Publicado em 30/06/2015 por

[Notícia] Pré-Congresso Bíblico-Catequético da Arquidiocese de Fortaleza

Pré-Congresso Bíblico-Catequético da Arquidiocese de FortalezaPre-congresso-Bíblico

A Coordenação da Catequese Arquidiocesana realizará um Pré-Congresso Bíblico Catequético no dia 5 de julho, das 8 às 16 horas, na Faculdade Católica de Fortaleza. São convidados a participar dois representantes por paróquia ou área pastoral.

Este momento será em preparação ao I Congresso Bíblico-Catequético do Regional Nordeste 1 da CNBB que acontecerá de  27 a 30 de agosto, na Diocese de Itapipoca. Durante estes dias estarão estudando e aprofundando o tema: “A Palavra de Deus: Fonte e Inspiração no Caminhar Catequético”; e o lema: “Os que haviam sido dispersos anunciavam de lugar em lugar a Palavra de Deus”. (At 8,4).

 A inscrição do Pré Congresso é gratuita e deverá ser feita com os coordenadores de catequese das regiões episcopais.

O Pré-Congresso contará com participação de Dom Rosalvo Cordeiro de Lima, bispo de referência da catequese na Arquidiocese de Fortaleza. Na assessoria estarão Fernando Paixão e padre Emílio Castelo.

Maiores informações com as secretarias das regiões, ou no Secretariado de Pastoral com Hilda, telefone (85) 3388-8701

Publicado em 30/06/2015 por

[Notícia] Retiro Espiritual do Clero

Retiro Espiritual do Cleroretiro

De 6 a 10 de julho, na Pousada dos Capuchinhos, em Guaramiranga, acontecerá o I Retiro Espiritual Anual do Presbitério Arquidiocesano, indispensável para todos os sacerdotes. O orientador será Dom Jorge Alves Bezerra SSS, Bispo Diocesano de Paracatu – MG. Os participantes devem levar túnica, estolas verde e branca e a liturgia das horas para as celebrações em comum. Como o número de vagas é limitado para o Retiro Espiritual é necessário fazer a inscrição com antecedência, na Sala do Clero, com Maria de Jesus. Telefone (85) 4005 7860.

Publicado em 30/06/2015 por

[Artigo] A carta Encíclica “Laudato Si”

A carta Encíclica “Laudato Si”

Pe. Dr. Brendan Coleman Mc Donald

Pe. Dr. Brendan Coleman Mc Donald

A Carta Encíclica “LAUDATO SI” – sobre o cuidado da casa comum”, do Papa Francisco e, apresentada pelo Vaticano no dia 16 de junho, próximo passado, é um documento de grande atualidade abordando graves e urgentes problemas. O texto é dividido em uma apresentação de Sua Santidade e seis capítulos. O primeiro capítulo é titulado “O que está a acontecer à nossa casa” e aborda tópicos como: Poluição e mudanças climáticas; A questão da água; Perda de Biodiversidade; Deterioração da qualidade de vida humana e degradação social etc. O segundo capítulo tem como título “O Evangelho da Criação” ligando o tema da encíclica à sabedoria das narrações Bíblicas. O terceiro capítulo analisa a raiz humana da crise ecológica. Chama atenção o quarto capítulo da carta titulado “Uma Ecologia Integral”. Nesta importante parte da encíclica encontramos o Papa Francisco falando não apenas da ecologia ambiental, mas de uma ecologia mais humana ou de uma visão mais integral da própria ecologia com os vários níveis, ambiental, econômico, social etc. O quinto capítulo apresenta “algumas linhas de orientação e ação” que incluem: o diálogo sobre o meio ambiente na política internacional, diálogo e transparência nos processos decisórios e “as religiões no diálogo com as ciências” etc. O sexto e último capítulo da encíclica enfatiza a importância da educação e espiritualidade no campo da ecologia.
A partir desta encíclica a perspectiva espiritual é agora parte da discussão sobre o meio ambiente e também o ensino católico social agora inclui ensinamentos sobre a ecologia. A Carta Encíclica mostra como estudos sobre ecologia podem ser fundamentados na Bíblia e a Tradição da Igreja. Há também uma alerta nesta encíclica sobre os perigos da indiferença, dos interesses pessoais e do egoísmo que tendem a piorar os problemas do meio ambiente. O documento enfatiza que um diálogo global exigindo solidariedade é urgentemente necessário para nos ajudar a sair da espiral de autodestruição em que estamos mergulhando. O Papa critica alguns avanços tecnológicos, científicos e industriais que são aceitos sem levar em consideração seus efeitos sobre o meio ambiente, notando que os pobres são atingidos desproporcionalmente pelas mudanças no clima. Papa Francisco elogiou as pesquisas científicas sendo desenvolvidas atualmente sobre o meio ambiente dizendo que o número delas deve ser aumentado e seus resultados aplicados. Finalmente, o Santo Padre expressa a sua esperança de que este documento ajude a reconhecer a grandeza, a urgência e a beleza do desafio que temos diante de nós. Seria importante lembrar que a leitura da encíclica seja feita de forma a acolhê-la como um “ensinamento magisterial do Papa”.
Pe. Brendan Coleman Mc Donald
Redentorista e Assessor da CNBB Reg. NE1

Publicado em 29/06/2015 por

[Notícia] Paróquia encerra festa da padroeira Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

perpétuo_1

A Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Carlito Pamplona encerrou seus festejos alusivos a sua padroeira no sábado, dia 27 de junho, com uma grande procissão pelas ruas do bairro com um lindo andor, que deixou os paroquianos encantados acompanhando a imagem da santa, rezando e cantando numa só comoção de alegria e fé.

 

perpétuo_3 perpétuo_2

Publicado em 29/06/2015 por

[Artigo] Noites mal dormidas dos desesperados

Noites mal dormidas dos desesperados

geovane200

Padre Geovane Saraiva*

Dom Helder Câmara (1909-2009), iniciou sua vida de padre em profunda sintonia e comunhão com Jesus, Pão da Vida, Pão descido do Céu, concretamente no exemplo do seu santinho da ordenação sacerdotal, em Fortaleza Ceará (15/08/1931), através do qual assim se manifestou: Angelorum esca nutrivisti populum tuum – teu povo se alimenta do pão do céu. Por ser um cidadão planetário, o mundo foi seu campo de ação apostólico, mas vivendo-a a partir dos 27 anos de idade na cidade maravilhosa – RJ (1936-1964). Esquecê-lo jamais o místico, que soube sonhar com as realidades últimas, na função de Arcebispo de Olinda e Recife, a partir de abril de 1964. Associados ao nosso Deus altíssimo, terníssimo e boníssimo, elevamos fervorosas preces, desejosos de vê-lo beatificado e canonizado.

Iniciado o processo de sua beatificação e canonização do ‘Servo de Deus, Dom Helder Câmara’, na Arquidiocese de Olinda Recife (03/05/2015), lugar no qual residiu na condição de Arcebispo metropolitano e depois como Arcebispo Emérito (1964-1999). É indispensável saber olhar para o artesão da paz, na sua espiritualidade genuína e cristalina, quando sua oração ao Deus e Pai se transforma em ação e poesia: “Fomos nós, as tuas criaturas que inventamos teu nome!? O nome não é, não deve ser um rótulo colado sobre as pessoas e sobre as coisas… O nome vem de dentro das coisas e pessoas, e não deve ser falso… Tem que exprimir o mais íntimo do íntimo, a própria razão de ser e existir da coisa ou da pessoa nomeada… Teu nome é e só podia ser amor”.

Assaz a participação do artífice da paz no Concílio Vaticano II (1962-1965), agindo excepcionalmente nos bastidores com um articulador muito especial. Certa vez Dom Hélder confidenciou: “Uma de minhas maiores emoções, em toda minha vida, foi quando da abertura da primeira sessão do Concílio Vaticano II”. Em sua aula inaugural, o Papa João XXIII disse com força: “Aqui estamos para a nossa conversão” e ele mesmo se incluía. Isso significava que nós, cristãos, padres e bispos e até o Papa, precisávamos voltar às origens do cristianismo e a reaprender o Evangelho. Devemos beber novamente da fonte d’água da vida que é o próprio Deus.

O processo de beatificação de Dom Helder faz-nos pensar em Karl Rahner, sacerdote jesuíta, nascido na Alemanha (1904-1984); que foi um dos maiores e mais importantes teólogos do século XX, certamente o influenciou enormemente, deixando marcas profundas e forte presença no meio cristão, pela sua ação concreta em favor da Igreja, também seus dons e inteligência privilegiada, destacando-se como assessor do Concílio Vaticano II. Além de desempenhar um relevante papel, incentivando a Igreja Católica para que se abrisse ao mundo e às diversas tradições e culturas. Dizia ele com a coragem profética, bem dentro do espírito de Dom Helder, que lhe era peculiar, que o cristão do futuro será um místico ou não será nada.

Como místico, tornou-se conhecido no Brasil e no mundo inteiro, por sua luta em favor de uma humanidade livre, especialmente, os desafortunados da vida, os empobrecidos, os “sem voz e sem vez”, como ele costumava dizer. O Papa Francisco, logo no início de seu pontificado deu sinais concretos da importância do Concílio Vaticano II: dispensou a cruz de ouro, recusou o carro de luxo, pagou a sua conta na pensão, exortou os bispos a saírem dos palácios e a irem para as periferias, disse que a Igreja sem a Cruz é tão somente uma piedosa ONG, pediu a bênção dos fiéis e se esforça para dar rumo aos trabalhos pastorais nos nossos dias. Vejo a essência do seu pontificado nas palavras daquele que era invocado com nome ‘Dom da Paz’: “Que eu aprenda afinal, com a paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo, a cobrir de véus o acidental e efêmero, deixando em primeiro plano, apenas o mistério da Redenção”.

Deveras Dom Helder, no seu sonho em favor de uma Igreja povo de Deus, servidora e despojada, restaurada e renovando no amor, dentro do espírito do Pacto das Catacumbas (16/11/1965), propôs ao Santo Padre, o Papa Paulo VI, uma sugestão filial quanto profética:  “Santo Padre, abandone seu título de rei e vamos reconstruir a Igreja como nosso Mestre, sendo pobres. Deixe os palácios do Vaticano, vá morar numa casa na periferia de Roma. Pode até ter uma praça para saudar e abençoar as ovelhas. Depois, Santo Padre, convide a todos os bispos a largarem tudo o que indica poder, majestade: báculos, solidéus, mitras, faixas peitorais, batinas roxas. Vamos amontoar tudo na Praça de São Pedro e fazer uma grande fogueira, dizendo de peito aberto para o povo: Vejam, não somos mais príncipes medievais. Não moramos mais em palácios. Todos somos pastores, somos pobres, somos irmãos”.

Ninguém melhor do que Dom Helder para perceber o rosto de Deus na dor, na angustia e no sofrimento do próximo: “…nos rostos gastos pela fome e esmagados pelas humilhações vi o rosto do Cristo Ressuscitado”.  Apesar de não ter convivido com Dom Helder, ao ingressar no seminário em 1974, passei a admirá-lo. Tive a sorte de estar com ele em três ocasiões. Sua vida foi um verdadeiro hino de louvor a Deus. Em 1948 como padre novo no Rio de Janeiro se expressou de modo extremamente profundo e em tom poético, ao externar: “Se eu pudesse sairia povoando de sono e de sonhos as noites mal dormidas dos desesperados”.

Escritor, blogueiro, colunista, vice-presidente da Previdência Sacerdotal e Pároco de Santo Afonso, Parquelândia, Fortaleza-CE – geovanesaraiva@gmail.com

 

Artigos Relacionados

Publicado em 26/06/2015 por

[Notícia] Jubileu de Ouro Presbiteral

Jubileu de Ouro

Neste mês de junho três padres celebram o Jubileu de Ouro de ordenação presbiteral: Pe. João Tryboba, SDS, no dia 7 de junho; Pe. Lino Allegri, no dia 27 de junho; Pe. José (Luís) Fernandes de Oliveira, no dia 29 de junho.tryboba

 Pe. João Tryboba SDS, nasceu aos 23 de abril de 1940, na Polônia. No Seminário Maior Salvatoriano de Bagno estudou Filosofia de 1959 a 1961 e Teologia de 1961 a 1965. Aos 7 de junho de 1965 foi ordenado Presbítero, em Trzebnica, por Dom Andrej Wronka. Aos 21 de dezembro de 1978 chegou ao Brasil, a serviço da Diocese de Brejo, MA. João assumiu, no dia 4 de fevereiro de 2010, a função de Pároco da Paróquia Imaculada Conceição no bairro João XXIII, em Fortaleza, CE.

Pe. Lino Allegri nasceu no dia 21 de dezembro de 1938, em Bolzano, Itália. Foi ordenado em 27 de junho de 1965, na Itália. Pertence ao grupo de padres missionários chamados “Fidei Donum”: padres diocesanos que, continuando incardinados à sua diocese de origem, vão exercer o ministério lino2presbiteral em dioceses mais necessitadas. Chegou ao Brasil em 1970. Trabalhou inicialmente na diocese de Cajazeiras, PB; depois em dioceses dos sertões da Bahia e de Goiás. Pe. Lino chegou à Arquidiocese de Fortaleza em 1991 e assumiu a Área Pastoral da Barra do Ceará, que acabava de ser criada por Dom Aloísio Lorscheider. De 1994 a 1998  assumiu cumulativamente, nomeado que foi por Dom Aloísio, a direção do Centro de Defesa e Promoção dos Direitos Humanos. Depois foi vigário paroquial responsável pela Área Pastoral do bairro Tancredo Neves. Atualmente celebra na comunidade de São Roque, bairro Lagoa Redonda, e comunidade do Trilho.  Durante todos esses anos tem acompanhado as CEBs e as Pastorais Sociais e, nos últimos anos, tem se dedicado, sobretudo, à Pastoral do Povo da Rua de cuja coordenação participa.

Pe. José Fernandes de Oliveira

(Pe. José Luís), nasceu em 27 de fevereiro de 1940, em Cascavel, CE. Entrou no Seminário Menor da Prainha em fevereiro de 1952. Fez os cursos de Filosofia (1959 a 1961) e Teologia (1962 a 1965) no Seminário da Prainha. Pe. José Fernandes pertence à ultima turma de padres da Arquidiocese de Fortaleza que estudaram e moraram no Seminário da Prainha . Seus companheiros de  ordenação foram Raimundo Gomes Frota, falecido, Everardo Bezerra Fialho, casado, e João (Morais) Nogueira Mota, casado. A ordenação foi celebrada na Catedral Metropolitana, em construção, no dia 29 de junho de 1965, antecipada por conta da última sessão do Concílio Vaticano II, de setembro a dezembro, e porque naquele dia, 29 de junho, Dom José de Medeiros Delgado, então arcebispo de Fortaleza, completava 24 anos de ordenação episcopal, iniciando assim o seu ano jubilar. Pe. José Fernandes exerceu o ministério presbiteral como pároco em São Gonçalo do Amarante, Pacatuba, Iguatu, Aquiraz. Foi reitor da Igreja da Prainha, capelão da Polícia Militar do Ceará, em Juazeiro do Norte. Fez o doutorado em Direito Canônico, no Angelicum, em Roma. Desde então tem trabalhado no padre-josé-fernandes_pTribunal Eclesiástico de Fortaleza, primeiramente como Vigário Judicial e, nos últimos anos, como Presidente. Com os padres jubilandos o povo de Deus da Arquidiocese de Fortaleza eleva a Deus sua ação de graças por tão grande dom que lhes foi concedido. Une-se em comunhão a eles em data tão alegre e graciosa e agradece-lhes por tão generosa e dedicada missão na formação deste mesmo Povo e construção do Reino de Deus.

Publicado em 26/06/2015 por

[Boletim] Boletim Informativo de junho de 2015

boletim_Informativo_junho_2015
boletim_junho_2015_1

 

Visualize pelo Issuu

Publicado em 25/06/2015 por

[Notícias] Retiro da Pastoral Carcerária Reg Ne I

pastoral-carcerária_1

A Pastoral Carcerária, Impulsionada pela misericórdia de Deus e apreendendo a prática de Jesus e desenvolvendo ações que esta presença exige, Ele nos alerta para o compromisso com a verdade, a justiça, a caridade e a misericórdia, contrariando muitas pessoas que se sentem incomodadas com a justiça do Evangelho. A formação periódica são momentos privilegiados de interiorização e conversão que nos encoraja a assumir os riscos do anúncio das Boas-Novas e das denúncias das injustiças, com mais confiança, pois Ele sempre está conosco. Por isso minha irmã, meu irmão agente de Pastoral Carcerária: juntos, vamos fazer uma experiência Pessoal-Comunitária-Humanitária com Cristo em busca de uma efetiva transformação de valores e atitudes.

Neste Espírito de interiorização pessoal, queremos lembrar a todos (as) o compromisso de Retiro Espiritual que acontecerá nos dias 26, 27 e 28 de junho de 2015, na casa de encontro São Vicente de Paulo.

 É no coração das pessoas que se origina a guerra e, por isso, é a partir do mesmo coração das pessoas que é necessário se construir a PAZ”…

Secretaria da PCr com Regina. Fone: (85) 33888718 Fone/Fax: (85)33888703 / (85) 987318895 ou (85) 996554275 ou por

E-mail: pcarcerariafortaleza@yahoo.com.br/pcr.ceará@gmail.com/skype: pcrceara@hotmail.com

 

 

Publicado em 25/06/2015 por

[Artigo] A Festa de São Pedro e São Paulo Apóstolos

A Festa de São Pedro e São Paulo Apóstolosbrendan_

Dia 28 de junho, a Igreja Católica celebra a Festa de São Pedro  e de São Paulo, apóstolos. A liturgia romana sempre reuniu os dois apóstolos Pedro e Paulo numa só solenidade, por considera-los os fundadores da Igreja de Roma. Tendo os dois recebidos o martírio na perseguição de Nero, a tradição os identificou também no dia de sua morte que ocorreu no dia 29 de junho. Este ano de 2015, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil coma autorização da Santa Sé, está celebrando a festa no domingo dia 28, para deixar mais pessoas participar nas solenidades. Aqui no Brasil esta festa é também popularmente chamada o Dia do Papa que é o sucessor de Pedro. De Pedro a Francisco tivemos 2658 papas. Porém, é importante lembrar que ao lado de Pedro estamos celebrando também o grande missionário São Paulo.

Em Mateus 16, 18 encontramos Cristo dizendo: “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja…”. Geralmente estas palavras significam que Pedro é a sólida rocha sobre a qual foi edificada a Igreja, mas esta não é a única interpretação da frase. Há outros textos no Novo Testamento que nos dizem claramente que a “rocha” que Deus pôs como fundamento da Igreja é o próprio Cristo (cf. Armellini, em Celebrando a Palavra, 2001, p. 98). Nossos pensamentos hoje vão para Roma, a Cidade Eterna e, de uma maneira especial, vamos lembrar em nossas orações do nosso querido Papa Francisco dirigindo a Igreja em um dos momentos mais difíceis de sua longa história.

Pedro e Paulo são considerados “colunas da Igreja”: Pedro recordando mais a instituição; Paulo, o carisma e a pastoral. Exerceram atividades bastante diferentes em campos diferentes. Nem sempre concordaram um com o outro. Porém, “O amor de Cristo e a força do testemunho os uniram na vida e no martírio. Em ambos, quer na vida, quer no martírio, prolongam-se a vida, paixão, morte e ressurreição de Cristo”. (cf.Bortolini, em Roteiros Homiléticos, 2007, p. 756). Pedro e Paulo representam duas dimensões da vocação apostólica, diferentes, mas complementares. “As duas foram necessárias, para que pudéssemos comemorar hoje os fundadores da Igreja universal. Esta complementariedade dos carismos de Pedro e Paulo continua atual na Igreja hoje: a responsabilidade institucional e a criatividade missionária (cf. Konings, Liturgia Dominical, 2003, p. 4909).

Não há dúvida, a experiência de Pedro e Paulo com Jesus mudou de uma maneira extraordinária as vidas desses dois santos. “Pedro, fundamento e sinal visível nos seus sucessores da comunhão na fé, na caridade e na unidade. Paulo, intrépido evangelizador, grande missionário de todos os tempos, que justamente com Pedro propaga o Evangelho até o derramar do sangue, regando assim a Terra para que essa pudesse gerar muitos frutos”. Hoje podemos nos considerar um desses frutos, pois a pregação do Evangelho chegou até nós, e em comunhão com o Papa Francisco podem, a exemplo dos nossos dois santos, continuar a missão de anunciar a Boa-Nova a todas as criaturas. (Cf. García Paredes, em A Liturgia da Palavra Comentada, 2011, p. 545). Neste dia somos chamados a tomar consciência de que Deus nos envia para testemunhar o seu Reino: vivendo na unidade da fé; evangelizando na realidade em que vivemos, superando os obstáculos e reaviando a esperança de que um mundo diferente será possível através da vivência da paz evangélica.

A tradição afirma que em Roma Pedro sofreu o martírio durante o reinado de Nero e que “foi crucificado com a cabeça para baixo” (Orígenes) na colina do Vaticano provavelmente em 64. Aí se construiu a basílica constantiniana e posteriormente a atual basílica de São Pedro. Paulo é, antes de tudo, um pregador do “querigma apostólico”, proclamação de Cristo crucificado e ressuscitado conforma as Escrituras.

Pe. Brendan Coleman Mc Donald

Redentorista e Assessor da CNBB Reg. NE1

Artigos Relacionados

Publicado em 25/06/2015 por

[Notícia] Comunidade Shalom promove Congresso das Famílias

famílias_1

Comunidade Shalom promove Congresso das Famílias

 Evento será realizado nos dias 27 e 28 de junho no Hotel Romanos. 

Para debater o papel da família na sociedade e o seu chamado a ser testemunha do amor de Deus entre os homens, será realizado o Congresso das Famílias 2015. O tema deste ano é “Família: rosto do amor e da misericórdia de Deus”. O evento será realizado nos dias 27 e 28 de junho no Hotel Romanos.

A realização é do Projeto Família da Comunidade Católica Shalom. Os casais que tiverem crianças entre 5 e 11 anos poderão encaminhá-las para participarem de atividades coordenadas pelo Projeto Criança, que estará presente no evento.

Os pregadores do Congresso são Daniel Ramos, responsável pelo Shalom em Toulon e o padre Sílvio Scopel, assistente da Comunidade Shalom em Fortaleza. “A formação das famílias é fundamental para que possamos colher do coração de Deus o que é ser família. Neste tempo, vamos falar que a família é o rosto do amor e da misericórdia de Deus”, explicou Adriana Vianna, do Projeto Família.

Adriana destacou que o Papa Francisco tem abordado em suas pregações sobre o individualismo que está invadindo também as famílias. “Vivemos na mesma casa, mas com nossos planos, segundo nossos projetos e perdemos a referência da partilha, do bem comum. O egoísmo anda muito junto da impaciência”, analisou.

 Serviço

Congresso das Famílias

Quando: 27 e 28 de junho

Onde: Hotel Romanos

Inscrições: Shalom da Paz (Rua Maria Tomásia, 72 – Aldeota) e Projeto Família (Rua Rua Dr. José Lourenço, 1451)

Mais informações: (85) 8820-7994/ (85) 9712-5233

www.comshalom.org/familia

Por Teresa Fernandes Assessoria  de Imprensa da Comunidade Católica Shalom


QR Code Business Card