Atualidades

Tempo de Advento

No dia 1º. de dezembro, a Igreja Católica inicia o tempo de Advento. A palavra advento vem do latim advenire: “chegar a”. É o nome que se dá ao período litúrgico de  quatro semana sem que, já desde 450 anos depois de Cristo os fiéis são convidados a se prepararem para a festa do Natal, com mortificações, oração e fervorosa expectativa. No fim deste ano de 2018 é importante que nós cristãos procuremos descobrir o sentido mais profundo do Advento. O tempo do Advento é para a Igreja momento de forte mergulho na liturgia e na mística cristã. É o tempo de espera e esperança,de estarmos atentos e vigilantes, preparando-nos para a vinda do Senhor.

Pe. Dr. Brendan Coleman Mc Donald – Redentorista

O Advento recorda a dimensão histórica da salvação, evidencia a dimensão escatológica do mistério cristão e nos insere no caráter missionário da vinda de Cristo. O Menino que nasceu em Belém, pobre e rejeitado, é o Rei do Universo. Ele não impõe a sua vontade e o seu reinado, mas convida a todos a acolher sua lei e construir assim uma sociedade de paz e universal fraternidade. Em cada celebração nesse tempo que antecede o Natal, somos convidados a proclamar profeticamente que o Senhor está chagando como libertador, e seus sinais se manifestam nas lutas concretas dos pobres e de todos os que com eles se fazem solidários.

Um dos mais fortes símbolos do Advento é “A Coroa do Advento” colocado ao lado do altar. É feita de galhos verdes entrelaçados, formando um círculo, no qual são colocadas quatro grandes velas representando as 4  semanas do Advento. A cada domingo uma vela é acesa; no 1º. Domingo uma, no segundo duas e assim por diante até serem as 4 velas no 4º. Domingo.

  • No 1º. Domingo uma vela branca é acesa (Isaías anuncia a salvação ainda distante; luz pálida).
  • No 2o. Domingo uma vela vermelha é acesa (João Batista testemunha o Salvador já próximo com o martírio).
  • No 3º. Domingo uma vela roxa é acesa (Maria traz o Salvador, roxa cor da penitência).
  • No 4º. Domingo uma vela verde (Jesus traz a salvação, verde da árvore da vida, broto da raiz de Jessé).

Finalmente, na “missa do galo” na véspera do Natal, uma vela de tamanho maior de cor branca é acesa simbolizando Jesus, a luz do mundo chegando.

No Natal Cristo entra na história dos homens. Com Cristo, essa história deve tornar-se uma história de salvação, de virtude, de libertação, de fraternidade e de paz.  Se essas realidades ainda faltam hoje, é porque muitas portas não se abriram para o Senhor. É preciso acolher o Cristo com sua graça e sua mensagem. Não tenhais medo de abrir as portas para Cristo.  O indivíduo que se converte; a família que se santifica; a sociedade que se torna  mais justa; a humanidade  que anda segundo alei de Deus – eis os frutos do Natal verdadeiro, do qual, consequentemente,brotará uma autêntica alegria e uma paz cheia de esperanças.

Pe. Dr. Brendan Coleman Mc Donald, Redentorista

Compartilhe

Subir

Seja o primeiro a comentar »

Seja o primeiro a comentar »


Deixe seu Comentário

Nome (necessário)

E-mail (não será publicado) (necessário)

Website

Atualidades

Irmãs Mensageiras de Santa Maria reúnem-se em Capítulo Geral Eletivo

Fórum Internacional da Juventude: manter vivo tema do Sínodo dos Bispos de 2018

O episcopado no Brasil: 480 bispos e 307 membros efetivos da CNBB

Cáritas Brasileira lança a campanha #EuMigrante em parceria com a Signis Brasil Jovem

Festejos de Nossa Senhora de Lourdes acontecem no bairro Ellery


QR Code Business Card