Publicado em 30/09/2013 por

Vaticano divulga tema do Dia Mundial das Comunicações Sociais 2014

papaFoi divulgado esta segunda-feira o tema do Dia Mundial das Comunicações Sociais 2014: “Comunicação a serviço de uma autêntica cultura do encontro”. A cultura do encontro é um assunto recorrente no magistério do Papa Francisco. Em várias ocasiões, inclusive no Brasil, o Pontífice insistiu neste tema. Em sua recente visita a Cagliari, no dia 22 deste mês, no encontro com os acadêmicos, o Papa afirmou: “Esta é uma proposta: cultura da vizinhança. O isolamento e o fechamento em si mesmo ou nos próprios interesses nunca são o caminho para voltar a dar esperança e operar uma renovação, mas é a proximidade, é a cultura do encontro. O isolamento, não; proximidade, sim.

Cultura do conflito, não; cultura do encontro, sim. A universidade é espaço privilegiado em que se promove, ensina e vive esta cultura do diálogo, que não nivela indiscriminadamente diferenças e pluralismos – este é um dos riscos da globalização – e muito menos os extrema, tornando-os motivo de conflito, mas abre ao confronto construtivo. Isto significa compreender e valorizar as riquezas do outro, considerando-o não com indiferença ou temor, mas como fator de crescimento. As dinâmicas que regulam as relações entre pessoas, grupos e nações não são muitas vezes de proximidade, de encontro, mas de conflito”.

O Dia Mundial das Comunicações Sociais, a única celebração mundial estabelecida pelo Concílio Vaticano II (Decr. Inter mirifica, 1963), está marcada na maioria dos países, por indicação do episcopado mundial, para o domingo precedente a Pentecostes (em 2014, dia 1º de junho).

Em geral, o anúncio do tema é divulgado no dia 29 de setembro, festa dos Arcanjos S. Miguel, S. Rafael e S. Gabriel, o qual foi designado Padroeiro dos radialistas. A Mensagem do Santo Padre para o Dia Mundial das Comunicações Sociais é publicada tradicionalmente em coincidência com a memória de S. Francisco de Sales, Padroeiro dos jornalistas (24 de janeiro), para permitir que as Conferências episcopais, os escritórios diocesanos e as organizações que se ocupam de comunicação social tenham tempo suficiente para preparar subsídios audiovisuais e outros materiais destinados às celebrações em nível nacional e local.

Fonte: CNBB

Publicado em 30/09/2013 por

São Jerônimo: tudo pelo livro sagrado

geovane2012-1por Padre Geovane Saraiva*

No dia 30 encerramos o mês de setembro, recordando São Jerônimo, grande especialista da Palavra de Deus, a qual a carregou nos lábios, meditando-a dia e noite (cf. Js 1, 8). Nasceu na Dalmácia, hoje Iugoslávia, no ano de 342 e morreu em Belém em 420. Ele consagrou sua vida ao estudo da Sagrada Escritura e é considerado maior e melhor exegeta de todos os tempos. A Igreja Católica o reconheceu como homem eleito por Deus para explicar e fazer compreender de melhor modo a Palavra de Deus. Daí tê-lo por doutor e especialista do livro sagrado, de um modo imbatível e inigualável.

Foi para o Ocidente e retirou-se com alguns amigos, formando uma pequena comunidade religiosa, tendo como principal objetivo estudar a Sagrada Escritura e obras de teologia. Depois de experimentar o rigor da vida monacal, esteve por vários anos no deserto da Síria, no rigor do jejum e da penitência, que quase o leva ao limite da morte. Na dinâmica de sempre melhor aprofundar o livro revelado e inspirado, transfere-se para Roma, onde encontrou os melhores especialistas.

São Jerônimo estudou hebraico e aperfeiçoou seus conhecimentos do grego para poder compreender melhor a Palavra de Deus nas línguas originais. Em Roma recebeu a missão do Papa Dâmaso para escrever a Bíblia em latim, graças ao conhecimento que tinha do grego e do hebraico. O Papa queria uma tradução mais fiel, em tudo aos textos originais, traduzida e apresentada em latim, que pudesse servir de texto uniforme na liturgia da Igreja, evitando uma vez por toda desencontros, embaraço e confusões.

São Jerônimo, servo bom e fiel, iniciou seu trabalho em Roma e continuou por toda a sua vida. É importante salientar que passou seus últimos 35 anos de vida na oração, na penitência, fazendo de tudo, mas de tudo mesmo pela difusão da Sagrada Escritura. A tradução da Bíblia em latim chamou-se “vulgata”, sendo usada largamente nos séculos posteriores, tornando-se o livro sagrado oficial até o Concílio de Trento. É conhecido não apenas pela tradução da Bíblia, mas também por sua obra em defesa do Dogma da virgindade perpétua da Virgem Maria, opondo-se ao herege Helvídio, o qual espalhara folhetos, tentando negar a virgindade da Virgem Imaculada.

Como é importante a célebre frase de São Jerônimo, sempre citada na caminhada do povo de Deus, sem nunca ser preterida: “Ignorar as Escrituras é ignorar o próprio Cristo”. Eis um amor e um zelo tão profundo pela Palavra de Deus; alimentando-se dela de tal modo que a tomou como sua fonte de vida.

“Toda a escritura é inspirada por Deus e útil, a fim de ensinar, corrigir e educar na justiça” (2Tm 3, 16). À luz da Palavra de Deus, nossa fé seja a resposta generosa de um Deus que quer se manifestar e se revelar, oferecendo-nos a condição de ler e perceber, nos sinais de dores, angústias e sofrimentos pelos quais passa a humanidade, conscientes de que a hora é de Deus.

*Padre da Arquidiocese de Fortaleza, escritor, membro da Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza, da Academia de Letras dos Municípios do Estado Ceará (ALMECE) e Vice-Presidente da Previdência Sacerdotal – Pároco de Santo Afonso – geovanesaraiva@gmail.com

 

Artigos Relacionados

Publicado em 30/09/2013 por

Abertas inscrições para 2ª Edição do evento católico Eu Creio

cartaz_eu_creio500Com o tema “Santificados pela Verdade” (Jo 17, 17), acontecerá nos dias 5 e 6 de outubro a edição 2013 do Eu Creio, evento promovido pela Comunidade Católica Servos de São José e do Santíssimo Sacramento.

Segundo Paulo Silva, fundador e coordenador da comunidade, o Eu Creio é um evento católico, voltado para católicos. “Existem muitos eventos evangelizadores no Ceará e no Brasil, mas eventos de formação católica, que mostrem e comprovem a religião católica como a única verdadeiramente fundada por Jesus Cristo são mais raros, e é este o propósito do Eu Creio”, explica.

Ainda de acordo com Paulo Silva, a idealização do Eu Creio, que teve sua primeira edição ano passado, foi uma resposta ao então papa Bento XVI, ao instituir o Ano da Fé para toda a Igreja. “É um evento livre de “achismo”, e totalmente baseado na doutrina da Igreja, pois conta com a presença do bispo auxiliar da Arquidiocese de Fortaleza, e na programação, além da formação e testemunhos, há celebração da Santa Missa e adoração ao Santíssimo Sacramento”, diz o coordenador.

Serviço:

Eu Creio 2013 – “Santificados pela Verdade” (Jo 17, 17)

Data: Dias 5 e 6 de outubro de 2013, de 8h às 18h

Local: Mega Festas Buffet – Rua André Chaves, 500 – Montese

Valor: R$ 5,00 por pessoa

Inscrição: http://bit.ly/EuCreio2013

 

Publicado em 30/09/2013 por

Encontro de Líderes da Juventude Missionária

juventudemisisonariaHá muito tempo está sendo planejado pela equipe de coordenação da Juventude Missionária o Encontro de Líderes da Juventude Missionária – Nível 2 ( ELJUMI NÍVEL II) a ser realizado de 4 a 6 de outubro,. Com toda certeza, será uma oportunidade para partilhar a caminhada dos grupos, suas perspectivas, seus desafios, o andamento dos trabalhos, dúvidas, avanços e planos. Além disso, teremos uma formação mais avançada e aprofundada com a presença do Secretário Nacional Padre Marcelo Gualberto.

O requisito essencial para a participação é a de ter feito o ELJUMI nível I e desejar aprofundar ainda mais os elementos da Juventude Missionária.

Mas, o que é a Juventude Missionária?

A Juventude Missionária, animada pelas Pontifícias Obras Missionárias (POM), é um setor da Pontifícia Obra da Propagação da Fé, Obra fundada por uma leiga, Paulina Maria Jaricot (1799-1822), em 3 de maio de 1822, em Lyon (França). Aqui no Brasil, estamos com oito anos de muito trabalho e perseverança. Aqui, no Nordeste I (Ceará) estamos, há seis anos, acompanhando com qualidade essa maravilhosa obra jovem.

1. Data: de 4 a 6 de outubro, com inicio dia no dia 4, às 18h, com a chegada e jantar e término no dia 6, às 13:00h com almoço.

2. Local: Casa de retiro da Irmã Iolanda – Entrada 1: Rua Aracaju, nº 1299, Henrique Jorge. Entrada 2: Rua Eurico Medina, 1260. Telefone: (85) 3290.2974. Responsável pela casa: Ir. Iolanda.

A confirmação dos participantes deve ser feita até o dia de 25 de setembro, por e-mail ou telefone, pois as vagas são limitadas. Atenção, os integrantes confirmados, caso não compareçam, terão que pagar, mesmo assim, o valor integral da inscrição. Devem levar bíblia, caderno, agenda, fotos que mostrem a realidade do seu grupo, material para animação (violão, sanfona, pandeiro, teclados, cânticos, dinâmicas), roupa de cama, material de higiene pessoal. Haverá venda de material formativo nos dias do encontro, portanto, quem desejar adquirir, deve levar dinheiro. Também faremos a dinâmica do Anjo, por isso, levem lembrancinhas.

3. Investimento: hospedagem, material e despesas de alimentação – R$: 60,00 (sessenta reais). Este valor deve ser depositado no Banco do Brasil nos seguintes dados: Ag.: 1605-5 c/c: 66420-0 – FRANCISCO CLEYTON DE OLIVEIRA PAES (conferir o nome. Após realizar o depósito, o solicitante deve enviar por e-mail o horário e o dia do depósito e, se possível, enviar o comprovante de depósito, também via e-mail.

Informações e inscrições com Sara Guerra (85) 8807-7880, 9905-8056; Cleyton Paes (85) 8761-6608, 9948-0625 ou pelo e-mail: sarinhawar@yahoo.com.br ou no www.missaoradical.blogspot.com

Publicado em 30/09/2013 por

CNBB lança livro sobre Dom Aloísio Lorscheider

dom-aloisio500A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, CNBB, lançou o livro “Dom Aloísio Lorscheider – Nenhuma Partida é Inútil”.

A autora deste opúsculo, Irmã Maria Crismanda Saraiva de Oliveira, soube captar de forma impressionante o espírito de D. Aloísio ao não privilegiar, no livro, nenhum momento de sua vida mais que outro. Na vida de D. Aloísio, tudo era vivido com a mesma intensidade, a mesma qualidade. Tudo merecia cuidado e respeito. Tudo tinha vida! Tudo tinha amor.

Oferecendo ao leitor a possibilidade de com ele conviver, através de cada episódio narrado, esta obra torna-se um registro histórico da vida escrita na atividade pastoral de D. Aloísio na Igreja Arquidiocesana de Fortaleza, entre os anos de 1974 e 1996.

Pedidos: www.edicoescnbb.com.br ou (61) 2193.3019

 

Publicado em 30/09/2013 por

Presidência da CNBB é recebida pelo Papa

papa_discursoA presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) foi recebida, na manhã de sábado, 28, pelo papa Francisco, no Vaticano. Antes da audiência, o presidente da CNBB e arcebispo de Aparecida (SP), cardeal Raymundo Damasceno Assis; o vice-presidente e arcebispo de São Luís do Maranhão, dom José Belisário da Silva; e o secretário geral e bispo auxiliar de Brasília, dom Leonardo Ulrich Steiner,concelebraram a missa da manhã presidida pelo papa na Casa Santa Marta.

Após o encontro com o papa, dom Raymundo conversou com a Rádio Vaticano e falou sobre os temas abordados. Segundo o cardeal, Francisco insistiu na formação do clero, dando muito destaque à questão da Amazônia. Para a ouvir entrevista, clique aqui.

No discurso feito aos bispos do Brasil, no dia 27 de julho, Francisco disse que considera a Amazônia relevante não somente para o caminho atual e futuro da Igreja no Brasil, mas para toda a estrutura social: “A Igreja está na Amazônia não como aqueles que têm as malas na mão para partir depois de terem explorado tudo o que puderem”, disse Francisco, acrescentando que “desde o início a Igreja está presente na Amazônia com missionários, congregações religiosas e lá continua ainda presente e determinante no futuro daquela área”.

A Comissão Episcopal para a Amazônia, presidida pelo Cardeal Cláudio Hummes, atendendo à solicitação do papa, promove de 28 a 31 de outubro, em Manaus (AM), o Iº Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal.

Por CNBB e Rádio Vaticano.

Publicado em 30/09/2013 por

Coletivo Inter-religioso debate relação Estado e Sociedade por um Marco Regulatório

seminarioigrejaTeve início na manhã desta segunda-feira, 30 de setembro, o Coletivo Inter-religioso para a relação Estado e Sociedade, resultado do primeiro seminário realizado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em novembro de 2012. O evento acontece no Centro Cultura de Brasília (CCB) até a terça-feira, 1º de outubro, e reúne diversas entidades religiosas para mais um debate sobre o Estado e a atuação social das organizações religiosas.

Esta é a segunda edição do seminário, dando continuidade à discussão sobre o Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil. A mesa de abertura teve a participação do padre Geraldo Martins (CNBB), da pastora Romi Márcia Bencke, do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic), Flamarion Vidal Arauto, da Federação Espírita Brasileira (FEB) e Welinton Pereira, da Aliança Cristã Evangélica Brasileira.

Padre Geraldo Martins lembrou que o seminário foi iniciado pela CNBB, mas sendo um compromisso assumido por diversas outras entidades. “É importante estarmos cada vez mais unidos para a aprovação deste Marco Regulatório, que discuta e reconheça a Ação Social das organizações religiosas na vida do país”.

“Estamos num momento de ameaças aos direitos conquistados. Isso reforça a necessidade de uma organização da sociedade civil. Não se faz um país somente com capital financeiro e grandes empresas, mas com a participação das organizações”, reforçou a pastora Romi Márcia Bencke (Conic).

O tema “Marco Regulatório – Memória, situação e perspectivas” está sendo debatido pelos participantes do encontro, que fomentará, ainda, o diálogo permanente entre as organizações religiosas e o Governo, bem como com outros grupos já constituídos e que atuam na melhoria do ambiente regulatório por um Estado de Direitos.

Fonte: CNBB

Publicado em 30/09/2013 por

Abertas as inscrições para os Prêmios de Comunicação da CNBB

cartazpremioEstão abertas as inscrições para os “Prêmios de Comunicação da CNBB”, no período de 30 de setembro a 31 de dezembro de 2013. Os prêmios são promovidos pela Conferência dos Bispos por meio da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação. Serão escolhidos os melhores trabalhos produzidos entre 2012 e 2013, cujos objetivos coincidam com valores humanos, cristãos e éticos. A cerimônia de entrega dos prêmios acontecerá durante a 52ª Assembléia Geral dos Bispos, programada para o mês de maio de 2014, em Aparecida (SP).

São quatro categorias, sendo os prêmios Margarida de Prata para o cinema, Microfone de Prata para o rádio, Clara de Assis para a televisão e Dom Hélder Câmara para a imprensa. “Nesta longa trajetória, a CNBB vem trabalhando para que essas produções culturais estejam sustentadas nos valores humanos, éticos e cristãos. Desta forma, a Conferência busca estabelecer um diálogo com o mundo da comunicação, da cultura e da criação artística e, ao mesmo tempo, reconhecer e valorizar o trabalho desses profissionais”, destaca a assessora da Comissão para a Comunicação, Ir. Élide Fogolari.

Confira os regulamentos de cada prêmio e a ficha de inscrição no link: http://www.cnbb.org.br/premioscomunicacao/2014/

Conheça os prêmios

– 11º Prêmio Dom Hélder Câmara de Imprensa foi criado em 2002. Tem por objetivo premiar profissionais da mídia imprensa, cujas reportagens tragam em seu conteúdo valores humanos, sociais, políticos, cristãos e éticos, com vistas a construção da cidadania e a construção da cultura da paz.

– 8º Prêmio Clara de Assis para a Televisão foi criado em 2005. Tem por objetivo premiar programas televisivos nacionais, produzidos e exibidos por emissoras comerciais, educativas ou comunitárias brasileiras e que trazem em seu conteúdo valores humanos, sociais, políticos, cristãos e éticos.

– 44º Prêmio Margarida de Prata foi criado em 1967 pela Central Católica de Cinema, no âmbito do então Secretariado de Opinião Pública da CNBB. Tem por objetivo premiar as produções nacionais do cinema brasileiro, obras que apresentem em suas temáticas e artística valores humanos, éticos e espirituais.

– 22º Prêmio Microfone de Prata foi criado em 1989. Tem como objetivo principal incentivar e apoiar a produção e a qualidade de programas radiofônicos não só religiosos, evangelizadores, mas também de promoção humana, reconhecendo o valor do que já se faz e buscando aperfeiçoar.

 Reconhecimento

Completando 46 anos, o prêmio Margarida de Prata é um dos mais antigos. Foi criado em 1967 e já premiou mais de 100 filmes brasileiros entre longas e curtas-metragens e menções especiais. Ir. Élide Fogolari lembra que esse prêmio surgiu no período da Ditadura Militar no Brasil, para um contraposição contra a restrição do Governo sobre as produções culturais. A premiação é reconhecida pelos cineastas e produtores nacionais.

Foram premiados cineastas como Walter Salles por Central do Brasil, Terra estrangeira e Abril despedaçado; Silvio Tendler por Os anos JK, Jango, Castro Alves- Retrato do poeta e Utopia e barbárie, Josué de Castro, cidadão do mundo; Roberto Farias por Pra frente Brasi; Leon Hirszmann por São Bernardo, Eles não usam black-tie e Imagens do inconsciente; João Moreira Salles por Nelson Freire, entre muitos outros.

Publicado em 27/09/2013 por

CNBB divulga cartaz e subsídios da Campanha da Fraternidade 2014: “Fraternidade e Tráfico Humano”

cartaz2014Os subsídios da Campanha da Fraternidade 2014 já estão disponíveis nas Edições CNBB. São diversos materiais como o manual, texto base, via sacra, celebrações ecumênicas, folhetos quaresmais, CD e DVD, banner, cartaz, entre outros. Com o objetivo de trabalhar os conteúdos da campanha nas escolas, foram produzidos também subsídios de formação voltados aos jovens do ensino fundamental e médio, além de encontros catequéticos para crianças e adolescentes.

O cartaz da CF 2014, que se encontra disponível para download, traz o tema “Fraternidade e Tráfico Humano” e lema “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5, 1). Os demais produtos podem ser adquiridos no site: www.edicoescnbb.org.br ou pelo telefone: (61) 2193.3001.

Baixe aqui o Cartaz da CF 2014.

Entenda o significado do cartaz:

1-O cartaz da Campanha da Fraternidade quer refletir a crueldade do tráfico humano. As mãos acorrentadas e estendidas simbolizam a situação de dominação e exploração dos irmãos e irmãs traficados e o seu sentimento de impotência perante os traficantes. A mão que sustenta as correntes representa a força coercitiva do tráfico, que explora vítimas que estão distantes de sua terra, de sua família e de sua gente.

2-Essa situação rompe com o projeto de vida na liberdade e na paz e viola a dignidade e os direitos do ser humano, criado à imagem e semelhança de Deus. A sombra na parte superior do cartaz expressa as violações do tráfico humano, que ferem a fraternidade e a solidariedade, que empobrecem e desumanizam a sociedade.

3-As correntes rompidas e envoltas em luz revigoram a vida sofrida das pessoas dominadas por esse crime e apontam para a esperança de libertação do tráfico humano. Essa esperança se nutre da entrega total de Jesus Cristo na cruz para vencer as situações de morte e conceder a liberdade a todos. “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5, 1), especialmente os que sofrem com injustiças, como as presentes nas modalidades do tráfico humano, representadas pelas mãos na parte inferior.

4-A maioria das pessoas traficadas é pobre ou está em situação de grande vulnerabilidade. As redes criminosas do tráfico valem-se dessa condição, que facilita o aliciamento com enganosas promessas de vida mais digna. Uma vez nas mãos dos traficantes, mulheres, homens e crianças, adolescentes e jovens são explorados em atividades contra a própria vontade e por meios violentos. (Fonte: CF 2014).

Fonte: CNBB

Publicado em 27/09/2013 por

Comissão para a Juventude envia carta aos padres e responsáveis pela evangelização dos jovens no Brasil

jovensO presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, dom Eduardo Pinheiro da Silva, enviou carta aos padres e responsáveis pela evangelização da juventude no Brasil. No texto, o bispo deseja que o Dia Nacional da Juventude (DNJ), a ser celebrado no final deste mês missionário, atinja o maior número possível de adolescentes e jovens.

Confira o texto na íntegra:

Caros párocos e demais responsáveis pela evangelização da juventude no Brasil.

“Educá-los na missão, a sair, a pôr-se em marcha, a estar sempre nas ruas pela fé. Assim fez Jesus com seus discípulos: não os manteve apegados a Ele como a galinha aos pintinhos; os enviou. […] Empurremos os jovens para que saiam.”

Chegou, mais uma vez, o “Mês Missionário”. Já é tradição dedicarmos este mês à reflexão sobre esta dimensão que faz parte de nossa vida cristã. Nenhum cristão pode abrir mão de ser missionário, uma vez que esta realidade é intrínseca ao Batismo. Podemos atuar missionariamente de maneiras diferentes, mas todos acolhem o mesmo mandato de Jesus Cristo: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (Mt 28, 19).

Há tempo estou percebendo – e me alegrando! – que os conceitos “missão” e “missionário” vêm sendo acolhidos normalmente pelas novas gerações. “Ser missionário” ou “fazer missão” ou algo deste gênero, já não remete mais à ideia exclusiva dos louváveis missionários e missionárias, quase sempre sacerdotes e consagrados, que se deslocavam de terras estrangeiras para conviver e servir à evangelização em nosso país, principalmente nos lugares mais desafiadores. Hoje, com muita naturalidade, os jovens estão se apropriando destes termos e buscando formas novas de fazerem valer esta sua vocação batismal. Isto é maravilhoso! Saibamos valorizar esta realidade para que eles possam, ali onde vivem, testemunhar mais fortemente ao mundo a gratuidade do serviço em prol dos mais desfavorecidos, sofredores e esquecidos de nossa realidade.

Na JMJ Rio 2013 nossos jovens foram, de maneira intensa e celebrativa, provocados a entenderem e vivenciarem este chamado. Certamente voltaram para suas casas, comunidades, grupos, paróquias, escolas, animados em fazer valer o que o Papa Francisco soube tão bem motivar. E agora nos vem uma dúvida: o que eles estão encontrando em nossos ambientes? Não basta Jesus Cristo enviar estes seus jovens discípulos, nem o Papa motivá-los à missão se eles não forem colocados em situação de desenvolvimento deste mandato. Há muita energia de amor e serviço concentrada no coração e nos sonhos dos jovens, aguardando ocasiões propícias para sua propagação. A fala do Papa na Catedral do Rio foi muito direta aos adultos, evangelizadores e educadores da juventude: cabe a nós a responsabilidade de educar os jovens para a missão, empurrando-os às ruas para que sejam protagonistas de uma nova história, a partir da fé em Jesus Cristo e de sua vivência eclesial.

Como obedecer ao Sucessor de Pedro, concretizando isto que ele nos pede? Estamos no fim do “Ano da Juventude” e do “Ano da Fé”. Esta bonita coincidência é, para nós brasileiros, provocação de Deus a um trabalho mais consistente e criativo para que os jovens, convictos e formados à luz da fé, se tornem profetas proativos na realidade sociocultural em que se encontram. Assim, não percamos o precioso momento das nossas Assembleias e Reuniões de avaliação e planejamento que acontecem normalmente agora, por exemplo, em nossas Paróquias, Dioceses, Regionais, Pastorais, Congregações Religiosas, Movimentos para operacionalizarmos algumas das propostas contempladas no Texto-base da Campanha da Fraternidade 2013 e, principalmente, nas 8 Linhas de Ação do Documento 85, “Evangelização da Juventude – Desafios e Perspectivas Pastorais”. Ali encontramos uma riqueza imensa de reflexões e sugestões que, acrescida a este contexto juvenil pelo qual estamos passando, proporcionarão novos tempos aos nossos jovens, às nossas comunidades, à sociedade.

As celebrações litúrgicas deste mês, embelezadas pela comemoração de grandes apóstolos, evangelistas, santos e santas se tornam, também, ocasião propícia para apresentar aos jovens, de maneira criativa, estes testemunhos missionários. Santa Terezinha do Menino Jesus – Padroeira das Missões – aumente em nós a consciência missionária de nossa vida cristã! São Francisco de Assis – Protetor dos Desamparados – nos ajude a crescer na sensibilidade e nos gestos concretos de amor junto aos mais abandonados de nossos ambientes!

Nossa Senhora Aparecida – Mãe amada do Brasil – interceda pela nossa conversão pastoral a favor da cultura da acolhida às juventudes que estão ao nosso redor! Que o DNJ (Dia Nacional da Juventude) a ser celebrado no final deste mês missionário atinja o maior número possível de adolescentes e jovens que estão sob sua responsabilidade, para que neles sejam fortalecidos os nobres sonhos de Deus de vida plena para todo seu povo.

Com estima e orações,

Dom Eduardo Pinheiro da Silva, sdb

Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB


QR Code Business Card