Publicado em 28/06/2013 por

Curso para bispos abordará teoria e prática da comunicação e evangelização na era digital, em Recife (PE)

Curso-CNBB_-_COMUNICACAO

A Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB promove de 4 a 8 de novembro, em Recife (PE), o Curso de Comunicação para Bispos. O evento é uma iniciativa do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais em parceria com a Conferência do Brasil. As inscrições foram abertas na semana passada e já está confirmada a presença de 30 bispos. A Comissão espera para o Curso cerca de 80 participantes. O convite é aberto a todo o episcopado brasileiro que deseja refletir as práticas e os desafios da evangelização no contexto da cultura gerada pelas novas tecnologias. O curso tem presença confirmada de dom Claudio Maria Celli, presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais.

O tema central será “Comunicação e evangelização na era digital: uma abordagem teório-prática”. A assessora da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB, Ir. Élide Fogolari comenta que “as novas tecnologias vêm provocando uma cultura acelerada em toda a sociedade e também na Igreja. A temática do curso quer ajudar os bispos do Brasil a dar uma resposta de como comunicar e evangelizar na atualidade. Os temas das conferências estão relacionados sobre a cultura midiática e a evangelização”.

Proposta do curso

A novidade será a metodologia de trabalho composta por teoria e prática. Os bispos participarão no período da manhã de painéis voltado ao diálogo e revisão de teorias comunicacionais da era digital na cultura da evangelização. À tarde, os participantes terão a oportunidade, de através de laboratórios, praticar e conhecer as técnicas de produção em jornal, impresso e online, programas de rádio, internet e mídias sociais digitais. “Este é o segundo curso oferecido aos bispos e contará com uma parte prática. Nós percebemos que só ouvir e não estar em contato com os meios de comunicação deixa de provocar um maior entendimento. Desejamos que o episcopado possa entender como comunicar com a comunidade presente na Igreja através da cultura massiva e da cultura digital”, explica Ir. Élide.

Os painéis temáticos e as práticas laboratoriais contarão com assessoria de professores e especialistas da comunicação como padre Antonio Spadaro e os professores, Élson Faxina, Mozahir Salomão, entre outros. O assessor da RIIBRA da CNBB (Rede de Informática da Igreja no Brasil), padre Clóvis Andrade Melo coordenará um laboratório de internet e mídias sociais digitais onde os bispos poderão aprender a usar as redes como sites, blog, skype, twitter e facebook.

Informações: (61) 2103.8366 – comsocial@cnbb.org.br

Por: CNNB

Publicado em 28/06/2013 por

Tribunal Popular do Ceará levantará violações aos direitos humanos e ambientais do estado

Já está no ar o site do Tribunal Popular criado com o intuito de difundir os preparativos para o 2º Tribunal do estado que ocorrerá entre os dias 02 e 03 de agosto. O site está quase concluído, mas nele já se encontram informações e calendários das sessões do Tribunal em diversas regiões.

A iniciativa de realizar o tribunal atende o gesto concreto dos processos formativos da V Semana Social Brasileira que tem como tema “Participação no processo de democratização do Estado Brasileiro” e o lema “Bem viver: caminho para uma nova sociedade com um novo Estado”. Além disso, quer mobilizar e articular representantes de Comunidades, Pastorais e Movimentos Sociais, possibilitando a construção de conhecimento, troca de experiências, a elaboração de estratégias de enfrentamento aos impactos dos grandes projetos governamentais e mudanças climáticas no Estado do Ceará e a denúncia da violação de direitos humanos, visando à integração social, política e cultural em prol do fortalecimento dos grupos/comunidades atingidos.

Os tribunais preparativos abordam temas que vão de encontro a todas as formas de violações de direitos humanos e ambientais existentes nas regiões sul, centro-sul, Zona Costeira, Norte, Ibiapaba, Inhamuns, Sertão Central, Vale do Jaguaribe, Fortaleza e Região Metropolitana.

As sessões já ocorreram nas regiões do Vale do Jaguaribe,Inhamuns – sertão e norte, Cariri e centro sul. Em Fortaleza e região metropolitana a sessão ocorrerá entre os dias 5 e 6 de julho. As regiões da ZonaCosteirae Ibiapaba ainda não divulgaram data das sessões e no dia 25 de julho ocorrerá uma sessão temática com a pauta da juventude.

O site pode ser acesso pelo link: http://tribunalpopularceara.com.br/

O QUE É UM TRIBUNAL POPULAR?

O Tribunal Popular é um espaço de articulação e iniciativa de um conjunto de organizações e movimentos da sociedade civil que se reúnem para denunciar as violações de direitos e exploração sofridas por trabalhadores/as e confrontar as inovações tecnológicas emergentes com as relações que elas implicavam no mundo do trabalho.

O Tribunal Popular é uma iniciativa antiga no Brasil. Em 1987, foi realizado no Mato Grosso do Sul o primeiro Tribunal Popular da Terra. No Ceará, uma primeira edição foi realizada no inicio da década de 90 em virtude da I Semana Semana Social Brasileira com a temática: Mundo do trabalho, desafios e perspectivas.

Fonte: Adital

Publicado em 28/06/2013 por

“Carta dos Direitos da Família” completa 30 anos

Inspirada na Declaração Universal dos Direitos Humanos, promulgada pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 10 de dezembro de 1948, a “Carta dos Direitos da Família”, publicada pela Santa Sé em 22 de outubro de 1983, completará 30 anos. O documento reconhece a família como “núcleo natural e fundamental da sociedade” e oferece uma base adequada para uma elaboração conceitual em nível “psicológico, moral, cultural e religioso”.

De acordo com Assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), padre Wladimir Porreca a Carta “é dirigida às famílias e a todos os homens e mulheres de boa vontade a comprometerem-se a fazer todo o possível para garantir que os direitos da família sejam protegidos e que a instituição familiar seja fortalecida para o bem de toda a humanidade”.

O Conselho Pontifício para a Família, em fidelidade ao Magistério dos Papas nos últimos 30 anos, se propõe comemorar o aniversário do documento com dois eventos significativos: Seminário Internacional de Estudos de juristas católicos de todo o mundo (19-21 setembro 2013) e a vigésima primeira reunião plenária do PCF (23 a 25 de outubro de 2013).

O assessor menciona as propostas feitas por ocasião das próximas celebrações. “Decidimos propor a todos os que trabalham em favor da família, em especial os Regionais, dioceses e paróquias dois eventos comemorativos, um religioso, nas celebrações eucarísticas e, outro em uma sessão civil, na Câmara Municipal, nas Escolas, Associações e outros”.

Um dos anseios é que, por meio da celebração da data, sejam promovidas ações e políticas em prol da família. “Na comemoração dos 30 anos da “Carta dos direitos da família” no dia 22 de outubro de 2013, possamos animados pela esperança na promoção da família, favorecer instrumentos e políticas públicas de acordo com o designo de Deus”, afirmou o padre. “Peçamos a Sagrada Família que acompanhe nossos projetos em comemoração dos 30 anos da “Carta dos direitos da família”, finalizou.

POR: CNBB

Publicado em 28/06/2013 por

Presidente da CNBB celebra com Papa Francisco e entrega Nota sobre manifestações

domdamasceno.papafranciscoO Cardeal dom Raymundo Damasceno Assis, arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da CNBB, esteve com o Papa Francisco na tarde de ontem, quinta-feira, 27 de junho. Na manhã desta sexta-feira, 28 de junho, ele celebrou com o Papa e, em seguida, concedeu entrevista sobre esses encontros nos estúdios da Rádio Vaticano.

Leia o que ele disse ao repórter Silvoney José:

Como foi a visita que o senhor fez ao Papa Francisco?

Estive com o Santo Padre ontem a tarde juntamente com o meu bispo auxiliar, dom Darci Jose Nicioli. Fomos falar com o Santo Padre acerca da sua viagem a Aparecida. O Santo Padre estava muito contente, distensionado, alegre e, até, brincando. Um dos pontos principais era aquele da celebração Eucarística em Aparecida. Nós tínhamos a informação de que a celebração deveria ser no interior da Basílica e isso nos preocupava porque aguardamos, em Aparecida, um número de 200 a 300 mil pessoas, por ocasião da visita do Papa. A Basílica é grande e muito bonita e cabe cerca de 30 mil pessoas em pé, mas que, por razão de segurança, o número seria reduzido a 15 mil pessoas e teríamos for, cerca de 200 mil pessoas. Expus essa situação ao Santo Padre. Os peregrinos que forem a Aparecida, no dia 24 de julho, para encontrarem-se com o Santo Padre e visitar o Santuário, certamente querem participar da celebração eucarística e ver o Santo Padre, pessoalmente, e não apenas através dos telões que, normalmente, colocamos na área externa nessas grandes celebrações. E o Santo Padre se manifestou completamente de acordo, completamente aberto com essa proposta. Desse modo, devo me encontrar com o doutor Gasbarri (Alberto Gasbarri, organizador das viagens internacionais do Papa) para fechar, digamos assim, alguns detalhes a mais sobre a visita do Papa a Aparecida que vai ser uma visita relativamente curta, de um dia, mas, para nós, uma visita de muito significado. É o Papa Francisco que se faz peregrino com os peregrinos de Nossa Senhora Aparecida. E ao ir ao Santuário, manifestando sua devoção, seu amor a Nossa Senhora, ele está, de certo modo, se unindo a todos os peregrinos, a todos os brasileiros, porque Nossa Senhora Aparecida é a nossa padroeira, padroeira de todo o país. A visita, portanto, é simbólica, muito significativa para o Santo Padre, para nós em Aparecida e para todo o Brasil.

O Papa está acompanhando as manifestações populares no Brasil?

Creio que sim, mas não preocupado com isso. Eu entreguei ao Santo Padre a Nota Oficial da CNBB a respeito das manifestações. Ele não conhecia a Nota. Pelo que eu percebi do Santo Padre, ele vê tudo isso como algo, de certo modo, normal, natural, num país democrático onde as pessoas podem e devem, às vezes, manifestar seus anseios, desejos, reivindicações para que o governo, então, procure ler, interpretar o que as pessoas estão querendo dizer aos nossos dirigentes, à nossa sociedade e procure tomar as medidas necessárias, cabíveis para atender essas reivindicações quando elas são justas. Claro que não se trata de apoiar nenhuma manifestação que parta para agredir as pessoas, violar direitos das pessoas, depredar o patrimônio publico ou privado. Nada justifica, em nenhuma manifestação, esse tipo de violência. As manifestações pacíficas, quando realmente querem contribuir para o bem do País, chamando atenção para determinadas políticas públicas, são necessárias e fundamentais. E nas manifestações pelo Brasil, nós percebemos uma grande presença dos jovens e nós temos a Campanha da Fraternidade desse ano justamente sobre os jovens, na qual afirmamos que os jovens devem exercer um protagonismo na vida comunidade paroquial e também na vida social. É importante que os jovens se manifestem. Eles devem participar da vida política e social do nosso país e estão participando, contanto que seja dentro da ordem, dentro do respeito às leis. E que também a Polícia, que tem como missão garantir a segurança dos cidadãos, a ordem no interior de nossas cidades, do nosso País, que saiba respeitar essas manifestações de modo que elas transcorram num clima de harmonia, de respeito e de tranquilidade.

Por: POR: CNBB/RADIO VATICANO

Publicado em 28/06/2013 por

Retiro Espiritual Anual do Presbitério Arquidiocesano

Acontece de 1º a 5 de julho, no Seminário Arquidiocesano São José – Teologia, no bairro Castelão, o Retiro Espiritual Anual do Presbitério Arquidiocesano. O retiro terá como orientador Dom Karl Josef Romer, bispo Auxiliar Emérito de São Sebastião do Rio de Janeiro. Os participantes deverão levar túnica, estola branca e a Liturgia das Horas para as celebrações em comum. No dia 5 de julho, às 18h, serão celebradas as Ordenações Diaconais na Catedral Metropolitana de Fortaleza. Informações e inscrições na sala do Clero com Maria de Jesus pelo telefone (85) 3388 8725.

Publicado em 28/06/2013 por

RCC Ceará realiza Congresso Estadual de Cura e Libertação

eliasvella500Acontece nos dias 29 e 30 de junho o Congresso Estadual de Cura e Libertação, realizado pela Renovação Carismática Católica do Estado do Ceará, que trás a Fortaleza o Frei Elias Vella, considerado um dos mais notáveis exorcistas de seu país, Malta, e além de ser Presidente da Comissão Arcebiscopal sobre Ocultismo e Satanismo é escritor com mais de 40 publicações.

O evento acontecerá no Ginásio Padre Félix Pistone – Colégio Piamarta na capital cearense e tem como tema: “Tomou sobre si as nossas dores, por suas chagas fomos curados” (Cf Is 53, 5b). Caravanas estão sendo preparadas de várias cidades e até estados vizinhos para o evento que se torna referência para formação e espiritualidade.

O evento contará com momentos de formação, ensinos, adoração e ainda a participação de grandes nomes da Renovação Carismática no Estado do Ceará.

O pregador

Frei Elias Vella é membro da Província Maltense dos Franciscanos Menores Conventuais. Formou-se teólogo em 1965 pela Universidade Laterana, em Roma (Itália) e por 24 anos foi professor de Teologia Dogmática e Teologia Pastoral no INSERM (Instituto Nacional Studiorum Ecclesiasticorum, Religiosorum Melietensium). Este instituto prepara estudantes religiosos de diversas ordens, academicamente e para o sacerdócio.

Frei Elias foi Ministro Provincial em sua província, de 1974 a 1986 e pároco em sua cidade natal. Ele foi nomeado pelo arcebispo de Malta, Dom Joseph Mercieca como Representante para a Vida Religiosa em Malta e, mais tarde, Exorcista Oficial da Arquidiocese de Malta.

Ele é autor pelo mundo em diversos idiomas: maltês, inglês, italiano, tcheco, eslovaco e português. Somente no Brasil, já são 13 títulos, incluindo “O AntiCristo”, “Deus te quer por inteiro” e “O líder de fé”. Frei Elias conduz orações, seminários, retiros e exercícios espirituais em diversos países espalhados nos cinco continentes.

Serviço

Congresso Estadual de Cura e Libertação

29 e 30 de junho – Colégio Piamarta – Montese (Fortaleza/CE)

Participação: Frei Elias Vella

Inscrições: R$ 20 (Lojas Canção Nova)

Informações: (85) 8849 2516 – www.rccceara.org

Assessoria de Imprensa – Eder Machado (85) 87350501 – comunicadoresceara@gmail.com.

Por: Eder Machado, Assessoria de Imprensa.

 

Publicado em 28/06/2013 por

A CNBB e as manifestações

Os bispos católicos do Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), reunidos em Brasília de 19 a 21 de junho, externaram sua solidariedade às manifestações atualmente ocorrendo no Brasil inteiro. A Nota da CNBB é titulada “Ouvir o clamor que vem das ruas”. Os bispos manifestaram e apoio às manifestações desde que as manifestações sejam pacíficas. Na sua nota os bispos afirmam “que nada justifica a violência, a destruição do patrimônio público e privado, o desrespeito e a agressão à pessoas e instituições, o cerceamento à liberdade de ir e vir, de pensar e agir diferente, que devem ser repudiados com veemência”. Os bispos acreditam que as mobilizações questionam a todos nós e “atestam que não é possível mais viver num país com tanta desigualdade”.

A Nota do Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil acha justa e necessária as reivindicações de políticas públicas para todos. Eles percebem as manifestações como um grito contra “a corrupção, a impunidade e a falta de transparência na gestão pública”. A Nota não omitiu denunciar também a violência contra a juventude. Uma das linhas que chama atenção na carta dos bispos é a seguinte: “As manifestações destes dias mostram que os brasileiros não estão dormindo em berço esplêndido”. Outra afirmação dos bispos na Nota que chama atenção é quando eles afirmam que: “Numa sociedade em que as pessoas têm o seu direito negado sobre a condução da própria vida, a presença do povo nas ruas testemunha que é na prática de valores como a solidariedade e o serviço gratuito ao outro que encontramos o sentido de existir”. O documento termina com a frase: “Que o clamor do povo seja ouvido!”.

Em entrevista concedida à Radio Vaticano, segunda-feira próxima passada, o secretário geral da CNBB, Dom Leonardo Steiner também falou sobre as manifestações populares que tem ocorrido em todo o Brasil. O bispo disse: “A situação é cada vez mais tranquila, calma, pois começam a se distinguir as manifestações pacíficas das violentas, e os próprios movimentos começam a insistir para que não haja violência”. Deu um exemplo disso dizendo: “…quando começam o vandalismo e a violência, eles convidam todos a se sentar na rua, ou mesmo insistir para que ninguém vá encapuçado, ou com o rosto escondido”. Na mesma entrevista na Rádio Vaticano Dom Leonardo fez questão de reafirmar que as manifestações não afetarão a programação elaborada para à Jornada Mundial da Juventude, para o Encontro com sua Santidade o Papa Francisco, marcada para os dias 22 a 28 de julho de 2013.

Pe. Brendan Coleman Mc Donald, Redentorista e Assessor da CNBB Reg. NE1.

Publicado em 26/06/2013 por

Arraiá no Sítio São Francisco, em Horizonte

O Sítio São Francisco da Arquidiocesana de Fortaleza, em Horizonte, realiza no dia 30 de junho, a Festa de São Pedro do “cumpade Chico, ocê tá convidado(a)”. Será um dia todo de festa, forrozinho com Arialdo e banda, comidas típicas, bingo de um carneiro, quadrilha e muito mais.

O Sítio São Francisco comunica que a Casa de Retiros está funcionando para encontros, confraternizações e dia de lazer, podendo receber para pernoite até 80 pessoas e para diária a Casa pode receber um número maior de hospedes. No Sítio tem piscinas, churrasqueira, capela e um agradável ambiente para o seu dia de passeio ou lazer.

O endereço é Rua Manoel Damasceno da Costa, 571, Catolé – Horizonte – Ce. Informações com Cely Pinho: (85) 9657- 9262 ou (85) 8602-0561. Email celypinho@hotmail.com. Veja também a fanpage no facebook do Sítio São Francisco – Casa de Retiros e Encontros.

 

Publicado em 26/06/2013 por

De 27 a 30 de junho acontece na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, Pacatuba, a Visita Pastoral Missionária

De 27 a 30 de junho acontece na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Pacatuba, a Visita Pastoral Missionária. Dom José Antonio Aparecido T. Marques, arcebispo metropolitano, e os bispos auxiliares da Arquidiocese de Fortaleza, dom Rosalvo Cordeiro e dom Vasconcelos, participarão da visita.  Padre Emílio Cesar, vigário episcopal da Região Metropolitana Sagrada Família, padre Francisco Nelson, pároco de Pacatuba, padre Geilson Pereira, vigário paroquial de Pacatuba, também acompanharão a visita.

A Vista Pastoral Missionária é um encontro que marca, anima e fortalece a caminhada pastoral de uma Paróquia e de suas comunidades.

Leia a programação completa.

A Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Pacatuba, faz parte da Região Episcopal Metropolitana Sagrada Família. O telefone de contato é (85) 3345-1121.

 

Publicado em 26/06/2013 por

Três arcebispos brasileiros receberão o Pálio na solenidade de São Pedro e São Paulo

No dia 29 de junho, dia da Solenidade de São Pedro e São Paulo, o Papa Francisco presidirá na Basílica de São Pedro à celebração Eucarística com a imposição do Pálio a 35 metropolitas. Entre eles estão 3 brasileiros: Dom Antônio Carlos Altieri S.D.B., Arcebispo de Passo Fundo, Dom Sérgio Eduardo Castriani, C.S.Sp., Arcebispo de Manaus e Dom Moacir Silva, Arcebispo de Ribeirão Preto.

O rito de imposição do Pálio permanece como estabelecido por Bento XVI em 2012, ou seja, será realizado no início da celebração.

As informações exatas sobre a origem desta tradição não são precisas. Sabes-se no entanto que já no século IV o Papa usava este pálio. Provavelmente era uma insígnia imperial passada aos bispos. O pálio passa então a ser dado por Roma aos metropolitas, sobretudo na época de Gregório VII, logo após o ano mil, quando existia a necessidade de controlar a eleição de bispos.

A partir daquele período, os metropolitas vinham a Roma receber o pálio. Posteriormente, ele passou a ser concedido também àqueles que não eram metropolitas, como um sinal de honra. Na década de 70, houve a reforma do pálio, desejada pelo Papa Paulo VI, por isso até hoje é concedido apenas aos metropolitas, no dia 29 de junho, Solenidade dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo, justamente para evidenciar a ligação daqueles que carregam o pálio com a Sé Apostólica.

O simbolismo do Pálio foi sendo enriquecido ao longo dos séculos. No início, ele teve um simbolismo sobretudo eclesial, isto é, em todo o primeiro milênio o pálio indicava a ovelha que estava perdida, e, portanto, significava o pastor que levava a ovelha em seu ombro esquerdo. É o pálio que é encontrado em toda iconografia e em todos os mosaicos do primeiro milênio.

Posteriormente, ele mudou a forma: foi colocado ‘ad ipsilon’ sobre a pessoa que o usava e assumiu outro significado. As cruzes vermelhas assumiram o significado das chagas do Senhor. Os cravos assumiram o significado dos três pregos da crucificação. Assim, o pálio assumiu sobretudo um significado cristológico, do Cristo Bom Pastor. Hoje temos esses dois elementos juntos. O pálio é feito de lã e significa a ovelha perdida, leva os cravos e tem essas cruzes para significar que o Bom Pastor dá a sua vida pelas suas ovelhas.

POR: CNBB


QR Code Business Card