Publicado em 30/04/2015 por

[Notícia] Novenário de Nossa Senhora de Fátima, em Álvaro Weyne

alvaro_weyne_1

Acontece de primeiro a treze de maio os festejos da paróquia Nossa Senhora de Fátima, localizada no bairro de Álvaro Weyne. O tema deste ano é: Eis aqui a serva do Senhor. Durante esses treze dias haverá missas, novenas, barracas e muita animação.

Informações pelo fone: (85) 3228-5365, com Maria Celestina de Aguiar  – Secretária da Paróquia.

Publicado em 30/04/2015 por

Vaticano disponibiliza site do Jubileu da Misericórdia


Banner Misericrdia
O Vaticano criou um website do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, que acontecerá de 8 de dezembro deste ano até 20 de novembro de 2016. O endereço eletrônico está disponível em seis idiomas e possui o anúncio do Jubileu, a Bula de Convocação, notícias, vídeos, galeria de fotos e um formulário para contato com o Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, responsável pela organização do Ano Santo.

O papa Francisco realizou a convocação oficial do Jubileu extraordinário da Misericórdia no dia 11 de abril. Na ocasião foi entregue aos quatro cardeais-arciprestes das basílicas papais de Roma a Bula “Misericordiae Vultus” (O rosto da Misericórdia).

Durante a 53ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que aconteceu em Aparecida (SP), de 15 a 24 de abril, o bispo de Amparo (SP) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé da entidade, dom Pedro Carlos Cipollini, apresentou um breve comentário sobre o documento divulgado pelo papa.

“O tema da Misericórdia tem raízes profundas na Igreja e o papa Francisco (um homem marcado pela misericórdia, que ele escolheu como lema episcopal), soube captá-las e inserir nestas raízes a proposta do Ano Santo”, considerou em sua introdução.

Dom Cipollini retornou à fala de são João XXIII na abertura do Concílio Vaticano II, lembrando a proposta de uma Igreja que “prefere usar a medicina da misericórdia”. A Bula de proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia também menciona são João Paulo II, que publicou a encíclica “Dives in misericórdia” e canonizou Santa Faustina, a santa da Misericórdia.

Dos 25 itens da bula papal, o presidente da Comissão para Doutrina da Fé destacou três pontos. Os fundamentos teológicos, a aplicação à Igreja e indicações práticas sobre como viver um itinerário espiritual de conversão durante o Ano Santo.

No último tópico, foram dadas indicações práticas para a vivência do ano da misericórdia. Dom Cipollini destacou as propostas de “Peregrinação como caminho e sinal de conversão”. “A peregrinação ‘será sinal de que a própria misericórdia é uma meta a alcançar e que exige empenho e sacrifício’”, sublinhou.

Outra sugestão é a vivência do perdão. “O perdão aparece aqui como componente da misericórdia divina e vértice da oração cristã. É a redenção vista na ótica do perdão”, explica. Neste tópico, destaca-se o comunicado do papa no envio dos “missionários da misericórdia” durante a quaresma. “Sacerdotes a quem ele dará autoridade para perdoar mesmo os pecados reservados à Santa Sé e pede aos bispos que os convidem e acolham”, disse.

Por último, foi indicada a relação “Justiça e misericórdia”. “O papa reflete a partir de várias passagens bíblicas para concluir que a justiça de Deus culmina no seu perdão”, analisa o bispo.

Acesse o site oficial do Jubileu da Misericórdia

Leia na íntegra a Bula de Proclamação do Bula do Ano Santo – Jubileu Extraordinário da Misericórdia.

Fonte: CNBB

Publicado em 30/04/2015 por

[NOTÍCIAS/ArqFor] Padre Gilson Marques Soares participa da abertura oficial do processo de beatificação e canonização de Dom Helder Câmara

Padre Gilson Marques Soares, pároco do Senhor do Bonfim, Monte Castelo, participa no domingo, dia 3, às 9h, da Missa presidida por Dom Antônio Fernando Saburido, arcebispo de Olinda e Recife, por ocasião da abertura oficial do processo de beatificação e canonização de Dom Helder Câmara. A Santa Missa será rezada na Catedral do Santíssimo Salvador do Mundo. Padre Gilson recebeu o acolitato e leitorato de Dom Helder, quando estudava como seminarista em Recife.

dom_helder1Processo diocesano de beatificação de dom Helder terá início em maio

A arquidiocese de Olinda e Recife (PE) recebeu na segunda-feira, dia 6 de abril, a carta que confirma que “nada obsta, da parte da Santa Sé,” a que a Causa de Beatificação e Canonização do Servo Deus dom Helder Pessoa Câmara possa ser realizada. Diante do fato, o arcebispo local, dom Antônio Fernando Saburido, marcou para o dia 3 de maio o início da etapa diocesana do processo de beatificação daquele que esteve à frente da criação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Dom Saburido marcou para o horário de 9 horas o início da Missa na qual irá apresentar os membros da comissão jurídica responsável por reconhecer as “virtudes heroicas” do “Dom da Paz”, como dom Helder é conhecido.

Chamada de “tribunal”, a comissão será formada por cinco membros: juiz delegado e promotor de justiça (ambos canonistas), notário, notário adjunto e cursor. O grupo se reunirá para estudar os textos publicados em vida e analisar os testemunhos de pessoas que conheceram o prelado. “O objetivo deles será analisar os novos textos publicados por dom Helder e ouvir pessoas que tiveram contato com o Servo de Deus. Também será fundamental a atuação das comissões histórica e teológica, esta última ainda será criada”, explica o postulador da causa de beatificação e canonização de dom Helder, frei Jociel Gomes.

Dom Fernando Saburido, em entrevista coletiva nesta quarta-feira, 8, assinou edital que torna pública a autorização da Santa Sé. “Tenho um carinho enorme por dom Helder e desde que cheguei à arquidiocese há esse desejo do povo de Deus. Enviamos o pedido no dia 27 de maio do ano passado e nos surpreendeu positivamente o retorno rápido da Santa Sé. Agora vamos trabalhar para concluir a etapa diocesana do processo. Em seguida, será a vez do Vaticano realizar a outra parte do processo”, disse dom Saburido.

Após a fase diocesana do processo de beatificação haverá a elaboração, por parte do relator nomeado pela Congregação para a Causa dos Santos de um documento denominado Positio. Trata-se de um compêndio dos relatos e estudos realizados pela comissão jurídica. Assim que aprovado, o papa concede o título de Venerável Servo do Deus.

O passo seguinte é o da beatificação. Ser beato, ou bem-aventurado, significa representar um modelo de vida para a comunidade e, além disso, ter a capacidade de agir como intermediário entre os cristãos e Deus. Depois disso, ainda é preciso passar por mais uma fase: a canonização.

Para ser proclamado santo é imprescindível a comprovação de um milagre, que deve ocorrer após sua nomeação como beato.

Recorde a atuação de dom Helder Câmara na CNBB

Dom Helder Camara nasceu em 7 de fevereiro de 1909, em Fortaleza, e  teve 12 irmãos. Após entrar muito jovem no Seminário da capital do Ceará, se tornou padre aos 22 anos.

O primeiro momento da vida religiosa de dom Helder foi marcado pela militância junto a instituições políticas conservadores, como a Ação Integralista Brasileira, entre 1932 e 1937. Mais tarde, o religioso considerou a participação como um erro da juventude. Já radicado no Rio de Janeiro desde 1936, passou a optar por um trabalho assistencialista, quando fundou departamentos da Igreja voltados para atender os mais necessitados.

Após longo período atuando na então capital do Brasil, dom Helder foi nomeado para o Maranhão. Com a morte do arcebispo de Olinda e Recife, é mandado para Pernambuco, onde desembarcou em 12 de abril de 1964, poucos dias após o golpe militar. Na capital pernambucana, o religioso desembarcou em meio a uma relação conturbada entre Governo do Estado e Igreja.

Dois dias após a posse, dom Helder lançaria, juntamente com outros 17 bispos nordestinos, um manifesto à Nação, pedindo liberdade das pessoas e da Igreja. O primeiro grande atrito, entretanto, ocorreu em agosto de 1969, quando o arcebispo foi acusado de demagogo e comunista, por ter criticado a situação de miséria dos agricultores do Nordeste.

A partir de então, dom Helder sofreu represálias, inclusive com sua casa metralhada, assessores presos e com a morte de Padre Antônio Henrique, que foi assassinado. Em 1970, quando dom Helder teve o nome lembrado para o Prêmio Nobel da Paz, o governo brasileiro promoveu uma campanha internacional para derrubar a indicação, já que ele denunciava a prática de tortura a presos políticos no Brasil. Também em 1970, os militares chegaram a proibir a imprensa de mencionar o nome do arcebispo de Recife e Olinda.

Dom Helder comandou a Arquidiocese de Olinda e Recife até o dia 10 de abril de 1985, quando – por atingir a idade limite de 75 anos – foi substituído pelo arcebispo dom José Cardoso Sobrinho.  Ele morreu em sua casa, no Recife, em 27 de agosto de 1999, devido a uma insuficiência respiratória decorrente de uma pneumonia. Seus restos mortais estão sepultados na Igreja Catedral Santíssimo Salvador do Mundo, em Olinda.

Pelo seu trabalho em defesa dos direitos humanos, dom Helder recebeu vários prêmios internacionais, como Martin Luther King, nos Estados Unidos, 1970, e o Prêmio Popular da Paz, na Noruega, 1974.  O religioso é autor de 22 livros, a maioria ensaios e reflexões sobre o terceiro mundo e a Igreja.

Acesse http://www.arquidioceseolindarecife.org/2015/04/missa-abre-oficialmente-processo-de-beatificacao-e-canonizacao-de-dom-helder-camara/

Com informações da Arquidiocese de Olinda e Recife e CNBB

Publicado em 30/04/2015 por

[NOTÍCIAS/ArqFor] Seminário da Iniciação à Vida Crista será realizado na cartaz-iniciação-cristã400A Região Nossa Senhora da Assunção

cartaz-iniciação-cristã400A Região Nossa Senhora da Assunção e a Comissão da Iniciação à Vida Cristã convida a todos os animadores catequéticos das paróquias e áreas pastorais que compõem nossa região a se fazerem presentes no próximo dia 03/05, às 08 h, na Igreja Nossa Senhora de Fátima, no Álvaro Weyne, para o Seminário da Iniciação à Vida Cristã.

É de fundamental importância a participação de todos neste momento enriquecedor. Na oportunidade será escolhidos os delegados para participarem do Congresso Bíblico Catequético que ocorrerá em agosto próximo.

O Seminário tem como tema: “A Palavra de Deus: fonte e inspiração no caminhar catequético” e como o lema: “Os que haviam sido dispersos anunciavam de lugar em lugar a Palavra de Deus.” (At 8,4).

Esperamos contar com a participação de todos para esse evento.

Por Alex Ferreira – Secretário da Região

Publicado em 30/04/2015 por

[VÍDEOS] Histórias de Solidariedade e Transformação – FNS 15 anos

Durante 15 anos, o Fundo Nacional de Solidariedade construiu uma metodologia de apoio aos pequenos projetos, que estão distribuídos em 3 eixos:

– Formação e Capacitação;

-Mobilização para conquista e efetivação de direitos;

– Superação de vulnerabilidade econômica e geração de renda.

 

Publicado em 30/04/2015 por

Nota da Pastoral Operária sobre o dia do trabalhador e da trabalhadora

po300A memória do dia do trabalhador e da trabalhadora – 1º de maio – nos oportuniza refletir sobre o sentido do trabalho, chave de análise e de transformação da questão social. Entre os desafios que corroboram a atenção social da Igreja está o trabalho e a situação dos trabalhadores e trabalhadoras. A conquista de direitos não tem sido um prêmio, mas originário do empenho da classe trabalhadora organizada. Dessa forma, destaca o Papa Leão XIII, “não será lícito a ninguém violar o seu direito de qualquer forma que seja” (Rerum Novarum, nº 5) e o Papa Francisco reafirma: “Nenhum trabalhador sem direitos”.

Não cessam as tantas mazelas que o mundo do trabalho enfrenta: a fragmentação do trabalho, a complexa relação capital trabalho, a mobilidade urbana, o acesso a direitos básicos, a violência que afeta diretamente as famílias trabalhadoras. Não obstante a isso, os últimos meses tem revelado um preocupante cenário no que se refere aos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras na sociedade brasileira. As Medidas Provisórias (MP) 664 e 665 de 30 de dezembro de 2014 representam uma ameaça à classe trabalhadora. A restrição de direitos providas pelas novas regras impactam negativamente sobre a vida de milhões de trabalhadores e trabalhadoras, sua grande maioria jovens, mulheres e terceirizados, desde a construção civil e agricultura.

O projeto de lei 4.330/04 que regulamenta a terceirização aprovado pelos deputados federais recentemente, representa mais um desafeto com os trabalhadores e trabalhadoras no que tange a defesa dos seus direitos e o cuidado com a vida. Os serviços terceirizados são responsáveis por 80% das mortes seguidas de acidentes de trabalhos. Os trabalhadores terceirizados recebem em média salários 25% menores e, trabalham mais que os não terceirizados. A regulamentação da terceirização representa, portanto, a precarização do mundo do trabalho.

Destacamos ainda nessa mesma leitura conjuntural a aprovação da redução da maioridade penal, que por sua vez recairá sobre os filhos e filhas de trabalhadores/as já lesados em seus direitos básicos e trabalhistas. A juventude trabalhadora já vive o desprezo das políticas publicas de trabalho, propensas aos serviços precários, baixos salários, alta rotatividade; além da expressiva dedicação de conciliar trabalho e estudos, com significativas distâncias e desumanas condições de transporte. Repudiamos a precariedade dos serviços de direitos e a criminalização dos sujeitos de direitos.

Como outrora destacou o profeta Isaías, “Ai daqueles que fazem decretos iníquos e daqueles que escrevem apressadamente sentenças de opressão, para negar justiça ao fraco e fraudar o direito dos pobres do meu povo, para fazer das viúvas a sua presa e despojar os órfãos” (Isaías, 10, 1-2).  Deste modo, “assim como o mandamento ‘não matar’ põe um limite claro para assegurar o valor da vida humana, assim também hoje devemos dizer ‘não a uma economia da exclusão e da desigualdade social’. Esta economia mata” (Evangelii Gaudium, nº 53). A campanha da fraternidade 2015 nos convida, à luz do evangelho, a aprofundar a compreensão da dignidade da pessoa humana, deste modo, não é possível conceber que no século XXI as pessoas sejam usadas como “negócios” de interesses do capital sobre o humano. “Assim teve início a cultura do ‘descartável’, que aliás chega a ser promovida. (…) Os excluídos não são ‘explorados’, mas resíduos, ‘sobras’, destaca o Papa Francisco (Evangelii Gaudium, nº 53).

Nessa ocasião do dia dos trabalhadores e trabalhadoras, destacamos:

– a defesa incondicional dos direitos e toda a luta pela não redução de direitos;

– a redução da carga horária para 40 horas semanais sem redução de salário;

– a revogação da lei da terceirização e das medidas provisórias 664 e 665;

– a defesa da previdência como mecanismo de garantia de direito e vida;-

– o fortalecimento da Economia Solidária como novas formas de produção e relações de trabalho;

– a agricultura familiar como direito dos trabalhadores do campo e soberania alimentar;

– a reforma política que represente os trabalhadores e trabalhadoras;

– a contrariedade à redução da maioridade penal que recairá sobre os filhos e filhas de trabalhadores e trabalhadoras;

Deste modo, saudamos a todos os trabalhadores e trabalhadoras que na sua dignidade humana luta incansavelmente para que o pão chegue a todas as mesas. “O meu desejo é a vida do meu povo” (Ester, 7, 3). A Pastoral Operária se solidariza a todos, nessa data que não é para receber “prêmios”, mas para conquistar direitos.

A luta dos homens e mulheres é a luta de Deus; é divina. É fonte de dignidade. Os direitos trabalhistas são traduções da dignidade dos trabalhadores/as. As violações dos direitos trabalhistas são ofensas contra Deus.

Que o bom Deus, sob a intercessão de São José, o operário, fortaleçam e alimente em todos e todas a espiritualidade de trabalhadores e trabalhadoras do Reino de Deus.

Pastoral Operária Nacional, 28 de abril de 2015.

 

Publicado em 29/04/2015 por

[NOTÍCIAS/ArqFor] Pastoral Operária realiza debate sobre o 1º de maio

A Pastoral Operária do Ceará realiza amanhã, 30 de abril, às 19h, no Conjunto Timbó, na Rua 123, casa 221, um Debate sobre o 1º de Maio com o tema “Nenhum trabalhador Sem Direito”.

A Pastoral Social é serviço da classe trabalhadora urbana, organizada, composta e dirigida pelos trabalhadores/as. Fazemos parte das Pastorais Sociais da Comissão para a Caridade, Justiça e Paz da CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. A Pastoral Operária é espaço para reflexão da vida dos trabalhadores e das trabalhadoras à luz da Bíblia e da Doutrina Social da Igreja. Atua como presença da Igreja junto à classe trabalhadora e presença da classe trabalhadora na Igreja, no compromisso de agir com o povo e não para o povo, com o objetivo de resgatar a cidadania plena e o protagonismo dos/as empregados/as formais, informais e desempregados/as, na construção da sociedade justa e solidária, tendo como chave, a questão do trabalho, dentro nossos desafios principais.

Informações com Luciola (85) 88333616 / Erivaldo (85) 32381400 ou 88226156.

Publicado em 29/04/2015 por

[NOTÍCIAS/ArqFor] Mês de maio na Paróquia Nossa Senhora das Graças, Parque Santa Maria

No dia 1º de maio, às 18h, na Paróquia Nossa Senhora das Graças, no Parque Santa Maria, acontece a abertura do mês de maio com procissão saindo das comunidades para benção e envio das imagens. A abertura terá a presença das famílias e a participação de representantes de cada comunidade e setores (Emaús, Sagrada Família e Jerusalém). O pároco Padre Denis Acácio convida a todos os fies para esse momento de fé e missionariedade da Imagem Peregrina. A Paróquia situada na BR 116 km 13 na rua Maria Quintino, nº  650.

Informações pelo telefone (85) 3274 3083 na Secretaria.

 

Publicado em 28/04/2015 por

[Notícia] A Infância e Adolescência Missionária de Santo Afonso comemora 9 anos

IAM de Santo Afonso comemora 9 anos

A Infância e Adolescência Missionária (IAM) da Paróquia de Santo Afonso, em Fortaleza, no Ceará, comemorou nove anos de missão na comunidade neste domingo, dia 26 de abril, com uma missa em Ação de Graças. O pároco, Pe. Geovane, ressaltou a importância dos grupos de IAM na Arquidiocese de Fortaleza, bem como no mundo todo. Disse ainda que, a exemplo de São Francisco Xavier e Santa Terezinha do Menino Jesus, devemos estar sempre dispostos a tornar Jesus conhecido e amado.
Auristela, coordenadora paroquial, atribuiu o sucesso da Obra Pontifícia na paróquia ao empenho dos pais e, principalmente, das crianças que são verdadeiras missionárias a serviço do Reino. Os familiares estavam muito felizes, pois, além da comemoração desses nove anos de missão, novas crianças foram apresentadas à comunidade e inseridas nos grupos de IAM para se tornarem missionários e missionárias de Jesus. “Esperamos que estas crianças sejam fruto novo no coração da igreja a serviço do Evangelho” – diz ela.
Após a Missa houve um momento de confraternização preparado pelos assessores dos grupos.

Por: Alann Fonteles – Responsável pela articulação da IAM na Arquidiocese de Fortaiam_afonsoleza

Publicado em 28/04/2015 por

Equipe de Animação das Campanhas envia instrumental de avaliação da CF 2015

O Instrumento de Avaliação tem por objetivo identificar os avanços e os desafios da Campanha da Fraternidade 2015, visando aprimorar o processo de realização das futuras Campanhas da Fraternidade. Esta avaliação deverá ser devolvida, sem falta, até 18 de maio de 2015 para a Equipe Arquidiocesana de Animação das Campanhas, no Secretariado de Pastoral com Hilda ou Rosélia.

É importante que a Equipe paroquial, ou as pessoas de referencia deste trabalho, responsáveis também pelo preenchimento deste instrumento, tenham presente os objetivos e orientações da CF 2015, contidas no texto base, bem como, conhecimento dos encontros formativos realizados na Paróquia e Área Pastoral, e demais atividades locais em relação à Campanha da Fraternidade 2015.

A Campanha da Fraternidade é um projeto evangelizador da Igreja no Brasil, que auxilia as comunidades na caminhada quaresmal, rumo à Páscoa do Senhor Jesus. Com a proposição de um tema para reflexão a cada ano, quer suscitar nos cristãos ações concretas de fraternidade e transformação da realidade.

Carta

Instrumento para a Avaliação da CF 2015

Informações [85] 3388.8701, com Hilda Xavante ou Roselia Follmann.

 

 


QR Code Business Card