Publicado em 29/01/2016 por

[Artigo] Missionários da Misericórdia (2)

Algumas questões práticas desse ministério especial no Ano Santo da Misericórdia

Quais os serviços dos Sacerdotes Missionários da Misericórdia.padre-rafael

O Papa Francisco, com todo seu amor e ardor missionário instituiu para o Ano Santo da Misericórdia o ofício dos Missionários da Misericórdia. Para ajudar os fieis a entenderem melhor o que farão estes Missionários da Misericórdia, passamos agora a oferecer algumas explicações, a partir do que propõe o próprio Papa na Bula “Misericordiae Vultus”, n. 18:

+ Quem são os Missionários da Misericórdia?

“Na Quaresma deste Ano Santo, é minha intenção enviar os Missionários da Misericórdia. (…) Serão sacerdotes a quem darei autoridade de perdoar mesmo os pecados reservados à Sé Apostólica, para que se torne evidente a amplitude do seu mandato.

Na Igreja, quem são os sacerdotes com poder de perdoar pecados? Os Bispos e os Presbíteros (Padres), com pleno Uso de Ordem em suas Dioceses. Desta forma, todos os Sacerdotes são dispensadores da Misericórdia Divina. Mas, no caso dos Missionários da Misericórdia, são alguns Bispos Eméritos e Padres que se colocaram à disposição deste ofício no Ano Santo e serão instituídos para tal pelo Papa Francisco.

+ O que o Papa deseja destes Missionários da Misericórdia?

 “(…) Serão um sinal da solicitude materna da Igreja pelo povo de Deus, para que entre em profundidade na riqueza deste mistério tão fundamental para a fé. (…) Serão sobretudo sinal vivo de como o Pai acolhe a todos aqueles que andam à procura do seu perdão. Serão missionários da misericórdia, porque se farão, junto de todos, artífices dum encontro cheio de humanidade, fonte de libertação, rico de responsabilidade para superar os obstáculos e retomar a vida nova do Batismo.

Deste modo, os Missionários da Misericórdia, deverão ser arautos do perdão de Deus e ajudar as pessoas a quererem fazer a experiência do perdão e da reconciliação, fazendo a experiência da vida nova do Batismo, como dizia o Papa nas palavras acima. Serão pregadores convincentes da Misericórdia.

+ Quais características o Papa espera encontrar nos Missionários da Misericórdia?

“Na verdade todos, sem excluir ninguém, estão chamados a acolher o apelo à misericórdia. Os missionários vivam esta chamada, sabendo que podem fixar o olhar em Jesus, ‘Sumo Sacerdote misericordioso e fiel’ (Hb 2, 17)”.

Ou seja, o Papa espera sacerdotes de coração aberto, acolhedores, alegres em seu ministério e que ao mesmo tempo vivam também eles o encontro com a misericórdia divina confessando-se e fazendo penitência pelo pecado. Espera sacerdotes que tragam consigo o dom das lágrimas, que compadecidos dos que os procurarem chorem suas dores e enxugue suas lágrimas, sendo assim, “antes de tudo, pregadores convincentes da misericórdia”(MV, n.18).

+ Quais as ações possíveis na realização do ministério destes Missionários da Misericórdia?

– Pregar sobre a Misericórdia: “(…) que sejam, antes de tudo, pregadores convincentes da misericórdia”;

– Participar ou organizar Missões Populares: “(…) ‘missões populares’, de modo que estes Missionários sejam anunciadores da alegria do perdão”;

Celebrar o Sacramento da Reconciliação: “(…) celebrem o sacramento da Reconciliação para o povo, para que o tempo de graça, concedido neste Ano Jubilar, permita a tantos filhos afastados encontrar de novo o caminho para a casa paterna”.

+ O Papa fala que estes Missionários poderão perdoar pecados reservados à Santa Sé. Quais são esses pecados?

Quando se fala sobre perdoar pecados que são reservados para a Santa Sé está-se dizendo com a terminologia em uso no Código de 1917 sobre determinados pecados que envolvem a pena de excomunhão automática cuja remissão da excomunhão é reservada à Sé Apostólica, precisando esses pecados ser submetidos ao julgamento da Penitenciaria Apostólica para que haja a absolvição.

Quando o Santo Padre faz o aceno de autorizar estes Missionários da Misericórdia a perdoar esses “pecados reservados”, o Papa está querendo deixar evidente a amplitude do seu mandato (MV, n.18), e deixar abertas todas as possiblidades de que a misericórdia de Deus alcance todas aas pessoas que estejam arrependidas e queriam trilhar um caminho de conversão e mudança de vida, de acordo com o Evangelho.

O próprio Papa, na sua Exortação Apostólica “Evangelii Gaudium”, n. 03, diz o seguinte: “Como nos faz bem voltar para Ele, quando nos perdemos! Insisto uma vez mais: Deus nunca Se cansa de perdoar, somos nós que nos cansamos de pedir a sua misericórdia”. Assim, os Missionários da Misericórdia trarão consigo uma imensa, mas feliz missão, de serem portadores da Misericórdia e a julgarem com o Coração de Jesus os casos que lhes forem apresentados pelos penitentes.

+ Mas, no Ano da Misericórdia, só os Missionários da Misericórdia poderão perdoar os pecados?

Claro que não. E nem daria, devido o grande número de fieis que buscam o Sacramento da Reconciliação. Todos os sacerdotes devem se entender, porque de fato o são, como Ministros da Misericórdia de Deus. Prova tal que o Papa Francisco deu a todos os sacerdotes a faculdade de perdoar o pecado do aborto, que é reservado ao Bispo. Assim se expressa o Papa, em Carta dirigida a Dom Rino Fisichella:

“Também por este motivo, não obstante qualquer disposição em contrário, decidi conceder a todos os sacerdotes para o Ano Jubilar a faculdade de absolver do pecado de aborto quantos o cometeram e, arrependidos de coração, pedirem que lhes seja perdoado. Os sacerdotes se preparem para esta grande tarefa sabendo conjugar palavras de acolhimento genuíno com uma reflexão que ajude a compreender o pecado cometido, e indicar um percurso de conversão autêntica para conseguir entender o verdadeiro e generoso perdão do Pai, que tudo renova com a sua presença”.

Mas, leia-se atentamente, que o Papa diz: “ajude a compreender o pecado cometido, e indicar um percurso de conversão autêntica para conseguir entender o verdadeiro e generoso perdão do Pai, que tudo renova com a sua presença”. Isso significa que o Papa não está dizendo que é lícito abortar, mas que é preciso deixar de lado essa prática horrível, que atenta contra a vida humana. Igualmente, o Pontífice está dizendo que é possível o perdão à pessoa arrependida.

Esse ministério dos Missionários da Misericórdia será, sem dúvida, um grande sinal do Amor de Deus em meio ao seu povo, uma vez que haverá mais alegria no céu por um só pecador que se converte, do que por noventa e nove justos que não precisam de conversão” (Lc 15,7). Aos fieis resta pedir as orações para que esses sacerdotes vivam com verdade e ardor o mandato que lhes é concedido.

 

Pe. Rafhael Silva Maciel

Padre da Arquidiocese de Fortaleza

Missionário da Misericórdia

Publicado em 29/01/2016 por

Papa Francisco concederá indulgências na Jornada Mundial do Doente

A mensagem para esta celebração foi divulgada pelo Vaticano em coletiva de imprensa

Celebrada a cada três anos, a 24ª Jornada Mundial do Doente traz como tema “Confiar em Jesus misericordioso, como Maria: Fazei o que Ele vos disser”. A celebração ocorrerá, em 11 de fevereiro, na cidade de Nazaré – Terra Santa. A mensagem do papa Francisco, para esta data, propõe meditar a passagem bíblica das “Bodas de Caná”.

Durante coletiva de imprensa, na Santa Sé, dia 28, foram apresentados os detalhes do evento, que será realizado a partir das motivações do Ano da Misericórdia. A exposição da temática da jornada contou com a presença do presidente do Pontifício Conselho da Pastoral para os Agentes de Saúde, Dom Zygmunt Zimowski, com a participação de monsenhor Jean-Marie Musivi Mupendawatu e padre Augusto Chendi, membros do dicastério vaticano, e do secretário geral da Assembleia dos Ordinários Católicos da Terra Santa, padre Pietro Felet.

Por ocasião desta jornada, o papa Francisco concedeu indulgência plenária e parcial para quem, segundo diferentes modalidades, para quem participar das intenções Do dia Mundial do Enfermo, de 7 a 13 de fevereiro.

“Nesta Jornada Mundial do Doente, podemos pedir a Jesus misericordioso, pela intercessão de Maria, Mãe d’Ele e nossa, que nos conceda a todos a mesma disponibilidade ao serviço dos necessitados e, concretamente, dos nossos irmãos e irmãs doentes. Por vezes, este serviço pode ser cansativo, pesado, mas tenhamos a certeza de que o Senhor não deixará de transformar o nosso esforço humano em algo de divino”, disse o papa Francisco na mensagem.

Confira a íntegra do texto:

MENSAGEM DE SUA SANTIDADE FRANCISCO

PARA A XXIV JORNADA MUNDIAL DO DOENTE

(Terra Santa – Nazaré, 11 de Fevereiro de 2016)

Tema: “Confiar em Jesus misericordioso, como Maria: “Fazei o que Ele vos disser” (Jo 2, 5)”

Amados irmãos e irmãs!

A XXIV Jornada Mundial do Doente dá-me ocasião para me sentir particularmente próximo de vós, queridas pessoas doentes, e de quantos cuidam de vós.

Dado que a referida Jornada vai ser celebrada de maneira solene na Terra Santa, proponho que, neste ano, se medite a narração evangélica das bodas de Caná (Jo 2, 1-11), onde Jesus realizou o primeiro milagre a pedido de sua Mãe. O tema escolhido – Confiar em Jesus misericordioso, como Maria: «Fazei o que Ele vos disser» (Jo 2, 5) – insere-se muito bem no âmbito do Jubileu Extraordinário da Misericórdia. A celebração eucarística central da Jornada terá lugar a 11 de Fevereiro de 2016, memória litúrgica de Nossa Senhora de Lurdes, e precisamente em Nazaré, onde «o Verbo Se fez homem e veio habitar conosco» (Jo 1, 14). Em Nazaré, Jesus deu início à sua missão salvífica, aplicando a Si mesmo as palavras do profeta Isaías, como nos refere o evangelista Lucas: «O Espírito do Senhor está sobre mim, porque me ungiu para anunciar a Boa-Nova aos pobres; enviou-me a proclamar a libertação aos cativos e, aos cegos, a recuperação da vista; a mandar em liberdade os oprimidos, a proclamar um ano favorável da parte do Senhor» (4, 18-19).

A doença, sobretudo se grave, põe sempre em crise a existência humana e suscita interrogativos que nos atingem em profundidade. Por vezes, o primeiro momento pode ser de rebelião: Porque havia de acontecer precisamente a mim? Podemos sentir-nos desesperados, pensar que tudo está perdido, que já nada tem sentido…

Nestas situações, a fé em Deus se, por um lado, é posta à prova, por outro, revela toda a sua força positiva; e não porque faça desaparecer a doença, a tribulação ou os interrogativos que daí derivam, mas porque nos dá uma chave para podermos descobrir o sentido mais profundo daquilo que estamos a viver; uma chave que nos ajuda a ver como a doença pode ser o caminho para chegar a uma proximidade mais estreita com Jesus, que caminha ao nosso lado, carregando a Cruz. E esta chave é-nos entregue pela Mãe, Maria, perita deste caminho.

Nas bodas de Caná, Maria é a mulher solícita que se apercebe de um problema muito importante para os esposos: acabou o vinho, símbolo da alegria da festa. Maria dá-Se conta da dificuldade, de certa maneira assume-a e, com discrição, age sem demora. Não fica a olhar e, muito menos, se demora a fazer juízos, mas dirige-Se a Jesus e apresenta-Lhe o problema como é: «Não têm vinho» (Jo 2, 3). E quando Jesus Lhe faz notar que ainda não chegou o momento de revelar-Se (cf. v. 4), Maria diz aos serventes: «Fazei o que Ele vos disser» (v. 5). Então Jesus realiza o milagre, transformando uma grande quantidade de água em vinho, um vinho que logo se revela o melhor de toda a festa. Que ensinamento podemos tirar, para a Jornada Mundial do Doente, do mistério das bodas de Caná?

O banquete das bodas de Caná é um ícone da Igreja: no centro, está Jesus misericordioso que realiza o sinal; em redor d’Ele, os discípulos, as primícias da nova comunidade; e, perto de Jesus e dos seus discípulos, está Maria, Mãe providente e orante. Maria participa na alegria do povo comum, e contribui para a aumentar; intercede junto de seu Filho a bem dos esposos e de todos os convidados. E Jesus não rejeitou o pedido de sua Mãe. Quanta esperança há neste acontecimento para todos nós! Temos uma Mãe de olhar vigilante e bom, como seu Filho; o coração materno e repleto de misericórdia, como Ele; as mãos que desejam ajudar, como as mãos de Jesus que dividiam o pão para quem tinha fome, que tocavam os doentes e os curavam. Isto enche-nos de confiança, fazendo-nos abrir à graça e à misericórdia de Cristo. A intercessão de Maria faz-nos experimentar a consolação, pela qual o apóstolo Paulo bendiz a Deus: «Bendito seja Deus e Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda consolação! Ele nos consola em toda a nossa tribulação, para que também nós possamos consolar aqueles que estão em qualquer tribulação, mediante a consolação que nós mesmos recebemos de Deus. Na verdade, assim como abundam em nós os sofrimentos de Cristo, também, por meio de Cristo, é abundante a nossa consolação» (2 Cor  1, 3-5). Maria é a Mãe «consolada», que consola os seus filhos.

Em Caná, manifestam-se os traços distintivos de Jesus e da sua missão: é Aquele que socorre quem está em dificuldade e passa necessidade. Com efeito, no seu ministério messiânico, curará a muitos de doenças, enfermidades e espíritos malignos, dará vista aos cegos, fará caminhar os coxos, restituirá saúde e dignidade aos leprosos, ressuscitará os mortos, e aos pobres anunciará a boa nova (cf. Lc 7, 21-22). E, durante o festim nupcial, o pedido de Maria – sugerido pelo Espírito Santo ao seu coração materno – fez revelar-se não só o poder messiânico de Jesus, mas também a sua misericórdia.

Na solicitude de Maria, reflete-se a ternura de Deus. E a mesma ternura torna-se presente na vida de tantas pessoas que acompanham os doentes e sabem individuar as suas necessidades, mesmo as mais subtis, porque veem com um olhar cheio de amor. Quantas vezes uma mãe à cabeceira do filho doente, ou um filho que cuida do seu progenitor idoso, ou um neto que acompanha o avô ou a avó, depõe a sua súplica nas mãos de Nossa Senhora! Para nossos familiares doentes, pedimos, em primeiro lugar, a saúde; o próprio Jesus manifestou a presença do Reino de Deus precisamente através das curas. «Ide contar a João o que vedes e ouvis: os cegos veem e os coxos andam; os leprosos ficam limpos e os surdos ouvem, os mortos ressuscitam» (Mt 11, 4-5). Mas o amor, animado pela fé, leva-nos a pedir, para eles, algo maior do que a saúde física: pedimos uma paz, uma serenidade da vida que parte do coração e que é dom de Deus, fruto do Espírito Santo que o Pai nunca nega a quantos Lho pedem com confiança.

No episódio de Caná, além de Jesus e sua Mãe, temos aqueles que são chamados «serventes» e que d’Ela recebem esta recomendação: «Fazei o que Ele vos disser» (Jo 2, 5). Naturalmente, o milagre dá-se por obra de Cristo; contudo Ele quer servir-Se da ajuda humana para realizar o prodígio. Poderia ter feito aparecer o vinho diretamente nas vasilhas. Mas quer valer-Se da colaboração humana e pede aos serventes que as encham de água. Como é precioso e agradável aos olhos de Deus ser serventes dos outros! Mais do que qualquer outra coisa, é isto que nos faz semelhantes a Jesus, que «não veio para ser servido, mas para servir» (Mc 10, 45). Aqueles personagens anónimos do Evangelho dão-nos uma grande lição. Não só obedecem, mas fazem-no generosamente: enchem as vasilhas até cima (cf. Jo 2, 7). Confiam na Mãe, fazendo, imediatamente e bem, o que lhes é pedido, sem lamentos nem cálculos.

Nesta Jornada Mundial do Doente, podemos pedir a Jesus misericordioso, pela intercessão de Maria, Mãe d’Ele e nossa, que nos conceda a todos a mesma disponibilidade ao serviço dos necessitados e, concretamente, dos nossos irmãos e irmãs doentes. Por vezes, este serviço pode ser cansativo, pesado, mas tenhamos a certeza de que o Senhor não deixará de transformar o nosso esforço humano em algo de divino. Também nós podemos ser mãos, braços, corações que ajudam a Deus a realizar os seus prodígios, muitas vezes escondidos. Também nós, sãos ou doentes, podemos oferecer as nossas canseiras e sofrimentos como aquela água que encheu as vasilhas nas bodas de Caná e foi transformada no vinho melhor. Tanto com a ajuda discreta de quem sofre, como suportando a doença, carrega-se aos ombros a cruz de cada dia e segue-se o Mestre (cf. Lc 9, 23); e, embora o encontro com o sofrimento seja sempre um mistério, Jesus ajuda-nos a desvendar o seu sentido.

Se soubermos seguir a voz d’Aquela que recomenda, a nós também, «fazei o que Ele vos disser», Jesus transformará sempre a água da nossa vida em vinho apreciado. Assim, esta Jornada Mundial do Doente, celebrada solenemente na Terra Santa, ajudará a tornar realidade os votos que formulei na Bula de proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia: «Possa este Ano Jubilar, vivido na misericórdia, favorecer o encontro com [o judaísmo e o islamismo] e com as outras nobres tradições religiosas; que ele nos torne mais abertos ao diálogo, para melhor nos conhecermos e compreendermos; elimine todas as formas de fechamento e desprezo e expulse todas as formas de violência e discriminação» (Misericordiae Vultus, 23). Cada hospital ou casa de cura pode ser sinal visível e lugar para promover a cultura do encontro e da paz, onde a experiência da doença e da tribulação, bem como a ajuda profissional e fraterna contribuam para superar qualquer barreira e divisão.

Exemplo disto são as duas Irmãs canonizadas no passado mês de maio: Santa Maria Alfonsina Danil Ghattas e Santa Maria de Jesus Crucificado Baouardy, ambas filhas da Terra Santa. A primeira foi uma testemunha de mansidão e unidade, dando claro testemunho de como é importante tornarmo-nos responsáveis uns pelos outros, vivermos ao serviço uns dos outros. A segunda, mulher humilde e analfabeta, foi dócil ao Espírito Santo, tornando-se instrumento de encontro com o mundo muçulmano.

A todos aqueles que estão ao serviço dos doentes e atribulados, desejo que vivam animados pelo espírito de Maria, Mãe da Misericórdia. «A doçura do seu olhar nos acompanhe neste Ano Santo, para podermos todos nós redescobrir a alegria da ternura de Deus» (ibid., 24) e levá-la impressa nos nossos corações e nos nossos gestos. Confiamos à intercessão da Virgem as ânsias e tribulações, juntamente com as alegrias e consolações, dirigindo-Lhe a nossa oração para que Ela pouse sobre nós o seu olhar misericordioso, especialmente nos momentos de sofrimento, e nos torne dignos de contemplar, hoje e para sempre, o Rosto da misericórdia que é seu Filho Jesus.

Acompanho esta súplica por todos vós com a minha Bênção Apostólica.

Vaticano, 15 de Setembro – Memória de Nossa Senhora das Dores – do ano 2015.

Francisco

CNBB com informações a Sala de Imprensa da Santa Sé.
Publicado em 28/01/2016 por

[Artigo] GREVES E A LEI MORAL

A frequência de greves, hoje em dia, é preocupante e exige uma reflexão. O que é que nós entendemos por greve? Greve é a cessação coletiva e voluntária do trabalho realizado por trabalhadores com o propósito de obter benefícios, como aumento de salário, melhoria de condições de trabalho ou direitos  trabalhistas, ou para evitar a perda de benefícios. Por extensão, pode referir-se à cessação coletiva e voluntária de quaisquer atividades, remuneradas ou não, para protestar contra algo (cf. CLT). O direito do trabalhador de parar seu trabalho é, hoje, um assunto tão pacífico e aceito por todos que, muitas vezes, esquecemos que há uma importante diferença entre uma greve justa e eticamente correta e uma greve injusta e moralmente condenável. Uma greve deve ser em última análise, uma maneira de ameaçar e infligir prejuízo ao governo, uma firma ou pessoa que está nos brendan_injustiçando, com a finalidade de pressioná-los a remediar ou acabar com a injustiça. No passado, o prejuízo causado por uma greve era em grande parte limitado ao empregador. Hoje, porém, por causa da interdependência dos diferentes grupos na sociedade, o dano é sofrido, não somente pelo empregador, mas também por muitas outras pessoas inocentes. O prejuízo que outras pessoas inocentes de qualquer injustiça podem sofrer é frequentemente maior do que o prejuízo sofrido pelo empregador. Um número reduzido de homens em posições chaves, especialmente nos setores públicos e de serviços, pode  comprometer uma cidade toda ou toda a nação, mesmo em situações onde dificilmente se vê que uma injustiça real é a causa de sua ação ou que a justiça exige absolutamente uma greve.

Moralmente antes de iniciar uma greve todos nela envolvidos devem responder quatro perguntas básicas: (i) Há certeza absoluta da existência de uma real injustiça? (ii) Será que esta injustiça é suficientemente grave para justificar a perda ou prejuízo que provavelmente será causada pela greve? (iii) Há uma adequada proporção estre a perda próxima a ser infligida e a finalidade legítima procurada? (iv) Será que todos os esforços para chegar a um acordo através de negociação foram feitos? Uma pessoa ou uma categoria tentando decidir se deve ou não fazer greve tem que responder a estas perguntas afirmativamente, antes de poder afirmar que “esta greve é moralmente justificável”. Nunca podemos esquecer que uma greve é uma arma a ser usado somente como último recurso, e nada pode justificar seu uso como primeiro passo numa disputa para ganhar melhores salários. Por isso, greves do tipo “relâmpago” são frequentemente mais difíceis de justificar. O direito de greve encontra-se legitimado em nossa Constituição Federal (cf. Lei No. 7.783/89 e seu Art. 9º.). A administração pública e donos de empresas não devem esperar que a inquietação ou agitação se instalasse antes de conceder razoáveis melhoramentos em salários e condições de trabalho. Greves potenciais são evitadas quando sensíveis administradores de empresas e lideranças sindicais responsáveis e competentes sentam-se à mesa para negociar num ambiente de respeito mútuo. A greve ganha às manchetes, mas são os representantes do governo, administradores ou gerentes de empresas e as lideranças sindicais que merecem proeminência pelo fato de ter evitado uma greve e os prejuízos e perdas envolvidas.

Pe. Brendan Coleman Mc Donald

Redentorista e Assessor da CNBB Reg. NE1

Publicado em 28/01/2016 por

13ª Semana das Águas

 

Acontece de  12 a 22 de março de 2016 a 13ª Semana das Águas, na Região Episcopal Serra.

O tema é o mesmo da Campanha da Fraternidade: “Casa comum, nossa responsabilidade”.

Padre Zé Maria Cavalcante será o homenageado na Semana das Águas, ação que ele fazia questão de participar e apoiar, todos os anos (inclusive no ano passado, mesmo debilitado e usando bastão). Este ano faz 80 anos do seu nascimento e sua história e seu testemunho serão lembrando e celebrados.

 

romaria_das_águas

  • Programação:

12/3 (sáb)  –  Noite Cultural com Sanfoneiros e Violeiros em Agrovila – Aracoiaba;

 

13/3 (dom) –  Visita às nascentes do Rio Aracoiaba em Guaramiranga e Baturité;

–  Celebração da Conquista das Cisternas no Vale do Choró – Baturité.
14/3 (seg) –  Encontro das Comissões Gestoras dos Açudes Públicos do Território Maciço de Baturité;

15/3 (ter) –  Visitas nas Escolas e Universidades em Baturité, Redenção e Aracoiaba;

 

16/3 (qua) – Seminário das Águas em Nível Territorial e Micro bacias do Sertão e Serra do CBHRMF;

–  Celebração da Conquista das Cisternas no Distrito de Vazantes – Aracoiaba;

–  Celebração da Conquista das Cisternas no Distrito de Ideal – Aracoiaba;

 

17/3 (qui) –  Visitas nas Escolas e Universidades em Baturité, Redenção e Aracoiaba;

–  Celebração da Conquista das Cisternas no Distrito Jucá do Zé Vilar – Baturité;
18/3 (sex) –  Feira de Sabores e Saberes, com arte, cultura, produtos da Agricultura Familiar e da gastronomia;
19/3 (sáb) –  Festa de São José em Várias Comunidades e em várias cidades;

–  Celebração da Conquista das Cisternas no Distrito de Furnas  – Aracoiaba;

–  Celebração da Conquista das Cisternas na Comunidade de Umarizeiro  – Aracoiaba;
20/3 (dom) – 7ª Romaria das Águas / Celebração da Conquista das Cisternas de Placas no Geral;
21/3 (seg)  –  Manhã de reflorestamento de um trecho das margens do Rio Aracoiaba (Aracoiaba e Baturité);

–  Celebração da Conquista das Cisternas no Distrito de Candeias – Baturité;

 

22/3 (ter)  –  Participação na Programação do Dia Mundial da Água em Fortaleza.

Para maiores informações, procurar Silvnar 85-96046224 (Tim) / silvanarlutador@yahoo.com.br  ou Dedé  85-999682054 (Tim)

Mais uma vez, nosso MUITO OBRIGADO!!

Silvanar Soares – 85 – 996046224

 

CARTAZ  da Semana das Águas

PROJETO DE APOIO À 13ª SEMANA DAS ÁGUAS

 

Publicado em 27/01/2016 por

[Artigo] O  DOUTOR  ANGÉLICO

No dia 28 de janeiro a Igreja Católica celebra cada ano a festa de Santo Tomás de Aquino, um de seus filhos mais famosos e admirados. Tomás de Aquino nasceu no castelo de Rocaseca, Aquino, Nápolis no ano de 1225, filho do conde Landulf de Aquino e da condessa Teodora de Theate. Fez seus estudos básicos na abadia beneditina de Monte Cassino. Completou seus estudos superiores na Universidade de Nápolis. Aos 18 anos, contrariando a vontade dos familiares, ingressou na Ordem dos Pregadores de São Domingos (Dominicanos). De 1245 a 1248 estudou em Paris sob o magistério de Santo Alberto Magno. De 1253 até 1259 foi professor na Sorbonne. Volta à Itália para desempenhar o cargo de mestre em teologia na corte pontifícia de Agnani, Orvieto.brendan_

“Ele era antes de tudo intelectual. Conhecido como “doctor angelicus”. Imerso nos estudos, seguidamente perdia a noção do tempo”. Sem dúvida, “seus escritos constituem um dos maiores monumentos de filosofia e teologia católica”. Seus pensamentos continuam exercendo grande influência nos estudos das universidades católicas e dos seminários católicos até hoje. Entre seus muitos escritos encontramos: A Suma contra os gentios (1259-1264), A famosa e conhecida Suma Teológica (1266), Os Comentários à Sagrada Escritura, Comentários ao Mestre das sentenças, De Trinitate, De Veritatem, Quaestiones disputate, Comentários ao Credo, ao Pai Nosso, e à Ave-Maria, além dos sermões sobre os mistérios e as festividades do Senhor. Segundo Dante “Tomás foi homem muito cortês, de bom trato para conversar e suave no falar”.

Em 1264, o Papa Urbano lV solicitou ao Tomás de Aquino que compusesse os cânticos e orações para a festa de “Corpus Christi”. O resultado foi algumas das mais famosas e emocionantes composições da música sacra. Entre as quais podemos citar: “O Sacrum Convivium”, “Lauda Sion”, “Adoro Te Devote”, “Pange Lingua”, “Sacris Sollemnis”, e “Verbum Supernum” etc. Esses cânticos foram usados nos cultos católicos até 1965 quando o Concílio Vaticano ll aprovou o uso das línguas vernáculas e a Igreja parou de usar cânticos em latim.

Faleceu no dia 7 de março de 1274, no mosteiro cisterciense de Fossanova, quando regressava do Concílio de Lião, convocado pelo Papa Gregório X. Foi canonizado em 1323 pelo Papa João XXll. O Papa Pio V declarou-o Doutor da Igreja em 1567. No ano 1880 foi declarado patrono de todas as escolas católicas.  No dia 28 de janeiro de 2015 a Igreja recorda sua memória, seu exemplo de vida, suas grandes obras teológicas e filosóficas. O lema de Santo Tomás era “contemplar e transmitir aos outros o fruto da contemplação”.

Pe. Dr. Brendan Coleman Mc Donald

Redentorista e Assessor da CNBB Reg. NE1

Publicado em 26/01/2016 por

Calendário do Ano da Misericórdia na Arquidiocese de Fortaleza

A abertura do Ano da Misericórdia foi realizada em duas datas:misericordia

– no dia 13 de dezembro de 2015, às 10 horas, na Catedral Metropolitana, com a abertura da Porta da Misericórdia e a Festa da Vida;

– no dia 20 de dezembro em Canindé, na Basílica de são Francisco das Chagas, com a Romaria da Seca.

  • Janeiro: Curso de Formação do Clero
  • Fevereiro

– 2, terça-feira, às 8 horas: Encerramento do Ano da Vida Consagrada – Jubileu da Vida Consagrada…

– 10, Quarta-feira de Cinzas: Envio dos missionários da Misericórdia, Abertura da CF 2016.

– 28, III Domingo da Quaresma: CAMINHADA PENITENCIAL JUBILAR

  • Durante a Quaresma: CATEQUESES E CONFISSÕES PARA OS JOVENS NAS REGIÕES – SUBSÍDIO COM 4 ENCONTROS: 1. Kerigma 2. Obras de Misericórdia 3. Indulgências e Comunhão dos Santos 4. Confissões
  • Março

– 20, DOMINGO DE RAMOS: Jubileu da Misericórdia com os Jovens na Catedral…

  • Abril: Jubileu da Misericórdia – enfermos, idosos, encarcerados, moradores de rua, instituições de recuperação,…
  • Maio: MISSÃO ROTA 300 – Nossa Senhora Aparecida: Jovens evangelizando jovens…

– 26, quinta-feira: CORPUS CHRISTI – Coleta para Congresso Eucarístico Nacional

  • Junho: continua ROTA 300 – Romaria a Aparecida para levar a imagem.

– 3, sexta-feira: SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS – Dia de Oração para a Santificação dos Padres e Jubileu na Catedral!

  • Julho: I RETIRO DO CLERO;

– 10 a 17: MISSÃO DOS SEMINARISTAS;

– 26 a 31: JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE em Cracóvia, Polônia

  • Agosto: VOCAÇÕES

– 7 a 14: JUBILEU DA FAMÍLIA (Semana da Família);

– 15, segunda-feira: NOSSA SENHORA DA ASSUNÇÃO – Caminhada com Maria – Salve Rainha, Mãe de Misericórdia – Coleta destinada aos cristãos perseguidos… ;

– 29, segunda-feira: Confraternização dos Padres

  • Setembro:

– 7, GRITO DOS EXCLUÍDOS: – em sintonia com CF 2016 e Ano da Misericórdia

– 24 e 25, sábado e domingo: SIMPÓSIO sobre a MISERICÓRDIA : As consequências sociais da fé cristã – Doutrina Social da Igreja, Ginásio Paulo Sarasate (?).

  • Outubro: Missão da Misericórdia: periferias existenciais – hospitais, prisões, favelas, comunicadores, escolas, universidades…
  • Novembro:

– 2, quarta-feira, FINADOS NA MISERICÓRDIA: assumir uma ação evangelizadora em todos os cemitérios – celebrações, pregações, orações.

– 13, Domingo: Encerramento do ANO DA MISERICÓRDIA. Canindé (manhã) e Catedral (tarde).

Publicado em 26/01/2016 por

Primeiro pré-carnaval católico de Fortaleza

Evento será no sábado, 30, em preparação para o Retiro de Carnaval Renascer, que será realizado de 7 a 9 de fevereiro

O Pré-Renascer, primeiro pré-carnaval católico de Fortaleza, será realizado no próximo sábado, 30, a partir das 14h, no bairro Messejana. O bloco trará para a capital cearense animação e oração, com uma alegria diferente que durará até depois do Carnaval. O evento é em preparação para o retiro de Carnaval Renascer 2016, que será realizado de 7 a 9 de fevereiro.emmir-nogueira

Na Região Metropolitana de Fortaleza, o Renascer acontecerá em 14 locais, com destaque para o Ginásio Paulo Sarasate. O retiro é realizado simultaneamente em mais de 80 cidades brasileiras. A entrada é gratuita.

O bloco com trio elétrico terá concentração na Praça do colégio Paulo Benevides (Rua Angélica Gurgel, 186 – Messejana). Seguirá pelas ruas Guarujá, Padre Pedro de Alencar, Coronel Francisco Pereira, José Hipólito até a rua Tenente Jurandir Alencar. O ponto final do Pré-Renascer será em frente à Igreja Matriz de Messejana (Rua Tenente Jurandir Alencar, 141 – Messejana).

Teremos entre as atrações Shalom God e Pegada Santa.  Esta é a primeira vez em que o Pré-Renascer é realizado. A entrada e gratuita, mas estaremos comercializando o kit Renascer com blusa, viseira e garrafa d’água.

 

  • Renascer em 14 locais

 A misericórdia de Deus e a bula de proclamação do Ano Jubilar Extraordinário da Misericórdia serão base das palestras das manhãs do Renascer 2016. Com o tema “Uma vida toda nova”, o evento será realizado de 7 a 9 de fevereiro. A entrada é gratuita.

O Retiro de Carnaval, que acontece em Fortaleza desde 1986, será realizado em 14 locais na capital cearense e em toda a arquidiocese de Fortaleza. A expectativa é alcançar 35 mil pessoas apenas no Ginásio Paulo Sarasate (Rua Idelfonso Albano, 2050). O evento também é sediado em mais de 50 cidades brasileiras. A realização é da Comunidade Católica Shalom.

A proposta do Renascer é ser um carnaval diferente, cuja alegria não acaba na Quarta-feira de Cinzas. A programação conta com palestras, cursos, Seminário de Vida no Espírito Santo e atrações musicais. O palco em 360 graus com quatro faces permite ao público acompanhar o evento de todos os lados do Ginásio Paulo Sarasate.

O evento conta ainda com padres para confissão, além de ministros de oração e aconselhamento. Cerca de dois mil voluntários se revezam nos diversos serviços do Renascer. O esforço é para que “cada vez mais pessoas possam participar dessa felicidade”, destacou Jeovana Freitas, responsável pelas ações de evangelização da Comunidade.

trajeto_2

  • SERVIÇO

Bloco Pré-renascer

Quando: Sábado, 30 de janeiro, a partir das 14h

Onde: Concentração na Praça do colégio Paulo Benevides (Rua Angélica Gurgel, 186 – Messejana)

 

Renascer 2015

Quando: 7 a 9 de fevereiro

Onde: Ginásio Paulo Sarasate (Rua Idelfonso Albano, 2050)

Entrada Gratuita

Fonte: Comunidade Católica Shalom

 

 

Publicado em 25/01/2016 por

Renovar 2016 divulga música-tema

RENOVAR 2016 DIVULGA MÚSICA-TEMA PARA DOWNLOAD renovar

Foi lançada no último sábado, 23, a música-tema oficial para divulgação do Renovar 2016 que será tocada em toda a preparação do encontro e será executada em todos os locais do evento e será disponibilizada gratuitamente para download, também para rádios e webrádios de todo o estado. Juntamente com a canção está sendo disponibilizada a letra e a cifra para que possa ser executada por todos os ministérios de música nos eventos.

A Canção é uma composição da Banda Luminus, com produção de Lúcio Lelis e SA Fonográfica, tendo como foco principal a Alegria que vem de Deus e contagia a todos os participantes do evento. A canção ainda faz menção ao Ano da Misericórdia que é vivido na Igreja Católica em 2016 e em toda a Renovação Carismática Católica do Brasil.

Nas redes sociais, jovens de diversos grupos e comunidades fazem postagens divertidas e animadas convidando para o Renovar. É grande a participação da juventude, somente na Página Oficial do movimento, dos cerca de 5mil participantes, 67% estão na faixa estaria de 18 a 34 anos. Mais de 1300 pessoas já mudaram sua foto de perfil na rede social Facebookpara a imagem do evento e muitos outros também modificaram fotos de capa e diariamente compartilham os conteúdos da página.

O Renovar demonstra que não é mais uma opção para o Carnaval, mas marca sua data no calendário de muitas pessoas, que trocaram praias e grandes momentos de folia, por um carnaval diferente, que não traz ressaca ou arrependimentos na quarta-feira de cinzas. O evento acontece nos próximos dias 6 a 9 de fevereiro em todas as dioceses do estado do Ceará com apoio de Bandeirantes Outdoor, Studio4, Jornal O POVO e Rádio Dom Bosco.

SERVIÇO

Renovar – Encontro de Carnaval da Renovação Carismática Católica
De 06 a 09 de fevereiro nos grupos, comunidades e paróquias do Ceará
Entrada Franca
Confira a lista de locais em www.rccceara.org
Informações: (85) 9 9635 8359 / (85) 9 8735 0501

 

Baixar via 4shared: http://www.4shared.com/get/mE2NxM0lba/Renovar_BandaLuminus.html

Baixar via Soundcloud: https://api.soundcloud.com/tracks/243538790/download?client_id=cUa40O3Jg3Emvp6Tv4U6ymYYO50NUGpJ

LETRA/CIFRA:

Renovar (Eder Machado/Banda Luminus)

Parte A
Abra-se a viver a nova vida
Deixe para trás o que passou.
Prepara o coração a novos dias
É Deus quem te acolhe, Ele quer te fazer feliz. (2x)

Parte B
Um chamado a renovar toda a sua história
Um clamor que vem do coração do próprio Deus
Não se prenda ao que passou, não olhe para trás
Com misericórdia o Senhor vem te abraçar

Parte C – Refrão
Acolhe a alegria que te vem de Deus,
Acolhe o Senhor! (bis)

Interlúdio / Parte A / Parte B / Parte C (2x)/ Final com Virada de Bateria

Eder Machado
Ministério de Comunicação Social – RCC Ceará

www.rccceara.org / www.facebook.com/RCCCEoficial
(85) 8735 0501 (oi) / 9676 9127 (tim)

Publicado em 25/01/2016 por

[Artigo] Tarefa fascinante

Padre Geovane Saraiva*Dia é o espaço de tempo que vai, em determinados lugares da Terra, entre o instante do nascer do Sol e o seu ocaso, com claridade de luz e sol. É a esperança de cada dia que começa a despontar, circunstância durante a qual o Sol ilumina o horizonte,  para o nosso contexto dentro do planeta, com duração de vinte e quatro horas, regulada pela rotação da Terra sobre si mesma.padre-geovane

O dia é sinônimo de claridade, de sol. Para nós cristãos, aos olhos da fé, “sol” é uma palavra que vai muito além da definição acima, transcende, e torna-se indizível no mistério insondável de Deus, no que assevera o Livro Sagrado:  “Nunca mais o Sol a iluminará de dia, nem a Lua de noite, pois eu, o Senhor, serei para sempre a sua luz, e a minha glória brilhará sobre você” (cf. Is 60, 19).

Como é maravilhoso recordar o apóstolo Paulo, missionário por excelência; não conviveu pessoalmente com o seu Mestre e Senhor. No início, de perseguidor ferrenho da Igreja e dos cristãos, abraçou a fé na viagem para Damasco, que se deu no ápice da luz do Sol, transformando-o por completo: “Ora, aconteceu que, na viagem, estando já perto de Damasco, pelo meio-dia, de repente, uma grande luz que vinha do céu brilhou ao redor de mim. Caí por terra e ouvi uma voz que me dizia: ‘Saulo, Saulo, por que me persegues?’. Eu perguntei: ‘Quem és tu, Senhor?’. Ele me respondeu: ‘Eu sou Jesus, o Nazareno, a quem tu estás perseguindo’” (cf. At 22, 6-8).

Jesus é o Sol da justiça, da verdade e da solidariedade a nos desafiar, nas palavras do Papa Francisco (24.01.2016), em sua costumeira alocução precedida do Ângelus, ao dizer que comunidades católicas devem se juntar aos empobrecidos marginalizados, deixando claro:  “Trata-se de oferecer a força do Evangelho de Deus, que converte os corações, cura as feridas, transforma as relações humanas e sociais segundo a lógica do amor; ser cristão com o ser ‘missionário’ implica em ‘anunciar o Evangelho com a palavra e, antes ainda, com a vida’”.

Dom Helder Câmara, força mística e poética da figura humana, nos assegura que o Sol da Justiça é dom e graça de Deus: “Há pessoas que, independente de idade, pelo que são, pelo que dizem e pelo que fazem, são sempre meio-dia”. Nesse sentido, recordando o Apóstolo dos Gentios, seja no anúncio do Evangelho e carismas, seja na missão e viagens, o Artesão da Paz, com enorme disposição e sabedoria interior, se esforçou para imitá-lo.

Guardemos as palavras do Mestre e Doutor das Nações, que intrepidamente soube anunciar a Boa-Nova do Senhor Jesus, consciente de que era para ele uma exigência, por isso mesmo sua disposição para tudo, até a própria vida por causa do Evangelho: “Quanto a mim, estou a ponto de ser imolado e o instante da minha libertação se aproxima. Combati o bom combate, terminei minha corrida e guardei a fé” (2 Tm 4, 6). Amém!

*Pároco de Santo Afonso e vice-presidente da Previdência  Sacerdotal, integra a  Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza – geovanesaraiva@gmail.com

 

Publicado em 25/01/2016 por

Paróquia Santo Afonso realiza peregrinação ao túmulo de Dom Helder

Paróquia Santo Afonso realiza peregrinação ao túmulo de Dom Helder de 20 a 23 de maio de 2016.  Há uma equipe organizando uma caravana. Mais informações pelo na secretaria da paróquia, no bairro de Parquelândia, pelo fone ( 85 ) 32238785

dom-hélder

 


QR Code Business Card