Publicado em 31/01/2012 por

O amigo da juventude

É-nos por demais grato e com razões até de sobra, apresentar o tema da juventude, com muita alegria no coração e um abraço bem caloroso a todos quantos possam acolher nossa mensagem, suplicando fervorosamente a paz tão sonhada para os nossos jovens, que com muita garra lutam em favor da sua própria dignidade, desejando vê-los mais gente, criatura humana mais digna e, portanto, mais imagem e semelhança de Deus, o esplendor da verdade, que  brilha em todas obras do Criador (cf.Gn 1,26).

Na primeira viagem do Papa Bento XVI fez à América Latina, por ocasião da realização da V Conferência da América Latina e do Caribe, quando nós brasileiros tivemos o privilégio e alegria de acolhê-lo, em Aparecida, no Santuário Nacional, falou para a juventude. Foi no dia 10 de maio de 2007, que o Sumo Pontífice se dirigiu aos jovens do Brasil, no Estádio do Pacaembu, com a seguinte frase, logo no início do seu discurso: “Desejei ardentemente encontrar-me convosco nesta primeira viagem à América Latina”. E diz também com veemência: “São vocês que vão traçar os rumos desta nova etapa da humanidade” e ainda acrescentou: “Por isso eu vos envio para a grande missão de evangelizar os jovens, que andam por este mundo errantes, como ovelhas sem pastor. Sede apóstolos dos jovens”.  E o Papa fez uma afirmação extremamente oportuna, ao encorajar nossa juventude, muito amada por Deus: “Sem o rosto jovem a Igreja se apresentaria desfigurada”.

Na Igreja tivemos a força de uma figura humana fascinada por Deus e suas criaturas, que exerceu tal fascínio vendo Deus através juventude empobrecida do seu tempo. Trata-se do dom maravilhoso de São João Bosco, italiano de Turim (1815-1888), uma das pessoas mais populares da nossa civilização cristã. Seu grande e maior legado foi de se preocupar com a educação integral dos jovens, num tempo em que essa porção da sociedade começava a ser profundamente atingida por perigos de toda natureza; quis ele ser apóstolos dos jovens. Para bem desempenhar sua missão libertadora em favor dessa gente tão querida por Deus, jamais lhe faltaram sabedoria e dons humanos e sobrenaturais. Jesus, o bom Pastor, iluminou sua inteligência e a modelou, de modo que, foi levado a conhecer e a amar o Senhor, como tão bem expressa o Salmo: “Fazei brilhar sobre nós, Senhor, a luz da vossa face” (Sl 4, 7).

Ele pensava de ser sacerdote e sempre afirmava: “Quando crescer quero ser sacerdote para tomar conta dos meninos. Os meninos são bons; se há meninos maus é porque não há quem cuide deles”. A Divina Providência atendeu os seus anseios. Em 1835 entrou para o seminário de Chieri, perto de Turim, Itália.

Ordenado Sacerdote no dia 05.06 1841, logo deu provas do seu zelo apostólico. No dia 8 de dezembro do mesmo ano iniciou o seu apostolado juvenil em Turim, catequizando um humilde rapaz de nome Bartolomeu Garelli. É aí que iniciou a origem de sua grande obra, que nós a conhecemos como os oratórios salesianos destinados aos jovens pobres, em tempos difíceis. Sua intenção era de ampará-los, preservando-os da ignorância religiosa e de todo tipo mal que os envolviam. Em 1846 estabeleceu-se definitivamente em Valdocco, bairro de Turim, onde fundou o Oratório de São Francisco de Sales. Ao oratório juntou uma escola profissional, depois um ginásio, um internato etc. Em 1855 deu o nome de Salesianos aos seus colaboradores, fundando assim, em 1859, com os seus jovens salesianos a Sociedade ou Congregação Salesiana, que para eles foi pai e guia no caminho da salvação, sempre pronto a prevenir em vez de reprimir. Criou ainda a Associação dos Cooperadores Salesianos, como prodígio da providência divina. Podemos, evidentemente, contemplar todo trabalho de Dom Bosco como hino de louvor, com um poema de Deus Pai, que tem sua razão ser, na firmeza de sua fé, esperança e caridade.

Amou em profundidade a criatura humana, com um carinho especial para com os jovens de seu tempo, a ponto de sensibilizá-los através de seus pensamentos e frases, a saber: “Basta que sejam jovens para que eu vos ame”. “Prometi a Deus que até meu último suspiro seria para os jovens.”, “O que somos é presente de Deus; no que nos transformamos é o nosso presente a Ele”, “Ganhai o coração dos jovens por meio do amor”, “A música dos jovens se escuta com o coração, não com os ouvidos.”

O método educativo e apostólico de Dom Bosco se inspirou num humanismo cristão, buscando motivações e energia nas fontes da sabedoria evangélica, de partilhar em tudo a vida dos jovens; para isto concretizou seu desejo, abrindo escolas de alfabetização, artesanato, casas de hospedagem, ambiente de diversão, com catequese e qualificação profissional. E é exatamente por isso que a Igreja reza: “Ó Deus que suscitastes São João Bosco para educador e pai dos adolescentes, fazei que, inflamados da mesma caridade, procuremos a salvação de nossos irmãos” (Missal Romano, pg. 546).

O uso didático de suas frases e pensamentos, relacionados aos meninos pobres dos oratórios, padres e irmãs, que se tornaram seus parceiros e colaboradores, foram de uma vitalidade tal, que o tornou um extraordinário benfeitor da humanidade. Embora os seus pensamentos sejam do século XIX, os temos como atuais e profundamente carregados de sabedoria, demonstrando o imenso carinho que Dom Bosco nutriu pelos jovens. Tratando-os jamais como um problema, mas como uma solução, tornando-se patrimônio da humanidade, na sua larga visão do mundo, dentro de uma realidade desafiadora, olhando para o futuro.

De estatura atlética, memória descomunal, inclinado à música e a arte, Dom Bosco tinha uma linguagem fácil, espírito de liderança, além de ser um escritor de raríssima qualidade.  O grande apóstolo da juventude partiu para o céu aos 31 de janeiro de 1888, na cidade de Turim, deixando indelevelmente sua marca espalhada por diversos países da Europa e da América. Sua vida e seu ideal perseguido foi o do amor ao próximo, como costumava afirmar que Deus o chamou e o colocou no mundo, não para viver para si e sim para Ele, através do próximo, vendo com os próprios olhos sua obra crescer e prosperar. Ele mesmo enviou seus filhos salesianos em 1883, para fundar o Colégio Santa Rosa em Niterói, primeira casa salesiana do Brasil, de ensino fundamental. A segunda casa dos filhos de Dom Bosco, foi em 1886, com a fundação do Liceu Coração de Jesus, na cidade de São Paulo.

Homem que marcou em profundidade uma época, até mesmo com visões e sonhos. Ele que viveu na Itália, teve visões reveladoras, inclusive o grande sonho que viria a ser revelado, tornando-se realmente importante nas últimas decisões de Juscelino Kubitschek, no que diz respeito a construção da Capital Federal no Planalto Central. No seu sonho, revelou que foi arrebatado pelos anjos, entre os paralelos 15º e 20º graus, onde havia uma enseada bastante extensa e larga, partindo de um ponto onde se formava um lago. Eis o sonho do Dom Bosco, verdade ou não, a cidade de Brasília, tornou-se realidade.

Pe Geovane Saraiva, Pároco de Santo Afonso

pegeovane@paroquiasantoafonso.org.br

 

Artigos Relacionados

Publicado em 31/01/2012 por

Celebração do centenário de ordenação sacerdotal do primeiro arcebispo da Capital cearense, Dom Antônio de Almeida Lustosa

Na catedral Metropolitana de Fortaleza comemorou-se, sábado, dia 28, o centenário de ordenação sacerdotal do primeiro arcebispo da Capital cearense, Dom Antônio de Almeida Lustosa.

FOTOS DA CELEBRAÇÃO

Publicado em 31/01/2012 por

Centenário de ordenação sacerdotal de Dom Lustosa é lembrado em Fortaleza

A Catedral Metropolitana de Fortaleza comemorou sábado, dia 28, o centenário de ordenação sacerdotal do primeiro arcebispo da Capital cearense, Dom Antônio de Almeida Lustosa. Dom Lustosa se encontra em processo de canonização em Roma.

Na programação da Catedral, houve uma exposição das obras sociais literárias e eclesiásticas, representando o memorial do religioso. A banda de música da 10ª Região Militar fez apresentação antes da missa e houve ainda queima de fogos.

O Bispo auxiliar de Fortaleza, Dom José Luiz Ferreira Salles presidiu a missa, que foi concelebrada pelo bispo emérito de Limoeiro do Norte, Dom Edmilson da Cruz, Pe. Clairton Alexandrino, diácono João Batista e representando os Salesianos de Dom Bosco, Pe. Gilberto Silva. A celebração foi animada pelo coral do Colégio Dom Bosco. Após o ato religioso foi visitada a campa de Dom Antônio situada no cemitério da ressuscitação na Catedral.

Dom Antônio de Almeida nasceu em São João Del Rei (MG) no dia 11 de fevereiro de 1986. Foi ordenado padre pela Congregação Salesiana em 28 de janeiro de 1912 e frequentou o Colégio Dom Bosco em Cachoeira do Campo em Minas.

Sagrou-se bispo de Uberaba, Diocese do Triangulo Mineiro. Após administrar a Diocese de Corumbá no Mato Grosso e Belém no Pará, foi transferido para Fortaleza onde assumiu a Arquidiocese em 1941 e permaneceu até maio 1963.

FOTOS DA CELEBRAÇÃO

Publicado em 30/01/2012 por

Desabamento no Rio de Janeiro provoca o cancelamento do lançamento da logomarca da JMJ

A assessoria de Comunicação responsável em divulgar os eventos da Jornada Mundial da Juventude RIO2013, informou na manhã de hoje, 30, que o lançamento da logomarca da JMJ, que estava programado para acontecer na quarta-feira, 1º de fevereiro, no Rio de Janeiro (RJ), foi cancelado.

Em solidariedade a todos os familiares das vítimas do desabamento dos três prédios no Centro do Rio, na última quarta-feira, dia 25 de janeiro, o Instituto JMJ RIO2013, da arquidiocese do Rio de Janeiro, cancelou do lançamento da logomarca. Em nota, o presidente do Instituto e arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta, manifestou seu pesar e conclamou a todos que rezem pelos falecidos, feridos e famílias atingidas pela dor que também é de toda a arquidiocese.

O arcebispo convocou ainda todo o clero responsável por Paróquias e Capelas da arquidiocese para que em todas as Missas e Celebrações, coloque a intenção pelos falecidos e por suas famílias como sinal de que a Igreja Católica está fraternalmente unida aos que foram atingidos por tal fatalidade.

Confiante na misericórdia de Deus, dom Orani convida parentes, amigos e autoridades para a Missa de Sétimo Dia na intenção dos falecidos, a ser realizada no próximo dia 2 de fevereiro, às 10 horas, na Catedral de São Sebastião, na Avenida República do Chile.

Publicado em 30/01/2012 por

Roteiro de Peregrinação da Cruz, em Fortaleza

Dia 01 de março

Saída de Quixadá ——————— 15h

Chegada em Aquiraz ——————16h 30min

Saída de Aquiraz ———————— 19h 30min

Chegada no Bom Jardim ————— 21h

Dia 02 de Marco

Chegada na Caucaia ————————— 6h

Ida para Canindé ——————————- 8h 30min

Chegada em Canindé ————————— 10h

Ida para Região Serra —————– 12h

Chegada na Regiao Serra —————-  15h

Saída  da Região Serra ——————– 19h

Chegada em Pajuçara —————————- 21h

Dia 03 de março

Chegada no Centro Sócio Educ. Dom Aloísio —– 7h

Saída do Centro Sócio Educ. D. Aloísio ———8h 30min

Chegada na Paróquia Senhor do Bonfim ——- 9h

Ida para Santuário de Fátima —————– 11h 30min

Chegada no Santuário de Fátima —————- 12h

Saída do Santuário de Fátima ———————- 15h 30min

( Encerrando com o Terço da Misericordia)

Chegada no Aterro da Praia de Iracema —– 16h

Entrada da Cruz e do Ícone ——————– 17h

Missa ——————————————— 18h

Publicado em 30/01/2012 por

Fraternidade e Saúde Pública

Desde 1964, a Igreja Católica realizada a Campanha da Fraternidade. Opção pastoral que nasceu impulsionada pela força inovadora do Concílio Vaticano II e o anseio da Igreja sufocada pelo mofo tridentino preso às paredes da uma Igreja de hábitos medievais que se abre para mundo:Gaudium et Spes, com a promoção humana integral e a pastoral social.

A partir de então amplia seus horizontes de fé e encarna na vida dos crentes o convite quaresmal à necessária e urgente conversão, apontando e colocando o dedo nas feridas sociais e responsáveis pelos estertores e sinais de morte que mundo pós-moderno enfrenta nos dias atuais. Mais que isso, em sua pedagogia do “ver, julgar e agir”, arrisca a lançar propostas concretas de ações transformadoras em favor da vida, transformando-se em sinal de lucidez e coerência em meio a tantos devaneios e corrupção no trato da coisa pública.

O tema deste ano é a Saúde Pública “aspiração de todos e desafio da sociedade”. Nada mais apropriado. Isso porque a pergunta que todos ouvimos, pelo menos uma vez ao dia é: “– Como vai? — Como está de saúde?”. E todos desejam “—Saúde”. Isso porque esse é o desejo mais frequente de todos. Não raro acrescentamos em nossos diálogos: “– o importante é ter saúde. O resto se dá um jeito”.

Aproprio-me da reflexão do Pe. Antônio Valentini Neto, Pároco da Catedral São José, de Erexim, num texto que me foi enviado pelo Pe. Alex José Kloppenburg, lá do Rio Grande do Sul. Nada mais oportuno, devido a riqueza de informação que tento aqui, modestamente, resumir neste artigo dirigido não à teólogos e párocos, mas ao grande público que sente na carne o rigor das filas em busca de saúde que parte, nem sempre, das mãos dos médicos.

A doença sempre perturba e cria ansiedade. A doença também compromete o patrimônio da pessoa e da família. Mesmo com os grandes avanços nos recursos clínicos e a melhoria dos serviços sociais é grande o número de pessoas que não têm acesso à assistência de Saúde Pública condizente com as necessidades e dignidade. Por isso, a Campanha da Fraternidade, em sua 49ª edição, em 2012, trata da Saúde Pública, com o lema: “Que a Saúde se difunda sobre a Terra”, inspirado no versículo extraído do livro sapiencial Eclesiástico 38,8b (toda medicina provém de Deus).

No encontro das famílias, nos círculos bíblicos, reuniões, celebrações e catequese, o tema será refletido suscitando o espírito fraterno e comunitário das pessoas para que tenham maior atenção aos enfermos, suscitando mobilização por melhorias no sistema público de saúde. Tem, portanto, aspecto transformador, como não poderia ser diferente, por se tratar de missão evangelizadora.

A Campanha também quer propagar o conceito de bem viver, motivando para hábitos de vida saudável; estimular a todos para o serviço aos enfermos com integração comunitária; ressaltar a importância da Pastoral da Saúde em todas as comunidades; divulgar dados sobre a real situação da saúde pública no Brasil, promovendo a defesa do SUS e a reivindicação de seu justo financiamento; habilitar as comunidades a acompanhar as ações da gestão pública, exigindo transparência na aplicação dos recursos, especialmente na saúde.

Alguém mais cético e menos atento aos avanços da fé engajada de algumas religiões nos tempos atuais poderá se perguntar o que Deus tem a ver com isso — a saúde pública –, uma vez que o Estado é laico e fé e política devem viver separadas.

Falaríamos um dia sobre o tema. Mas aqui importa registrar que, inicialmente, todos querem viver e com saúde. Independente de credo, conta bancária ou etnia. As enfermidades e a morte contrariam esta aspiração universal e levantam interrogações existenciais nem sempre respondidas. Aspirações que o senso comum canaliza sempre para o ente chamado Deus. A ciência, com seus avanços permanentes, não obstante, amarga sua limitação diante de certas doenças e do fim do ciclo da vida neste mundo.

Ademais, a saúde nem sempre é compreendida em sua abrangência total. Muitos excluem a dimensão espiritual ao definir dicotomicamente saúde e doença. A Organização Mundial da Saúde (OMS), em 1946, definiu a saúde sem este aspecto fundamental: “um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doenças”. Em 2003, a própria OMS acrescentou este elemento a esta sua definição de saúde. Já o Guia para a Pastoral da Saúde (GPS), elaborado pelo Conselho Episcopal Latino-americano (CELAM) define a saúde como: processo harmonioso de bem-estar físico, psíquico, social e espiritual, e não apenas a ausência de doença, processo que capacita o ser humano a cumprir uma missão que Deus lhe destinou, de acordo com a etapa e a condição de vida em que se encontre”.

Observe que a visão de homem (humanidade), cada vez mais torna-se complexa e paradoxalmente simples. Somo integralidade. Este conceito revela a compreensão do ser humano como uma unidade pneumossomática, termo originado da união das palavras gregas que significam espírito e corpo. Nesta compreensão, vida saudável requer harmonia entre corpo e espírito, pessoa e meio ambiente, personalidade e responsabilidade. Por isso “deus” e “Deus” intrometem-se na vida dos homens motivando-os a falar e refletir sobre “saúde”.

O assunto, não é de hoje que a Doutrina Social da Igreja vem tornando-o presente entre seus fiéis. Em 1981, o tema da Campanha da Fraternidade foi “Saúde e Fraternidade”, com o lema: “Saúde para todos”. Em 1984, tratou da vida, com o lema: “Para que todos tenham vida”.

Registre-se no campo prático, que a Igreja marcou e marca presença altamente significativa no campo da saúde, com creches, hospitais e similares. Diversas pastorais atuam diretamente para que as pessoas tenham mais vida saudável: Pastoral da Criança, Pastoral da Saúde, das Doenças Sexualmente Transmissíveis/Aids (DST/AIDS), da Pessoa Idosa, do Menor, dos Moradores de Rua e outras do grupo das Pastorais Sociais. Diversas outras Campanhas contemplaram temas específicos ligados a praticamente todas elas.

A Campanha da Fraternidade de 2012, que em outros anos teve o mérito de ostentar o caráter ecumênico é uma excelente oportunidade para os cristãos abrir as portas de suas casas e do coração para refletir e mobilizar-se em favor de um rol de questões (informações e reivindicações) que envolvem a “saúde” e o bem estar do homem na face da terra. E isso, porque diz respeito a todos, pode ensinar que Saúde é um direito de todos e não mero objeto de lucrativo negócio, da indústria farmacêutica e da máfia médico-hospitalar.

 Carlos Alberto dos Santos Dutra, advogado e diácono Permanente na Diocese de Três Lagoas-MS

Fonte: Adital

[Mais informações sobre a CF 2012 acesse: http://www.portalkairos.net/campanhadafraternidade/default2012.asp]

Publicado em 30/01/2012 por

Dom Raymundo Damasceno fala sobre a 50ª Assembleia Geral da CNBB

Já começaram os preparativos para 50ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, que será realizada pelo segundo ano em Aparecida (SP). Na última segunda-feira, 23, a comissão da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), organizadora da Assembleia, se reuniu no Santuário Nacional de Aparecida para discutir as necessidades logísticas da realização da Assembleia.

A 50ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil será realizada entre os dias 17 e 26 de abril. Está prevista a participação de cerca de 440 bispos, titulares e eméritos, além de representantes de várias entidades ligadas à Igreja.

O arcebispo de Aparecida (SP), cardeal Raymundo Damasceno Assis, presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, adianta detalhes sobre a logística do encontro. Segundo dom Damasceno a estrutura montada será praticamente a mesma de 2011, com algumas mudanças.

“O Santuário já teve a 1ª experiência, em 2011, que certamente foi a mais difícil, mas os bispos ficaram muito contentes com aquela experiência. De modo que esta será mais fácil, sem dúvida. Os bispos ficarão em hotéis, e uma parte aqui no Seminário Bom Jesus, na Pousada do Bom Jesus, como no ano passado. O centro de eventos onde foram realizados os trabalhos da Assembleia será novamente usado e além dele, o subsolo também será aproveitado para os trabalhos de grupo. Portanto os bispos vão trabalhar no subsolo do grande auditório, no “grande estádio” do centro de eventos. A reunião maior, a Assembleia, será feita no mesmo local do ano passado, mas creio que com mais conforto, pois o subsolo já está todo preparado para receber os bispos. Portanto haverá mais espaço, mais conforto e maior facilidade para os trabalhos”.

Fonte: CNBB

Publicado em 28/01/2012 por

Instituto JMJ Rio 2013 firma parceria para a Jornada

O compromisso para fazer dessa JMJ a melhor possível, segundo o sonho do coração de Deus para o Rio de Janeiro e para todo o mundo, ganha cada vez mais impulso. Na noite de 24 de janeiro, o Instituto JMJ Rio2013 assinou um convênio com a empresa Dream Factory, do grupo Artplan, que ficará responsável gerenciamento de todo o projeto da Jornada.

A cerimônia de assinatura aconteceu durante a entrega do Prêmio São Sebastião de Cultura, promovido pela Associação Cultural da Arquidiocese do Rio de Janeiro, na Casa de Arte e Cultura Julieta de Serpa.

Firmaram a parceria o presidente do Instituto e arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta e o diretor geral da Dream Factory, Duda Magalhães.

“É uma empresa que tem respeitabilidade no mundo inteiro, pelos grandes eventos que realiza e tenho certeza que o trabalho e missão que eles irão desempenhar fará da Jornada ainda mais profissional. Ao mesmo tempo nós veremos a parte religiosa, espiritual, que é a nossa parte”, disse Dom Orani.

Para a o vice-presidente do Instituto, o bispo auxiliar Dom Paulo Cezar Costa, o contrato prevê que a Dream Factory empregue todo o seu expertise com a finalidade de ajudar na construção da Jornada. “É um convênio que visa agregar forças no sentido de que possamos construir uma boa Jornada e que ela possa ser boa em todos os aspectos, tanto em organização, como evangelizador”, afirmou.

O grupo Artplan está há 45 anos no mercado e a Dream Factory completou 10 anos no final de 2010. “Talvez seja o projeto mais importante, mais relevante da história da Dream Factory nesses 10 anos de existência”, disse Duda Magalhães.

O diretor da Dream Factory ressaltou ainda: “Participar da organização da Jornada é um grande privilégio. O Rio de janeiro tem condições hoje de se preparar e fazer a maior jornada de todos os tempos, em termos de qualidade para o peregrino, de mobilidade urbana e de qualidade de vida para aqueles que estão na cidade”.

 Fonte: ACI Digital

Publicado em 27/01/2012 por

Reunião dos Presbíteros da Região Episcopal Metropolitana São José

A Região Episcopal Metropolitana São José, na pessoa do seu novo Vigário Episcopal –  Padre Luís Fernando Martins Cabral, MSC,  convida a todos os Presbíteros e Diáconos da Região para seu primeiro encontro do ano de 2012 que acontecerá no próximo dia 02 de fevereiro de 2012, às 8h30min, no Centro de Pastoral “Maria, Mãe da Igreja”.

É necessário que os párocos confirmem os nomes dos representantes das suas respectivas paróquias no Conselho de Pastoral da Região, um titular e um suplente. A secretária da Região pede que os nomes sejam entregues no dia da Reunião dos Presbíteros ou  sejam enviados, com a máxima urgência, à  secretaria da Região.

Danilo Barbosa – Secretário da Região São José

 

Publicado em 27/01/2012 por

Coordenador do 13º Intereclesial fala das expectativas para a realização do evento

Padre Vileci Basílio Vidal fala do ano de aprofundamento para o 13º intereclesial

veja o vídeo


QR Code Business Card