escola_bíblica_1A Paróquia São Francisco de Assis, bairro Dias Macedo, vem promovendo desde 2013 a ESCOLA BÍBLICA DE EVANGELIZAÇÃO. O objetivo de Formar através de um curso básico de Bíblia, história da Igreja e de outras áreas do conhecimento da Igreja Católica Agentes de Pastoral e demais leigos;  favorecer aos paroquianos um conhecimento científico-pastoral das Sagradas Escrituras e aprofundar através de estudos litúrgicos a fé da Igreja.

Veja o  Calendário da Escola Bíblica – 1º semestre de 2016.

Informações pelo fone (85) 3295-0621 – Secretaria da Paróquia

Publicado em 23/02/2016 por

[Mundo] Santo Egídio após apelo do Papa: pena de morte torne-se capítulo do passado

Cidade do Vaticano (RV) – Um dia após o premente apelo do Papa Francisco em prol de uma moratória universal da pena de morte, os direitos fundamentais à vida e à dignidade da pessoa estiveram no centro do Simpósio promovido pela Comunidade romana de Santo Egídio na Câmara dos Deputados italiana, que teve como tema “Por um mundo sem a pena de morte”.

O apelo do Papa por uma moratória da pena capital durante o Ano Santo do Jubileu extraordinário Misericórdia revigorou o importante debate entre representantes e ministros da Justiça de 30 países, não somente de Estados abolicionistas.

Desde 1786, ano em que o Grão-Ducado da Toscana (Estado que existiu na península Itálica até o Sec. XIX) foi o primeiro Estado a abolir legalmente a pena de morte, foram dados muitos passos rumo a um mundo sem esta chaga.

Na última votação da Onu por uma moratória universal das execuções capitais, 114 países votaram a favor. Durante o Simpósio foi também recordado que depois da Europa, a África está prestes a tornar-se o segundo continente livre da chaga da pena de morte.

Cardeal Marx: justiça esteja sempre unida à misericórdia

O presidente da Conferência Episcopal da Alemanha, Cardeal Reinhard Marx, recordou que a misericórdia para os cristãos tem o rosto de um homem, condenado à morte, que perdoou seus algozes.

Para preservar a humanidade é preciso defender a sociedade da sede de vingança, acrescentou o purpurado. A justiça deve estar unida à misericórdia, afirmou. Matar em nome da justiça deve ser considerado coisa do passado, não da nossa civilização, ponderou o cardeal alemão.

Juiz Huber: a pena de morte avilta o homem

O juiz da Corte Suprema alemã, Peter M. Huber, recordou que a Alemanha nazista “banalizou” a pena de morte, aplicada durante os anos de regime por uma ampla casuística de delitos.

A pena de morte viola a dignidade humana porque não responde a uma exigência de prevenção ou a uma instância de educação, mas somente a um desejo de vingança ou a um presumível valor de dissuasão, explicou o juiz. Nestes casos, porém, o ser humano torna-se um objeto da política estatal. A pena de morte avilta o homem, o reduz a um meio para um fim político.

Ministro sul-africano: hoje prevalece o direito à vida

Alguns ministros da justiça de países marcados por violências e conflitos descreveram a virtuosa parábola que, tendo atravessado páginas de injustiças e de sofrimentos, completou o iter rumo à abolição da pena de morte.

O Ministro da Justiça da África do Sul, Michael Masutha, recordou que a pena de morte foi um instrumento utilizado no período do Apartheid. Em 1996, explicou, a pena capital na África do Sul foi abolida porque considerada incompatível com o direito à vida, firmemente unido ao direito à dignidade. A história ensinou que na África do Sul, como em outros lugares, a pena de morte não teve a função de dissuasão, acrescentou.

Ministro cambojano: prisão perpétua para graves delitos

O Ministro da Justiça do Camboja, Ang Vong Vathana, recordou que no país asiático a prisão perpétua é a pena máxima para graves delitos, entre os quais, crimes de guerra e contra a humanidade.

O ministro cambojano recordou também que nos recentes processos a expoentes do regime dos “Khmer Vermelhos” – responsável, entre 1975 a 1979, pela morte de mais de dois milhões e meio de pessoas – não foram emitidas sentenças de condenação à morte. Ang Vong Vathana fez votos de que cada país considere a possibilidade de aplicar a anistia e de abolir a pena capital.

Ministro leonês: abolição da pena capital também de iure

Por fim, registra-se, entre os vários pronunciamentos, o que foi feito pelo Ministro da Justiça de Serra Leoa, Joseph Kamara. O Estado da costa oeste africana, país abolicionista de facto, foi abalado por uma sangrenta guerra civil que durou dez anos, concluída em 2002.

O país prossegue o processo de revisão da Constituição para reforçar a defesa dos direitos humanos e já iniciou o iter para a abolição da pena de morte também em seu código penal. (RL)

Fonte: Rádio Vaticano

Publicado em 23/02/2016 por

Paulus e Faculdade Católica de Fortaleza realizarão Fórum CF 2016 

A Livraria Paulus e a Faculdade Católica de Fortaleza realizarão no dia 25 de fevereiro, das 8h às 11h30min, no Auditório da Faculdade Católica de Fortaleza o Fórum sobre a Campanha da Fraternidade 2016 tendo como objetivo favorecer uma reflexão conjunta sobre a consciência comum que a nossa sociedade tem sobre o Saneamento Básico. Os palestrantes serão Pe. Antônio Almir Magalhães de Oliveira, Alceu de Castro Galvão Júnior e Glauco Barreira Magalhães Filho. O tema do mesmo será “Saneamento básico pressupõe ação conjunto entre os órgãos públicos, população e indivíduos”. São convidados a participar Padres, agentes de pastoral da Arquidiocese de Fortaleza, educadores e interessados no assunto. Entrada Gratuita.

Informações e inscrições pelo telefone (85) 3252 4201/ 3252 2083 na Paulus Livraria.

clique para ampliar

cafe_debate_paulus

Por Romildo Mendes – Livraria Paulus

 

Publicado em 23/02/2016 por

[Artigo] Experiência do deserto interior

Padre Geovane Saraiva*

A transfiguração do Filho de Deus na Montanha Sagrada, no segundo domingo da Quaresma, faz-nos pensar e compreender sempre e cada vez mais no sentido da páscoa eterna. Nossa vida aqui é um longo caminho a percorrer, mas temos a certeza de que nesse mistério inexprimível percebemos nossa origem e destino, a páscoa definitiva, nossa gloriosa e eterna transfiguração.padre-geovane

O Papa Francisco, na Praça de São Pedro no horário do meio-dia (21/02/2016), diante de milhares de fiéis, apresentou uma avaliação pessoal de sua viagem apostólica ao México, tendo em mente o sonho de Deus, dando a entender que naquele país, de um modo antecipado, passou pela experiência da transfiguração.

Dentro do contexto da transfiguração de Jesus, no Monte Sagrado, recordo-me do profeta Elias, na forte experiência do seu deserto, que foi uma vida marcada por enormes limites e sofrimentos, sem sentido, a ponto de achar que tudo estava perdido e concluído, tendo que fugir e morrer, com uma única saída: pensar só em comer e dormir.

Deus, porém, se manifestou nele, deixando-lhe marcas de um deserto interior, rico de suas graças, sendo confortado pelo anjo, que lhe trouxe alimento na hora certa, mas um alimento que lhe sustentaria na longa caminhada a percorrer, até o Horeb, o monte de Deus, que o transfiguraria (cf. 1 Rs 19, 1-12).

Acende-se no profeta Elias o farol da fé e da esperança, no encontro com Deus que quer vê-lo transfigurado, a ponto de ficar consumido e ardendo em zelo pelo amor do Senhor. Portanto, a experiência do deserto interior o marcou profundamente, tornando-se grande, tão grande e importante que os sábios de seu tempo afirmaram que Elias não havia morrido, mas havia sido arrebatado por Deus, como tão bem nos assegura o Livro Sagrado: “Eis o que se deu no dia em que o Senhor arrebatou Elias ao céu num turbilhão” (cf. 2 Rs 2, 1).

Somos chamados a escolher, a colocarmo-nos diante do nosso bom Deus, a exemplo do profeta Elias e de incontáveis santas criaturas de Deus, com registro na história do povo de Deus, a partir da experiência de sua presença, seja pelo trabalho ou pela oração, mostrando ao mundo que vale a pena contemplar-vos na sua bondade e ternura, tendo diante dos olhos o Monte Carmelo, ou a Montanha Sagrada, na sua mais elevada expressão: a Jerusalém celeste.

A sábia ligação do Santo Padre, o Papa Francisco, entre o Evangelho do domingo da Transfiguração e a viagem em terras mexicanas, mostrou a presença bondosa de Deus naquela realidade por ele vivenciada: “Jesus nos mostrou a luz de sua glória através do Corpo da sua Igreja, do seu Povo santo que vive naquela terra; um corpo muitas vezes ferido, um Povo muitas vezes oprimido, desprezado, violado em sua dignidade. Mas os diferentes encontros vividos no México foram cheios de luz: a luz da fé que transfigura os rostos e aclara o caminho”. Amém!

*Pároco de Santo Afonso e vice-presidente da Previdência  Sacerdotal, integra a  Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza – geovanesaraiva@gmail.com

 

Publicado em 22/02/2016 por

[Artigo] PAPA FRANCISCO NO MÉXICO

Foi com grande entusiasmo e genuíno prazer que o povo Mexicano recebeu o Papa Francisco no seu país entre os dias 12 e 18 de fevereiro próximo passado. A 12ª. viagem internacional de Francisco foi marcada pelo apoio aos imigrantes e por um posicionamento firme contra as organizações criminosas no país. Os dias que o papa passou no México aconteceram durante o Ano da Misericórdia, e a Conferência Episcopal Mexicana ressalta que o Papa Francisco estava aí como “missionário da misericórdia e da paz”.  Estas palavras sintetizam os temas mais presentes em seu pontificado, como a misericórdia, a justiça social, a paz, o ecumenismo, a solidariedade etc. Embora o Papa Francisco tenha contatos com muitas pessoas de classes sociais  diferentes no México ele deu preferência aos mais carentes e excluídos da sociedade, levando para estes seguimentos da população o Amor de Deus e sua presença de paz neste mundo.padre_brendan

No dia 13 de fevereiro, Sua Santidade celebrou a santa missa na magnífica Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe. Depois da missa foi para a capela que guarda a imagem milagrosa da Virgem de Guadalupe com as famosas rosas estampadas milagrosamente no cacto do João Diego. No domingo, dia 14, o papa foi de helicóptero para Ecatepec onde celebrou missa perante 700.000 mil fieis. Na tarde do mesmo dia voltou para a Cidade do México onde teve encontros com altas autoridades do país e depois visitou um grande hospital pediátrico na cidade. No dia 15 o papa celebrou com comunidades indígenas em San Cristóbal de Las Casas e depois almoçou com representantes indígenas. Na parte da tarde foi de helicóptero para Tuxtla Gutiérrez para participar de um grande encontro de famílias mexicanas. Em um dos pontos altos de sua visita o Santo Padre celebrou uma missa com bispos, sacerdotes, religiosos/as, consagrados/as e seminaristas. Mais de 500 mil pessoas compareceram  à essa missa. Na parte da tarde do mesmo dia num grande estádio, houve um encontro gigantesco com a juventude mexicana.

A visita do Papa terminou em Ciudad Juárez. Esta área  fica na fronteira dos Estados Unidos da América e milhares de mexicanos tenta atravessar ilegalmente a fronteira com esse país diariamente.  Muitas dessas pessoas  acabam sendo vítimas e exploradas de organizações criminosas. É uma das áreas mais violentas do México com muitas  mortes e com o narcotráfico muito ativo. Muitos d’aqueles que conseguem entrar ilegalmente nos Estados Unidos da América são depois deportados. Durante toda essa viagem o Papa Francisco corajosamente condenou a falta de justiça social no país, o crescimento do narcotráfico, o abandono dos mais pobres, especialmente em Morelia, o crescimento da violência no país, a corrupção endêmico no território nacional  e a exclusão dos indígenas etc. Em Morelia o papa convidou os jovens mexicanos a “sonhar” com uma vida fora do crime e pediu aos religiosos que se mantenham firmes diante das ameaças do narcotráfico.

Pe. Brendan Coleman Mc Donald

Redentorista

 


QR Code Business Card