Publicado em 30/04/2012 por

Peregrinação Nacional das Famílias reúne, em Aparecida, mais de 120 mil pessoas

O Santuário Nacional acolheu neste final de semana, 28 e 29 de abril, o 2º Simpósio Nacional das Famílias e a 4ª Peregrinação Nacional das Famílias.

Este ano, o Simpósio teve como tema “A Família: o trabalho e a festa”, o mesmo do Encontro Mundial das Famílias, que será realizado em Milão, com a presença de Bento XVI, nos dias 30 de maio a 3 de junho.

A estimativa geral é que 1700 pessoas tenham participado do Simpósio e 120 mil pessoas da Peregrinação. Além disso, 13 bispos e 50 padres acompanharam de perto os dois eventos.

A programação da 4ª Peregrinação Nacional da Família contou com missas, orações e pregações dos bispos convidados. A missa das 10h do domingo foi presidida pelo bispo de Camaçari (BA) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para Vida e a Família da CNBB, dom João Carlos Petrini.

Em sua homilia, dom Petrini falou sobre os muitos caminhos que o mundo oferece às pessoas e que a verdadeira paz só se encontra no caminho de Jesus. “A melhor resposta dos dramas da vida não é fugir dos problemas, mas enfrentá-los com amor. O amor vence o ódio e o desespero”, afirmou.

O presidente da Comissão Episcopal falou aos pais presentes sobre os programas de televisão banais, bares e alcoolismo que nada acrescentam na vida e na educação de seus filhos.

“Precisamos de pais e mães que se doem pelos seus filhos, pelas suas famílias. Seguir Jesus é aprender amar com fidelidade. Que possamos aprender com Maria a sermos fiéis aos nossos compromissos”, afirmou.

“No Santuário Nacional de Aparecida, podemos admirar a sua beleza, suas orações, cantos e pinturas. Como disse o Beato João Paulo II, a nossa família também é um santuário e pode ser admirada por suas belezas”, acrescentou dom Petrini.

Reforçando a reflexão sobre o tema do 2º Simpósio Nacional da Família ‘Família: Trabalho e Festa’, dom Petrini fez um convite aos casais para que possam viver de maneira equilibrada no trabalho, na família, nos momentos de convivência para que não falte tempo para a dedicação aos filhos.

Outro evento que aconteceu em Aparecida foi o 1º Encontro de Jovens Peregrinos, que, segundo o assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família, da CNBB, padre Wladimir Porreca, foi um sucesso.

Por CNBB

Publicado em 30/04/2012 por

Semana de Oração pela Unidade dos cristãos 2012

Conselho de Igrejas para Estudo e Reflexão

Semana de Oração pela Unidade dos cristãos

20 a 27 de maio de 2012

“Todos seremos transformados pela vitória

de Nosso Senhor Jesus Cristo”

(Cf 1 Cor 15,51-58)

Irmãos e irmãs da caminhada ecumênica!

Entre os dias 20 a 27 de maio de 2012, cristãos e cristãs de todo Hemisfério Sul, estarão unidos, celebrando a SOUC. Será uma semana muito especial, pois pessoas das mais variadas etnias e culturas estarão dedicadas à reflexão sobre a importância da unidade na diversidade. Mas o que é estar unido na diversidade?

Unidade na Diversidade

A junção dessas duas palavras, Unidade e Diversidade, ou Unidade na Diversidade, nos dá a impressão de que é impossível construir um ambiente assim, em tese, diversidade geraria separação. Mas no mundo cristão esse raciocínio dribla a lógica, pois o diálogo aberto e fraterno permite, mesmo na diversidade, a abertura ao outro, àquilo que eu não tenho, mas admiro e respeito no meu irmão de fé. Afinal existe uma máxima que gere a todos os cristãos: “maior é aquilo que nos une do que o que nos separa”. Todos estão sob um só Cristo, um só Pastor, fazendo parte de um só rebanho e, embora os caminhos para se encontrar com Deus sejam variados, a meta é sempre a mesma:“amar o próximo como a si mesmo” (Gl. 5.14).

Construir a Unidade

A unidade, nem sempre é fácil de ser conseguida. Mas o esforço de muitas Igrejas no Brasil, sejam elas igrejas-membro do CONIC ou não, têm sido cada dia maiores. Nesse sentido, a SOUC, que este ano tem como tema “Todo seremos transformados pela vitória de nosso Senhor Jesus Cristo” baseado na carta do apóstolo Paulo em 1ª Cor. 15. 51-58, pretende contribuir para que irmãos e irmãs de diferentes congregações se juntem em momentos únicos de partilha, comunhão e integração. Participe conosco da SOUC 2912 e sejamos sempre Um (Jo. 17.21).

Irmãos e irmãs da caminhada ecumênica!

Este ano em que comemoramos 30 anos de CONIC e 40 anos de CIER, a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, sob o lema bíblico da Primeira Carta do Apóstolo Paulo aos Coríntios: “Todos seremos transformados pela vitória de nosso Senhor Jesus Cristo” (1ª Cor. 15. 51-58), vem elaborada pelos irmãos e irmãs da Polônia, país marcado por histórias de sofrimento, mas também por muita coragem no testemunho de fé, vencendo inúmeros desafios.

O CIER convida a cada um e cada uma de vocês a se unir a este grande mutirão, que a Semana Oração pela Unidade dos Cristãos produz. Cada um/a é chamado/a a transformar a realidade onde vive e a construir um mundo melhor. Temos diante de nós muitos desafios, oremos e mostremos sinais concretos na busca de superação!

Que a reflexão desta Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos nos anime a confiar sempre mais na transformação possível, com a fé alimentada na certeza que vem da vitória do Ressuscitado.

Com Graça e Bênção!

Pastor Inácio Lemke – IECLB

Presidente do CIER

Dom Oneres Marchiori – ICAR

Vice-Presidente do CIER

Outras informações acessar: http://semanadeoracaopelaunidade.blogspot.com.br/p/tema-souc-2012.html

Publicado em 30/04/2012 por

Mensagem da CNBB aos trabalhadores e trabalhadoras

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, no ensejo das comemorações do Dia Mundial do Trabalho, neste 1º de Maio, dirige sua mensagem de solidariedade e apoio a todos os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. A celebração desta data nos sugere, antes de tudo, um agradecimento a Deus pelo ser humano que, com criatividade e sabedoria, constrói o mundo e vive do trabalho de suas mãos.

O trabalho não é um mero apêndice na vida humana, mas uma dimensão fundamental de sua existência na terra. Por meio dele, o homem e a mulher “participam na obra do próprio Deus, seu Criador” e se realizam como seres humanos. O próprio Jesus viveu a realidade do trabalho a ponto de ser identificado como “o Filho do Carpinteiro” (Mt 13,55).

A busca do desenvolvimento a todo custo, no entanto, colocando o capital e o lucro acima da pessoa humana, tem transformado o trabalho em peso e castigo para milhares de trabalhadores e trabalhadoras no país. Isso contradiz a vocação humana ao trabalho e fere sua dignidade. Temos a missão resgatar a centralidade da pessoa humana para que o trabalho, “chave essencial de toda a questão social”, cumpra seu fim que é a realização do ser humano.

A Igreja, que “considera sua tarefa fazer com que sejam sempre tidos presentes a dignidade e os direitos dos homens do trabalho” (Laborem Exercens 1), se une, portanto, neste 1º de Maio, aos trabalhadores/as em suas justas reivindicações quais sejam a garantia de seus direitos e a defesa de sua dignidade.

Com eles denuncia as desigualdades sociais, que a distribuição de renda não consegue erradicar, o baixo salário, o desemprego e o subemprego, que condena inúmeras famílias a condições indignas de filhos e filhas de Deus. Repudia, igualmente, o trabalho escravo e infantil, chaga de nossa sociedade, bem como toda discriminação que possa existir no mundo do trabalho por idade, etnia, gênero.

Somos todos responsáveis pela construção da sociedade nova, justa e fraterna, sonhada por Deus para seus filhos e filhas. A garantia da justiça nas relações do trabalho é condição para atingirmos esse fim.

Que o carpinteiro São José, pai adotivo de Jesus, abençoe os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil.

Brasília, 1º de Maio de 2012

Cardeal Raymundo Damasceno Assis

Arcebispo de Aparecida

Presidente da CNBB

Dom José Belisário da Silva

Arcebispo de São Luis do Maranhão

Vice-Presidente da CNBB

Dom Leonardo Ulrich Steiner

Bispo Auxiliar de Brasília

Secretário Geral da CNBB

Por CNBB

Publicado em 30/04/2012 por

Mensagem: 1º. de maio 2012 – Pastoral Operária

“VIVER PARA TRABALHAR OU TRABALHAR PARA VIVER?”

Vaidade das vaidades, tudo é vaidade.
Que proveito tira o homem de todo o trabalho
com que se afadiga debaixo do sol? (Eclesiastes 1, 2-3)

Vivemos momentos difíceis para a classe trabalhadora. A aparente abundância com que a mídia, o governo e o empresariado em geral pregam, esconde a real situação em que vive a classe trabalhadora. Se por um lado temos uma diminuição do índice de desemprego, este ainda está alto, 10,5% (DIEESE), em números são em torno de 10,5 milhões de trabalhadores. O índice de trabalhadores informais também é alto 44%, ou seja, 44,5 milhões de trabalhadores. Isto quer dizer que cerca de 55 milhões de trabalhadores no Brasil estão sem acesso aos direitos trabalhistas. O índice de desemprego cresce ainda mais quando falamos das juventudes, chega a 22,9%. Outro fator que joga contra a classe trabalhadora é a alta rotatividade no emprego no Brasil, é a mais alta do mundo. Se em 2011 foram criados 20 milhões de empregos, porém foram 18 milhões demitidos. Com esta arma o empresariado diminui os direitos trabalhistas e a capacidade de organização dos trabalhadores (hoje os trabalhadores ficam no máximo 2 anos numa empresa).

O salário mínimo é ainda um forte referencial para os trabalhadores (47 milhões deles recebem este valor). Apesar dos aumentos conquistados nos últimos anos, ele ainda esta muito longe do que prevê a constituição federal. Seu valor atual é de R$ 622,00, enquanto o DIEESE prevê o valor de R$ 2.323,21 ou seja, quatro vezes menor do que deveria ser.

Outro agravante é a retirada lenta e sistemática dos direitos trabalhistas, ressaltamos aqui o veto da Presidenta Dilma ao aumento dos trabalhadores aposentados. Estes pagam por 30 anos ou mais para ter seus direitos desrespeitados no fim da vida.

As taxas de juros são um caso a parte, mesmo estando em crise econômica a Comunidade Europeia, paga de 1% a 6% de juros ao ano, no Brasil a taxa está em 9,75%. Se for taxa bancária chega a 230% ao ano, isto dificulta a vida da classe trabalhadora aumentando o preço das mercadorias essenciais. Para as grandes empresas e para microempreendedor individual há créditos subsidiados, para os trabalhadores e associações de trabalhadores não.

Outro fator são os acidentes de trabalho. As taxas no Brasil ultrapassam os 500 mil acidentados anuais, chegando a 2.500 mortos, uma verdadeira calamidade pública. Além disso, a quantidade de doenças ocupacionais continuam aumentando no país, fruto do excesso e precarização do trabalho.

Mas nem tudo é desalento, percebemos um avanço na organização da classe trabalhadora, frente a toda esta situação. Vemos um aumento das greves e outras formas de organização exigindo melhores condições de salários e trabalho. Os movimentos sociais aos poucos começam a se agruparem e buscam pontos em comum em suas lutas. O nível de conscientização aumenta dia a dia, ainda que de forma lenta. Estas ações ligadas a outras que já se fazem vivas, nos dá a certeza que no horizonte a luta pela vida ainda está forte.

Assim, nós da Pastoral Operária chamamos a todas e todos os trabalhadores formais e informais, desempregados, aposentados e da economia popular solidária a somarmos força no sentido de termos uma sociedade mais justa, fraterna e solidária, sinal da presença do Reino de Deus aqui na terra, onde a vida dos trabalhadores e das trabalhadoras esteja acima do lucro de uns poucos. Vamos trabalhar para viver em vez de viver para trabalhar!

VIVA A CLASSE TRABALHADORA!

A página eletrônica da Pastoral Operária Nacional é http://www.pastoraloperaria.org.br

Conheça um pouco mais sobre os Direitos e Deveres dos trabalhadores na Constituição Federal do Brasil, acesse: http://www.jusbrasil.com.br/legislacao/91972/constituicao-da-republica-federativa-do-brasil-1988

 

Publicado em 30/04/2012 por

Paróquia Cristo Rei celebra dia do trabalhador

No dia primeiro de Maio – Dia do Trabalhador, a paróquia de Cristo Rei celebrará missa em ação de Graças pelo dia do Trabalhador. Com a benção das carteiras de Trabalho, dos instrumentos e uma corrente de oração por todos os irmãos que estão desempregados.  A coordenação do Louvor e oração será da Comunidade Nova Evangelização.

Informação (85) 3253 408 08 ou (85)  9190 5959, com Consuêlda.

Publicado em 30/04/2012 por

Início das inscrições da Jornada Mundial da Juventude será em julho

A página oficial da Jornada Mundial da Juventude 2013, que será realizada na cidade do Rio de Janeiro (RJ), informa que as inscrições para o evento terão início no mês de julho deste ano através do portal oficial www.rio2013.com disponível em português e outros idiomas. O setor de comunicações da próxima JMJ informa, em nota oficial publicada neste fim de semana, que o Rio já está se organizando para receber os milhares de peregrinos de todas as partes do mundo que desejam participar “deste sonho do coração de Deus”.

As inscrições poderão ser feitas a partir de julho de 2012, um ano antes da Jornada, exclusivamente através do portal oficial, tanto em sua versão em português, como nas outras línguas em que já se encontram disponível. Membros do Comitê Organizador Local (COL) da JMJ advertem também que este será o único meio oficial de inscrições e que não há nem haverá, outro portal ou entidade autorizados a inscrever jovens peregrinos para o evento com o papa no Brasil.

Segundo a irmã Maria Shaiane Machado, diretora do Setor de Inscrições, “todo peregrino que vem à jornada precisa fazer sua inscrição. O Setor de Inscrições é a porta de entrada à JMJ Rio 2013, é a partir dele que a JMJ acolhe a todos e dá as boas vindas”.

Faltando pouco mais de um ano para a Jornada, o Setor de Inscrições já está trabalhando intensamente para que a partir de julho de 2012, os peregrinos de todo o mundo possam se inscrever. Sobre a quantidade estimada de inscritos para o evento, a irmã Shaiane ressaltou: “Não falamos muito em números, porque toda Jornada é uma surpresa, mas, baseando em dados de outras jornadas, prevemos 800 a 900 mil inscritos através do nosso portal”, ressaltou a religiosa.

Os jovens farão sua inscrição em grupos, tendo no máximo 50 peregrinos. Os grupos com um número superior a esta cifra deverão dividir-se em grupos de até 50 pessoas e no momento da inscrição, fazer a vinculação entre eles. Os valores e as datas exatas para as inscrições ainda não foram definidos. Os pacotes para os peregrinos deverão ser semelhantes aos das jornadas anteriores, com variações de preços para as alternativas que podem incluir: kit peregrino, alimentação, hospedagem e transporte.

“O Rio espera você de braços abertos. Venha participar desse grande evento e mostrar a força da juventude de todo o mundo!”, alentam os membros da Organização da JMJ Rio 2013.

Mobilização

Os jovens da Papua Nova Guiné estão entusiasmados e prontos para participar da Jornada Mundial da Juventude. “Muito dependerá deles, de como cuidarão de sua formação e o tempo de preparação”, declarou à Agência Fides o padre Shanthi Puthussery, coordenador nacional da Pastoral Juvenil de Papua Nova Guineé. Ele recorda que a participação dos jovens na JMJ teve início com a edição de Sidney em 2008. Depois, alguns foram também a Madri, na Espanha, em 2011. Para muitos dos participantes, foi realmente uma experiência significativa, sobretudo para sua vida espiritual no caminho de fé. Mas, afirma o sacerdote, “havia alguns pontos fracos: algumas dioceses na realidade não tinham selecionado e preparado bem os jovens”.

Por isso, hoje é importante “cuidar da formação, da preparação e da seleção de jovens engajados e motivados. A JMJ é uma peregrinação de fé para aqueles que já estão envolvidos na vida da Igreja local e em caminho espiritual pessoal”.

A Pastoral juvenil difundiu nas dioceses e centros juvenis católicos de Papua Nova Guiné e Ilhas Salomão um livreto que “permitirá aos jovens iniciar a ler a Escritura, em especial o Evangelho de Mateus, com uma introdução sobre a Eucaristia, e a história da Igreja local desde o período em que foi instituída pelos missionários”.

Outro livreto é intitulado “A transmissão da Fé”, sobre os atuais obstáculos em transmitir a fé cristã de uma geração a outra. “Um texto pensado para o apostolado dos leigos, mas que se aplica perfeitamente aos jovens”, declarou padre Puthussery.

Por CNBB

Publicado em 30/04/2012 por

Encontro de formação da Pastoral da Comunicação da Arquidiocese de Fortaleza

Pastoral da Comunicação estuda sobre “Espaço Virtual: Novas possibilidades de Comunicação”, clique e veja as fotos.

Publicado em 30/04/2012 por

Pastoral da Comunicação realizou estudo sobre “Espaço Virtual: Novas possibilidades de Comunicação”

No último sábado, 28 de abril, a Pastoral da Comunicação, PASCOM realizou uma de suas mais importantes formações de 2012. O workshop “Espaço Virtual: Novas Possibilidades de Comunicação”. Um tema extremamente atual para a Igreja que caminha rumo à excelência na era da informática, ministrado pelo Coordenador de Marketing da FM Dom Bosco e consagrado da Comunidade Recado, Marcos Pavel.

Os membros das mais diversas áreas pastorais de Fortaleza foram convidados a aprofundar pela manhã o polêmico tema do direito virtual. O palestrante foi enfático em suas afirmações que a Igreja, antes de qualquer outro órgão, deve ser exemplo de cumprimento da lei. “O direito virtual nada mais é que a ratificação da constituição aplicada às novas tecnologias (…) Temos que compreender que não está sendo inventado nada de novo, apenas confirmado a um novo espaço”, afirmou Pavel.

O período da tarde foi marcado pela prática de conceitos das novas mídias. Abordando a importância de se formularem sites que não sejam apenas folders, mas tenham atualizações constantes, nem que seja apenas de um único destaque, recordou que a comunicação é dinâmica. “Criatividade, desejo pela inovação e habilidade são importantes no cyber espaço, mas considero essencial e ponto fundamental o trabalho equilibrado (…) quem não dedica um tempo específico para o trabalho na rede vai acabar virando um workaholic, trabalhando dia e noite freneticamente e uma hora não conseguirá mais fazer nada”, ponderou falando da importância de saber dosar o tempo e dividir funções.

Outros temas como funções do facebook, técnicas para conseguir novos “curtidores” e encantar o internauta com e-mails marketing foram passadas para todos os membros que tomaram nota ouvindo cada palavra atentamente. Em cada partilha dos congressistas, era notório como o conteúdo abordado gerou um despertar real e profundo, porém, muitos dos materiais já serão de aplicação imediata como a demonstração de realidade aumentada realizada ao final do dia.

Publicado em 30/04/2012 por

Ações da Cáritas no Haiti

Assista aqui: Cáritas 

A Cáritas Brasileira é uma entidade de promoção e atuação social que trabalha na defesa dos direitos humanos, da segurança alimentar e do desenvolvimento sustentável solidário. Sua atuação é junto aos excluídos e excluídas em defesa da vida e na participação da construção solidária de uma sociedade justa, igualitária e plural.

O telefone da Cáritas Arquidiocesana de Fortaleza é (85) 3388 8716

Publicado em 30/04/2012 por

Maio o mês de Maria

Estamos no mês de maio; o mês de Maria Mãe de Deus. O Concílio Vaticano ll referindo-se à devoção à Virgem Maria, no capítulo 8 da Constituição Dogmática “Lumen Gentium” reafirmou a doutrina e a devoção de venerar a Mãe de Deus sempre Virgem. No número 69 da referida constituição o Concílio exorta “Todos os fiéis para dirigir súplicas insistentes à Mãe de Deus e Mãe dos homens, para que ela, que assistiu com suas orações aos alvores da Igreja, também agora, exaltada no céu acima de todos os anjos e bem-aventurados interceda junto de seu Filho, na comunidade de todos os santos, para que todas as famílias dos povos, quer se honrem do nome cristão quer desconheçam ainda o seu Salvador, se reúnam felizmente, em paz e concórdia, no único povo de Deus, para glória da santíssima e indivisa Trindade”. A celebração condigna do mês de maio encontra-se, assim, perfeitamente dentro do espírito do Concílio Vaticano ll. Além disso, é uma excelente oportunidade para inculcar nos fiéis os fundamentos teológicos da devoção à Maria, especialmente na perspectiva de Mãe de Deus.

A Igreja Católica sempre tributou a Maria uma veneração, uma imitação, um amor muito especial desde o início do cristianismo. O motivo é porque ela é a Mãe de Jesus, o Filho de Deus e nosso Salvador e Redentor. Jesus sendo o Filho de Deus é igual ao Pai e ao Espírito Santo. A Jesus devemos o culto máximo de adoração. Maria sendo uma criatura como nós, não deve receber o culto de adoração, mas de veneração (hiperdúlia), amor e imitação. Maria é a Mãe de Deus porque ela é a Mãe de Jesus e Ele é Deus. O Concílio de Éfeso que o ocorreu no ano 431 com mais de 200 bispos presentes declarou solenemente o dogma mariano católico afirmando que Maria é Mãe de Deus. Através do termo “theotokos” que em grego significa Geradora de Deus, aquele Concílio proclamou que Maria é Mãe de Deus.

A própria bíblia nos mostra que Maria tem o direito ao título de Mãe de Deus. Em Isaias 7, 14 encontramos a frase: “O Senhor mesmo vos dará um sinal: Eis a Virgem que concebe e dá à luz um filho que se chamará Emanuel”. Emanuel é uma palavra hebraica, que na tradução literal significa “Deus conosco”. Exprime uma presença particular e pessoal de Deus no mundo. Porém, o texto mais citado para provar que Maria é a Mãe de Deus é Lucas 1, 30-35: “O anjo disse a Maria: não tenhas medo, Maria encontraste graça junto de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, e o chamarás com o nome de Jesus. Ele será grande, será chamado Filho de Altíssimo”… “Maria, porém, disse: como se fará isso, visto que não tenho relações conjugais? O anjo respondeu: o Espírito Santo virá sobre ti e o poder do Altíssimo vai te cobrir com sua sombra, por isso o Santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus”. Maria também é nossa mãe. Portanto, neste mês dedicado à ela vamos aproveitar de seu poderoso poder de intercessão junto com seu Filho para agradecê-lo e pedir as graças que estamos precisando.

Pe. Dr. Brendan Coleman Mc Donald, Redentorista e assessor da CNBB Reg. NE1


QR Code Business Card